Entre Páginas – Beleza Perdida

Por , 15 de junho de 2015 9:00

Há alguns anos, antes de o “gênero” new adult se tornar “the next big thing”, um livro começou a ganhar espaço nos blogs estrangeiros (e em alguns nacionais também). A sua capa, preta e com um modelo todo encolhido, não chamava tanta atenção à primeira vista, mas aqueles que haviam lido suas páginas declaravam: “a história é boa demais!”.

Curiosa, acrescentei a obra timidamente na minha lista interminável de “livros que desejo ler” no Goodreads, mas ficou por isso mesmo… até eu descobrir que a Editora Verus iria (finalmente!) publicar o livro da autora Amy Harmon aqui no Brasil.

Beleza Perdida chegou e, obviamente, acabei passando na frente de todas as leituras do momento… só para me apaixonar por Ambrose Young!

 

Beleza Perdida

 

Ambrose Young é lindo — alto e musculoso, com cabelos que chegam aos ombros e olhos penetrantes. O tipo de beleza que poderia figurar na capa de um romance, e Fern Taylor saberia, pois devora esse tipo de livro desde os treze anos. Mas, por ele ser tão bonito, Fern nunca imaginou que poderia ter Ambrose… até tudo na vida dele mudar.

Beleza perdida é a história de uma cidadezinha onde cinco jovens vão para a guerra e apenas um retorna. É uma história sobre perdas — perda coletiva, perda individual, perda da beleza, perda de vidas, perda de identidade, mas também ganhos incalculáveis. É um conto sobre o amor inabalável de uma garota por um guerreiro ferido.

Este é um livro profundo e emocionante sobre a amizade que supera a tristeza, sobre o heroísmo que desafia as definições comuns, além de uma releitura moderna de A Bela e a Fera, que nos faz descobrir que há tanto beleza quanto ferocidade em todos nós.

 

Nunca fui de iniciar diversas leituras ao mesmo tempo – geralmente me prendia apenas a um livro e o carregava comigo onde quer que eu fosse. Porém, com o passar do tempo (e com o crescer da minha pilha de leituras pendentes) acabei me desprendendo um pouco desse sistema e passei a acompanhar pelo menos duas histórias simultaneamente (ainda mais com o advento do #projetopravida, que torna essa realidade um tanto quanto necessária).

Pois bem. Lá estava eu, tentando dar um gás na leitura do meu “clássico do momento”, quando precisei fazer uma rápida viagem de trabalho. Não querendo carregar um “catatauzão” na mala, resolvi levar comigo aquele livro de capa bonita, com o qual eu já tinha um certo histórico (vide introdução acima).

Iniciei a leitura de forma tímida, quase que a conta-gotas… Mas quando percebi, lá estava eu grudada em suas páginas, não importava a situação – e nem o horário – na qual me encontrava.

O livro se inicia de uma forma um pouco mais lenta, situando o leitor na vida de Fern Taylor, uma menina com seus 17 anos que passa seus dias na companhia do primo – e melhor amigo – Bernie, enquanto sonha acordada com Ambrose Young, a estrela do time de luta livre da escola.

Porém, em pleno último ano do colégio, todos são surpreendidos pelo atentado de 11 de setembro – uma violência que choca a todos e que desperta nos jovens (principalmente em Ambrose) o desejo de se alistar no exército.

Após um acontecimento trágico no Iraque, Ambrose retorna à pequena cidade da Pensilvânia. Porém, agora ele é apenas uma sombra de quem ele costumava ser e Fern deve provar que sua paixão platônica por ele vai muito além das aparências…

A narrativa de Amy Harmon é tão doce e delicada que não leva muito tempo para você se apaixonar por ela. A autora toca em questões duras e traumáticas de uma forma tão suave, que quando você menos espera já se encontra dentro de suas páginas, vivendo aquelas experiências com os personagens, sofrendo por e com eles.

Acredito que parte disso também se deva à forma com a qual ela desfia o enredo, com flashbacks pontuais, que contextualizam o leitor em momentos-chave da história – mas sem que estes se tornem enfadonhos ou explicativos demais.

Outro ponto encantador da obra é o relacionamento que a autora constrói entre os personagens. Todos são muito leais: Fern e Bernie só seriam mais unidos se fossem irmãos de sangue e Ambrose, Paulie, Beans, Jessie e Grant formam um grupo de amigos bastante sólido, que permanece unido mesmo nos piores momentos.

Não posso deixar de ressaltar a influência direta de A Bela e a Fera… mas você terá que ler para entender do que eu estou falando. Só me cabe dizer que a Harmon coloca de forma sutil em seu texto uma mensagem de esperança – esperança de que nada é tão ruim que não possa ser superado se você tiver pessoas leais e companheiras ao seu lado e de que, por mais clichê que isso possa soar, a beleza exterior não é nada quando comparada com o que se tem por dentro.

Terminei a leitura com um aperto no peito e um sorriso nos lábios e com a certeza de que ainda indicarei muito este livro.

 

Ficha Técnica:

Livro: Beleza Perdida (Making Faces)

Autor: Amy Harmon

Editora: Verus

Nota: 5/5 estrelas

Deixe uma resposta