Entre Páginas – Jack, o Estripador em Nova York

Por , 4 de maio de 2015 9:00

Uma das vantagens de trabalhar em uma editora é poder conferir em primeiríssima mão um novo lançamento (e ainda por cima traduzido!). Logo, assim que o editorial da Vestígio anunciou que estava trabalhando em Jack, o Estripador em Nova York, do autor Stefan Petrucha, corri para entrar na fila de leitura. Afinal, tudo era muito interessante: a capa, o título e principalmente a premissa de que um dos assassinos mais icônicos da História seria o grande vilão.

 

JackCarver Young sonha ser um detetive, apesar de ter crescido num orfanato, tendo apenas romances policiais e a habilidade de abrir fechaduras para estimulá-lo. Entretanto, ao ser adotado pelo detetive Hawking, da mundialmente famosa Agência Pinkerton, Carver não só tem a chance de encontrar seu pai biológico como também se vê bem no meio de uma investigação de verdade, no encalço do cruel serial killer que está deixando Nova York em pânico total. Mas quando o caso começa a ser desvendado, a situação fica pior do que ele poderia imaginar, e sua relação com o senhor Hawking e com os detetives da Nova Pinkerton entra em risco. À medida que mais corpos aparecem e a investigação ganha contornos inquietantes, Carver precisa decidir: de que lado realmente está? Com diálogos brilhantes, engenhocas retrofuturistas e a participação de Teddy Roosevelt, comissário da polícia de Nova York que viria a ser presidente dos Estados Unidos, Jack, o Estripador em Nova York desafiará tudo o que você pensava saber sobre o assassino mais famoso do mundo. E o deixará sem fôlego!

 

Jack, o Estripador em Nova York já começa de uma forma arrepiante: com um assassinato violento nos recantos de uma biblioteca (#medo). E o autor do crime é ninguém mais ninguém menos do que uma lenda viva que habita o imaginário dos leitores há muito tempo: Jack, o Estripador.

Jack é conhecido pelos seus crimes reais que assustaram a população de Londres em 1888, e sempre esteve envolto em uma aura de mistério, uma vez que, apesar de ter sido caçado implacavelmente pela polícia, o serial killer nunca foi preso.

Agora, imagine se por algum motivo o criminoso atravessasse o oceano e passasse a tocar o terror em Nova York? Essa é a premissa do enredo do livro de Stefan Petrucha… E que delícia de suspense!

Grande parte da minha simpatia pelo livro se deve ao carisma do protagonista, o jovem Carver, de 14 anos. Órfão, o garoto sempre sonhou em ser um detetive e desde cedo praticava suas habilidades arrombando as fechaduras do orfanato. Apesar de ser muito sagaz e inteligente, o menino ainda possui uma espontaneidade e ingenuidade que são cativantes.

Após descobrir que seu tempo no orfanato está se esgotando, o garoto vê sua vida mudar ao ser “adotado” por um senhor excêntrico, que faz parte de uma agência secreta de investigações. Através do seu contato com o Sr. Hawking, Carver começa a dar os seus primeiros passos como detetive e inicia sua carreira com o maior mistério de sua vida: descobrir a identidade de seu pai. (Aqui cabe um adendo para a relação de Carver com Hawking, que é divertidíssima. O velho detetive não dá descanso para o garoto e o faz aprender as coisas “na marra” – mas sempre com muito bom humor).

Aliado a isso, temos a trama paralela com a busca pelo assassino que tem despertado medo nos nova-iorquinos liderada por Teddy Roosevelt. Seria o homem misterioso o serial killer de Whitechapel?

A narrativa de Petrucha é eletrizante e de tirar o fôlego! Percorremos as ruas sombrias de Nova York junto com Carver, nos deslumbramos com os maquinários e invenções mecânicas e nos surpreendemos com as surpresas que o aguardam em cada esquina.

Confesso que devorei o livro inteiro sem culpa em apenas uma sentada e simplesmente não consegui largá-lo! Mergulhei tão profundamente na história que me vi “pasmando” com cada reviravolta e torcendo pelo melhor desfecho possível – que não desapontou. A minha única tristeza durante a leitura foi perceber que ela estava chegando ao fim…

Descobri em Jack, o Estripador em Nova York um romance policial delicioso e refrescante, repleto de elementos históricos e uma pitadinha do universo steampunk. Esta já se tornou uma leitura mais do que recomendada!

 

Ficha técnica:

Livro: Jack, o Estripador em Nova York (Ripper)

Autora: Stefan Petrucha

Editora: Vestígio

Páginas: 288

Classificação: 5/5 estrelas

Deixe uma resposta