Entre Páginas – Dois Garotos se Beijando

Por , 11 de maio de 2015 12:05

Dois Garotos se Beijando de David Levithan, consegue o que nenhuma outro livro que fala sobre LGBT foi capaz comigo, me colocar no lugar deles e sentir que às vezes (literalmente) o mundo está contra a sua própria natureza.

1779815_10152834455522713_6493096751163032966_nCraig e Harry estão tentando quebrar o recorde mundial do beijo mais longo.

Craig e Harry não são mais um casal, mas já foram um dia.

Peter e Neil são um casal. Seus beijos são diferentes. Avery acaba de conhecer Ryan e precisa decidir sobre como contar para ele que é transexual, mas está com medo de não ser aceito depois disso.

Cooper está sozinho. Passa suas noites em claro, no computador, criando vidas falsas online e seduzindo homens que jamais conhecerá na vida real.Mas quando seus pais descobrem seu passatempo proibido, o mundo dele desaba. Cada um desses meninos tem uma situação diferente.

Alguns contam com o apoio incondicional da família, outros não. Alguns sofrem com o bullying na escola, outros, com o coração partido. Mas bem no centro de todas essas histórias paralelas está o amor.

E, através dele, a coragem para lutar por um mundo onde esse sentimento nunca seja sinônimo de tabu.

Já li alguns livros do Levithan. Em alguns ele conseguiu me passar uma boa sensação dos seus personagens, como em Todo dia, e em outros ele só me deixou com raiva do personagem na maior parte do livro, como o Ely de Naomi and Elys No Kiss List.

Por isso, quando peguei Dois Garotos, apesar  de saber da sua qualidade como escritor, não estava esperando encontrar as histórias diversas mais entrelaçadas desse livro, iriam me tocar de uma forma tão diferente.

Elas iriam, sem que eu soubesse ao abrir o livro lançado aqui pela Editora Galera Record, me fazer refletir não só sobre o ponto de uma pessoa gay, mas sobre como a sociedade e as nossos julgamentos fazem com a mente e o corpo dessas mesmas pessoas que não fizeram nada de errado, elas simplesmente nasceram querendo amar, e a sociedade bate de frente com elas.

São 4 histórias e um narrador escondido e cada uma delas trás uma situação distinta entre os protagonistas. Elas são todos gays, mas o modo como lidam com isso e como são recepcionados varia de cada lugar que eles moram, de cada pais que eles possuem.

Ao contrário de outros livros, Levithan abre para mostrar o desrespeito e as inseguranças que todos esses meninos tem por serem diferentes, alguns com resultados que podem levar a pontos drásticos.

“O amor é tão doloroso; como podemos desejar para alguém? E o amor é tão essencial; como podemos atrapalhar o progresso dele?”

Adorei principalmente de ler sobre Peter e Neil, que tem relações tão diferentes entre os seus pais. Um lado apoiando e o outro ainda sem saber o que está acontecendo, é o mesmo esquema com Craig e Harry que estão tentando entrar no Guinness com o beijo mais longo da história, mas até mesmo com dois personagens com o mesmo problema a história é diferente.

Já Cooper vive em pequeno e escuro mundo sozinho e quando ele desmorona, fica difícil se levantar e você do outro lado quer ajudar ele, e qualquer um naquela situação. Você torce pelo final feliz, porque ele não fez nada de errado. Ao contrário do que ele pensa.

Não é um livro forte e nem explicito e gostaria de poder ter certeza que várias pais, professores e afins encorajariam os adolescentes a lerem isso, porque não vai ser um livro que vai transformar o seu filho em gay, mas talvez a leitura de uma história como essa, o faça entender que somos todos humanos.

Ficha técnica:

Livro: Dois Garotos de Beijando

Autora: David Levithan

Editora: Galera Record

Páginas: 222

Classificação: 5/5 estrelas

Um comentário para “Entre Páginas – Dois Garotos se Beijando”

  1. Eduarda disse:

    Li um livro chamado “Invisível” dele e gostei bastante. Esse parece ser ainda melhor pela temática.
    Beijo! ^_^
    maquiadanalivraria.blogspot.com.br

    [Responder]

Deixe uma resposta