Blá Blá Blá – Existe vida após a Bienal?

Por , 31 de agosto de 2014 21:00

E a 23° Bienal do Livro de SP acabou e para os amantes dos livros, promoções e um local para encontrar os amigos que também gostam de literatura, parece que um pedacinho da diversão vai ficar para trás.
E vai mesmo!

bienal01

Nos últimos 10 dias e assim como todos os anos, a Bienal virá um ‘point’ para encontrar aquele amigos antigo que você só vê nos eventos literários, para conhecer autores e enfrentar filas quilométricas, só para passar aqueles dois minutos ao lado dele, que vai valer a pena todo o cansaço.

Continue Lendo!

Sessão Pipoca – Lucy e a luta de Scarlett Johansson

Por , 28 de agosto de 2014 9:00

Hoje estreia nos cinemas o filme Lucy, estrelando Scarlett Johansson dirigido por Luc Besson, o filme conta a história de uma mulher, que ao se pegar em uma situação sem saída, se transforma em uma guerreira com poderes além da lógica humana.

scarlett-johansson-lucy

Apesar de não ser tão fã assim dos seus filmes ou da própria atriz, me surpreendi ao contar que assisti mais de 19 dos 49 filmes que ela já participou. E talvez por isso, me surpreendi com o fato de dela aceitar fazer um nu frontal e após isso já embarcar em outro papel forte na pele da personagem principal de Lucy.

Scarlett Johansson, hoje com 30 anos, começou a sua carreira em Hollywood com 10 anos no filme O Anjo da Guarda, mas só chamou atenção suficiente no cult Ghost World –Aprendendo a Viver de 2001. No filme, ela contracenou ao lado de Tora Birch, que após o sucesso desse e a participação em Beleza Americana parecia perfeita para ser a próxima atriz promissora, mas ficou por isso mesmo.

No contexto de Beleza Americana, Scarlet com a carreira e o status que se criou ao longo dos anos, poderia ter facilmente preenchido o papel de Angela Hayes, interpretada no filme por Mena Suvari, que também não fez muitos filmes relevantes ao longo dos anos.

Scarlett teria que esperar dois anos, e a direção de Sofia Copolla no cotadíssimo Encontros e Desencontros para poder chegar em um status cool. E desde lá, ela manteve um padrão próprio.

Continue Lendo!

Entre Páginas – Battle Royale

Por , 27 de agosto de 2014 9:00

Prepare o estômago! Por que você vai precisar dele para Battle Royale.

 

Globo-Battle-RoyaleEm um país totalitário, o governo cria um programa anual em que uma turma do ensino fundamental é escolhida para participar de um jogo. Os estudantes são levados para uma área isolada, onde recebem um kit de sobrevivência com uma arma para se proteger e matar os concorrentes. Uma coleira rastreadora é presa no pescoço de cada um deles.

O Jogo só termina quando apenas um estudante restar vivo. Ao final do Programa, o vencedor é anunciado nos telejornais para todo o país. As regras do jogo foram criadas de maneira que não haja uma forma de escapar. E a justificativa da matança é mostrar para a população como o ser humano pode ser cruel e como não podemos confiar em ninguém – nem mesmo no nosso melhor amigo da escola.

 

Incrível como os livros, podem nos transformar nas pessoas mais controversas por um tempo. Eu, por exemplo , acho que um homem deve tratar uma mulher como uma princesa, mas li todos os livros da série Cinquenta Tons.

E essa mesma pessoa, odeia sangue, violência e mortes desnecessárias, muitas vezes gravadas só para agradar um publico especifico, mas mesmo assim, depois de ler os comentários da Alba do Psychobooks, eu não resisti e comprei Battle Royale, mesmo sabendo que encontraria sangue, violência e mortes desnecessárias. Vai entender a cabeça da pessoa.

Acabei passando outros livros na frente, mas quando finalmente peguei para ler não pude deixar de lado.

O Livro é considerado a inspiração para Jogos Vorazes e após ler, se a Suzanne Collins nunca tinha lido essa história, pode ligar para o Koushun Takami, porque eles têm uma conexão além do inexplicável.

Não considero que houve um plágio aqui, é a mesma coisa que dizer que todos que os livros sobre dois amores impossíveis é um plágio de Romeu e Julieta, mas as similaridades existem, e não dá para ignorar quando você já leu uma das obras.

Continue Lendo!

Entre Páginas – As Batidas Perdidas do Coração

Por , 26 de agosto de 2014 20:17

Já conhecia a Bianca (autora do livro) de outros carnavais, sabia que o livro dela ia ser lançado pela Verus, e fui unicamente ao stand do Grupo Editorial Record para comprar o livro dela (e um autógrafo, claro) e poder apreciar pessoalmente a leitura de As Batidas Perdidas do Coração.

Com o aval da Alba e Mari do Psychobooks e até da Sabrina que foi leitora Beta de outro livro dela, sabia que encontraria coisas boas nas 400 páginas de As Batidas Perdidas do Coração, mas realmente não sabia o que esperar desta leitura.

As batidas perdidas do coração

Viviane acaba de perder o pai. Com a mãe em depressão, ela se vê obrigada a assumir o controle da casa com o irmão mais novo. Rafael teve o pai assassinado há alguns anos e agora viu quatro pessoas de sua família, incluindo a única irmã, morrerem em um acidente de carro. Viviane pertence a uma classe social que ele despreza. Rafael é tudo o que ela sempre ouviu que deveria evitar. Eles são opostos, porém dividem a mesma dor. Jamais se aproximariam se a morte não os colocasse frente a frente, e agora, por mais que saibam que são completamente errados um para o outro, não conseguem evitar uma intensa conexão, que poderá salvá-los ou condená-los para sempre. As batidas perdidas do coração é uma história sobre perdas e como cada um lida com elas. É o encontro atormentado entre a dor e o amor. Com uma narrativa sexy, envolvente e repleta de música, este livro traz a última tentativa de duas pessoas arruinadas que, juntas, buscam desesperadamente se encontrar.

 

 

Continue lendo 'Entre Páginas – As Batidas Perdidas do Coração'»

Entre Páginas – Não se apega, não

Por , 25 de agosto de 2014 11:00

Quando recebemos o email da Editora Intrínseca nos apresentando os novos lançamentos do mês, me senti curiosa pelo livro Não se apega, não. Gostei muito da capa do livro, e sem realmente saber muito da história, ou da autora solicitei para a editora.

O meu grande erro foi ter solicitado o livro sem grandes informações do mesmo, achava que se tratava de uma romance, gênero que gosto muito. Logo depois, descobri que o livro é de auto-ajuda, o que é um desastre, pois odeio este tipo de livro e procuro não le-los, justamente por não gostar.

Por isso, peço desculpas querido leitor, pois errei em não procurar saber mais sobre o livro antes de lê-lo. Fui comprada pela capa e acabei dando com a cara na parede. O fato de eu odiar o gênero de auto-ajuda, reflete 100% nesta resenha e por isso posso estar sendo injusta e em muitos pontos completamente errada em minha opinião. Não obstante, ainda acho importante publicar a minha opinião deste livro, mesmo sobre premissas equivocadas.

Portanto, essa resenha reflete minha opinião antes de eu saber que o livro era auto-ajuda! Porém, penso que cada observação é válida para a crítica do livro.

Pouco antes do livro chegar aqui em casa, acabei descobrindo que a autora do livro é uma blogueira, a Isabela Freitas. Infelizmente, com  os meus 5 anos de blogosfera eu não conhecia o blog dela, então não tinha muita referencia para o que iria encontrar.

Com o livro chegando em casa, acabei optando por substituir um livro da Maratona Literária, por ele. Foi uma leitura rápida e de apenas um dia.

 

Não se apega nãoDesapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase “você deve encontrar a metade da sua laranja”. Calma lá, amigo. Eu nem gosto de laranja. O amor vem pros distraídos.

Tudo começa com um ponto-final: a decisão de terminar um namoro de dois anos com Gustavo, o namorado dos sonhos de toda garota. As amigas acharam que Isabela tinha enlouquecido, porque, afinal de contas, eles formavam um casal PER-FEI-TO! Mas por trás das aparências existia uma menina infeliz, disposta a assumir as consequências pela decisão de ficar sozinha. Estava na hora de resgatar o amor-próprio, a autoconfiança e entrar em contato com seus próprios desejos.

Parece fácil, mas atrapalhada do jeito que é, Isabela precisa primeiro lidar com o assédio de um primo gostosão, das tentações da balada e, principalmente, entender que o príncipe encantado é artigo em falta no mercado.

 

Continue Lendo!

Fala Série! – 8° Temporada de Doctor Who – 1° episódio

Por , 24 de agosto de 2014 22:18

Sem spoiler

Para a nossaaa alegria =) , a nova temporada de Doctor Who estreou ontem e mais do que uma nova temporada, temos um novo Doctor, no caso Peter Capaldi incorporando a 12° regeneração do Senhor do Tempo. E advinha só? Foi incrível!

Deep Breathe - Doctor Who

É eu sei, sou suspeita para falar de Doctor Who, mas era muito suspeita para falar também de Matt Smith, ator responsável pelo 11° encanação do Doctor e que saiu no episódio de natal da série no ano passado. Peter não se parecia com o Doctor que eu esperava, mas quem acompanha a série está acostumada com essas mudanças.

Tem que estar na verdade, já que de tempos em tempos é possível encontrar rostos novos desde o Doctor até aos companheiros.

Mas quando o Peter foi anunciado,estava esperando que para esse Doctor o roteirista, Steven Moffat, iria criar uma encarnação mais ponderada.

Continue Lendo!

Guia de Sobrevivência Bienal de São Paulo 2014

Por , 23 de agosto de 2014 9:00

bienal01

Nós amamos a Bienal!

Não existe outro evento literário no Brasil que reúna pessoas tão ecléticas pelo gosto da literatura nesse porte. E para quem mora perto de São Paulo, ou pode participar de alguma edição, vai aprendendo uma coisa ou outra sobre o evento.

Uma, é que após chegar lá, mesmo sozinha você vai se sentir em casa, porque assim como você, tem mais de mil pessoas ao seu redor que também gosta de livros! É quase um alívio!

E o outro, é que nem tudo é um mar de rosas, e para que você curta essa experiência da melhor forma possível, listamos alguns pontos de sobrevivência para que você vá pelo menos sabendo que eles existem.

 

Continue Lendo!

Entre Páginas – Rani e o Sino da Divisão

Por , 22 de agosto de 2014 9:00

Apesar do nome querer enganar, Jim Anotsu é um autor mineiro, que já conhecido pela internet, publica agora as aventuras da jovem Rani, uma fã de Doctor Who e projeto de roqueira, que tem que enfrentar entre lutas sobrenaturais, outros desafios mais perigosos, como bailes de debutantes, professores carrascos e até mesmo o primeiro amor.

22873651Rani é uma garota que divide sua vida entre estudar, tocar guitarra numa banda com sua melhor amiga, reverenciar um tecladista finlandês e assistir seriados. Sua rotina, que já não é das mais normais, se torna ainda mais insólita quando conhece Pietro, um garoto colorido que faz uma revelação: ela é uma xamã urbana, mediadora entre os vivos e mortos. Esse é o primeiro passo da garota no estranho mundo dos Animais de Festa, uma facção de seres sobrenaturais que se preocupa bem mais com a diversão e sabores de sorvete do que com problemas de verdade. É justamente esse grupo de perdedores mágicos que fica responsável por ajudar a garota contra um antigo e misterioso adversário.

Rani tem 15 anos, e uma das coisas que mais gostei nela, é como ela é uma típica garota de 15 anos!

Nada de uma personagem que é madura para a sua idade, nem nada do tipo. E ela vem com o pacote completo: com pequenos acessos de raiva, rebeldia nem sempre contida, fanatismos por séries e música e até mesmo um projeto de amor no caminho.

Já sobre as criaturas sobrenaturais esperem de tudo, incluindo uma ponta do cara lá de baixo. Mas para quem que como eu, não é muito fã de livro recheados de criaturas que você às vezes nem ouviu falar, fica tranquilo! Elas não são jogadas ao acaso, e quando necessário, recebemos as devidas explicações.

Agora um ponto deve ficar bem claro quando você pegar esse livro: apesar de ser um livro sobrenatural, a narrativa de Anotsu abraça a estranheza e a originalidade de cada um dos personagens principais e traça uma trama que envolve…..muitas risadas.

Continue Lendo!

O Mundo Netflix

Por , 21 de agosto de 2014 14:12

Logo-Netflix-Banner

Hoje a cultura ondemand (vídeo sob demanda) ou Streaming está muito popular, começou com o BOOM do youtube e aos poucos muitas empresas visionárias apostaram nesse esquema, que hoje é responsável por um trafego de informação gigante na rede mundial de computadores. Nós aqui do Café amamos o Netflix, é perfeito porque além de conter todos os filmes legais que amamos (além dos novos que são lançados todos os meses), ele é o par ideal para séries. Talvez esse seja o maior trunfo da plataforma, são séries para todos os gostos e sempre com muito lançamento bacana.

Com a popularidade, a alta cúpula do Netflix resolveu que queria investir em programação própria, de qualidade e que pudesse abrir um filão de novas mídias para que alcançassem o almejado Emmy. Pois bem, em 2013 eles produziram a primeira leva de suas séries originais de uma só vez, e são elas: House of Cards, Hemlock Grove e Orange Is the New Black.

A sacada genial do Netflix foi visar públicos diferentes, mas que ao mesmo tempo pudesse se interessar pelos outros dramas e migrarem assim para as outras séries do site.

E o grande problema é que nós amamos a experiência que a Netflix nos proporciona, e somos viciados em todas as formas. Foi de longe uma das coisas mais legais que já chegaram no Brasil.

Continue Lendo!

Entre Páginas – Sinner

Por , 20 de agosto de 2014 9:00

Depois de mergulhar de cabeça na releitura de uma das minhas séries favoritas de todos os tempos, Os Lobos de Mercy Falls, finalmente me senti preparada o suficiente para conferir a obra mais recente da Maggie Stiefvater: Sinner.

Quando a Maggie anunciou que a tão misteriosa “White pants novel” era na verdade um spin off de Calafrio, Espera e Sempre, que acompanharia a história de Cole St. Clair e Isabel Culpeper, me vi praticamente “quicando” de animação (o pessoal da equipe do Café bem sabe). Por isso, não demorei muito para correr para suas páginas e… Ah! Que delícia!

Atenção! Pode conter spoilers da série Os Lobos de Mercy Falls!

 

Sinner

Encontrado. Cole St. Clair foi para a Califórnia por uma razão: conseguir Isabel Culpeper de volta. Ela se foi deixou a vida dele ainda mais estragada e vazia do que era. Ele não apenas a quer. Ele precisa dela.

Perdida. Isabel está tentando reconstruir sua vida em Los Angeles, mas não está dando muito certo. Ela pode jogar o jogo tão bem quanto as falsas pessoas que a cercam. Mas por qual motivo? O que ela tem a ganhar?

Pecador. Cole e Isabel compartilham um passado que nunca pareceu ter futuro. Eles têm o poder de se amar e o poder de se destruir. A única coisa certa é que ele não pode perdê-la.

 

Continue Lendo!