Entre Páginas Especial Halloween – O Iluminado

Por , 27 de outubro de 2013 17:48

especial halloween

Há livros para sonhar, há livros para entreter, e há livros para te fazer rir, e uma quantidade absurda, que lhe farão chorar. E por que a vida é assim, vai ter livros que será necessário você ler deitado na cama ao lado da sua mãe, mesmo que você tenha mais de 20 anos, e O iluminado é um desses livros.

O iluminadoDanny Torrance não é um menino comum. É capaz de ouvir pensamentos e transportar-se no tempo. Danny é iluminado. Será uma maldição ou uma bênção? A resposta pode estar guardada na imponência assustadora do hotel Overlook.

Em O iluminado, quando Jack Torrance consegue o emprego de zelador no velho hotel, todos os problemas da família parecem estar solucionados. Não mais o desemprego e as noites de bebedeiras. Não mais o sofrimento da esposa, Wendy. Tranquilidade e ar puro para o pequeno Danny livrar-se das convulsões que assustam a família.

Só que o Overlook não é um hotel comum. O tempo esqueceu-se de enterrar velhos ódios e de cicatrizar antigas feridas, e espíritos malignos ainda residem nos corredores. O hotel é uma chaga aberta de ressentimento e desejo de vingança. É uma sentença de morte. E somente os poderes de Danny podem fazer frente à disseminação do mal.

 

Pode me chamar de fracote, de medrosa, do que for, mas a minha cota de filmes de terror que consigo ver é tão limitada, que o último que vi foi Os Diários de Chernobyl, mas também só o começo que mostrava as tomadas da cidade.

Eu não gosto de levar susto, e não fico indo atrás deles, mas quando vi o icônico filme O Iluminado com Jack Nicholson, fiquei com tantas dúvidas, que acabei pegando o livro para entender. Não tinha lido nada de Stephen King na época, e como não fiquei com (tanto) medo do filme, achei que o livro seria tranquilo.

E aí que entra um fator, que é pior em livros do que em filmes. Em filmes, quando tem uma cena aterrorizante, geralmente uma criança morta vindo de assombrar (tenho medo de filmes com crianças), você fecha os olhos no susto e abre quando volta a tudo ficar normal. Já no livro, você pode até fechar o livro quando chega a uma cena apavorante, mas não tem o que fazer, em algum momento você vai ter que abrir o livro novamente e continuar a ler: e a cena vai continuar do lugar que você parou.

Aqui revelo que sou muito fraca, porque fechei o livro em diversas cenas, e o pior: para terminar o livro, tive que deitar do lado da minha mãe, na cama dos meus pais.

E porque Stephen é um ótimo ambientador, você não quer desistir do livro, você quer ler até o fim, para saber o que vai acontecer.
Danny é mais fofo no livro, e dá mais dó dele em toda a estória, já que é o coitado que tem que enfrentar as piores situações. Mas a cena dos elevadores, e do barulho da festa me dá arrepio só de lembrar! Mas nada supera as cenas do quarto 217, e acreditem em mim quando digo que esse quarto ficará na sua mente por muito tempo.

Ainda quero pegar outros livros de King para ler (só li além desse, Sob a Redoma), porém se for no nível de O Iluminado, é bom eu preparar o meu coração, porque não sei se ele aguenta tantos sustos assim.

Ficha Técnica:

Livro: O Iluminado

Autor:Stephen King

Editora: Objetiva

Páginas: 313 páginas

Nota: 8/10

Deixe uma resposta