Café Retrô 2014 – As Decepções Literárias

Por , 29 de dezembro de 2014 10:00

Banner retrospetiva

 

Apesar de 2014 ter sido um excelente ano para nossas leituras, nem tudo é um mar de rosas…

Alguns livros marcaram presença por terem  nos decepcionado por alguns aspecto – seja porque nossa expectativa estava muito alta, ou porque não gostamos tanto assim.

Acreditamos que, de todos, esse seja o post mais controverso da nossa retrospectiva – e o que mais mostra a diferença entre gostos dos integrantes do Café.

 

Sabrina

 

O Melhor de Mim, do Nicholas Sparks – Fazia um tempão que eu não lia nada do Sparks, então foi com muito amor no coração que iniciei a leitura de O Melhor de Mim. Porém, além de arrastada, a leitura não me surpreendeu nem um pouco e não gerou nenhuma empatia pelos personagens.

Entre o Agora e o Sempre, da J. A. Redmerski – Ao contrário da Fanny, eu gosto bastante de livros do gênero New Adult (quer dizer, daqueles 50% que não se encaixam na categoria de “vergonha-alheia”). Tinha adorado a leitura do primeiro livro da Redmeski, Entre o Agora e o Nunca, mas achei este segundo volume absolutamente desnecessário. É apenas mais do mesmo.

O Momento, do Douglas Kennedy – Ao iniciar a leitura deste livro, achei que entraria para o rol dos meus favoritos. Afinal, ele se passa durante um período histórico que sempre me fascinou: o da Guerra Fria – mais precisamente, em plena Alemanha dividida. Porém, a leitura acabou enrolando, enrolando… E perdeu muitos pontos.

 

Fanny

 

O Ladrão dos Sonhos, da Maggie Stiefvater – Eu vou ser morta pela Sabrina (vai mesmo!), mas não consegui me envolver ou me importar com os personagens do segundo livro dessa série da Stiefvater. Em defesa do livro, posso falar que não estava em um bom momento e quero continuar lendo os outros livros. Só preciso de um tempinho longe deles.

The Geographic of you and Me, da Jennifer E. Smith– Esse na verdade, acho que foi a expectativa que matou. Depois de ler dois livros incríveis da Jennifer E. Smith, achei esse o mais fraquinho de todos. As suas histórias tem um que de improbabilidade, mas achei que esse tentou demais dar certo uma coisa que não era para dar certo.

Mentirosos, da E. Lockhater – Outro cujo blá blá blá (=P) geral acabou me deixando animada, mas me decepcionou um pouco. A narrativa é interessante e a escrita de primeira linha, mas não cheguei lá e quando o segredo foi revelado, eu só pude suspirar e terminar a leitura.

Livros New Adult – Alguém me deixa longe deles, okay?

 

Will

 

Lí poucos livros esse ano, mas ainda assim tive decepções, mas graças a Deus não passam de dois livros.

Eu, o desaparecido e a morta, da Jenny Valentine: Livro extremamente pré-adolescente. A história te entretém, mas não passa disso.

O doador de memórias, do Lois Lowry: Pensei que o livro fosse ser épico – e olha que ele tinha potencial – mas acho que o autor se perdeu no meio do caminho e sonhou grande de mais. Eu até gostei da história em si, mas não do jeito que ela foi construída. Mais decepcionante é saber que no fim do livro temos algumas continuações.

 

Thaís

Com tantos livros de pouca qualidade, encontrar algumas várias decepções foi fácil. O que realmente é algo ruim. Nos livros listados abaixo (exceto After), coloquei na resenha o que me incomodou em cada leitura,

Não se Apega, Não da Isabela Freitas – eu sei que li o livro achando que era romance, quando na verdade era auto ajuda. Mas isso não me impede de ter tido uma grande decepção com o livro.

Perdendo-me da Cara Comarck: este realmente me decepcionou, por vender algo que não encontrei na história. Achei um livro de baixissíma qualidade.

After de Anna Todd: juro que tentei gostar do livro, mas só terminei ele sobre tortura. Não tinha expectativas altas, mas as poucas que eu tinha foram acabadas.

A Escolha de Kiera Cass: eu realmente gosto da série, adoro todos os personagens e o enredo. Ocorre que a série terminou (naquela época iam ser apenas 3 livros), deixando muita coisa em aberto.

 

Deixe uma resposta