Pipoca Salgada – Cidades de Papel

Por , 17 de julho de 2015 12:05

Hoje já faz uma semana que Cidades de Papel estreou nos cinemas do Brasil e após a avaliação da Thais na semana passada, hoje eu vim falar sobre alguém que já leu o livro e viu o filme. Paper-Towns-Trailer

Tenho que revelar que Cidades de papel é meu livro favorito de John Green. Ele tem uma temática parecida com milhares de livros por aí (inclusive os do próprio John), mas adoro a abordagem diferente e como eles fazem uma análise profunda da vida humana. A analogia com o vaso me ganhou na primeira leitura.

Por isso, quando anunciaram que esse filme também iria ser adaptado,após o grande sucesso de ACEDE eu não fiquei tão assustada, afinal é um livro ‘adaptável’ que tinha material e uma história bacana para carregar quase duas horas tranquilamente.

cdn.indiewire.comNat Wolf demonstrou ter talento no primeiro filme e eu consegui o enxergar facilmente no papel de Quentin, assim como hoje na há outro ator que considero que seria melhor do que Ansel Elgort como o Gus.

O restante do elenco é praticamente desconhecido e até aí, nenhum problema, a questão é que para a personagem mais importante do filme eles escalaram, Cara Delevingne.

Não tenho nada contra a Cara e a sua vontade de seguir uma carreira no cinema, mas no momento que você escala um pessoa já comprovadamente wild para um personagem comprovadamente wild que é super importante para a história, bom aí teríamos um problema.

Do primeiro dia que anunciaram ela para o filme, duvidei e disse para todos que ‘estragaram’ o meu filme favorito ao escalarem ela.

E para provar que não é implicância minha, em uma das primeira cenas no centro de Orlando, ela fica com a cabeça para fora do carro, com uma expressão fechada e pensativa que poderia ser até original, se ela não tivesse já usado em várias campanhas, Instagram e desfiles.

No final é igual você ver os filmes da Jennifer Aniston sem ver as temporadas de Friends e depois. Antes você até a acha uma boa atriz, mas quando vê que tudo aquilo ela já fez em outro lugar com uma outra personagem, perde um pouco o encanto.

cidades-de-papel-2Talvez se a personagem que ela interpreta não fosse tão indiferente com o mundo, ela teria uma boa chance para mostrar o seu trabalho mas não aconteceu aqui.

Quanto ao restante do elenco, apesar de serem todos bons, dá para perceber que faltava alguém excelente ali para dar uma levantada no geral.

O diretor é Jake Schreier tem poucos filmes na sua bagagem, isso não é necessariamente desculpa para a interação do elenco em si, já que muito diretores novatos já conseguem isso de primeira, porém justifica alguns pontos.

Mas assim como no livro, o roteiro tratou de inserir várias cenas engraçadas e a sintonia entre Quentin, Radar e Ben funciona perfeitamente, assim como Angela junto com eles.

Como o livro tem uma road trip, o filme tratou de aproveitar isso da melhor forma possível e há algumas cenas de belas paisagens acompanhando é claro da melhor trilha indie que poderia se achar.

Se você não tem pressa para ver o filme, espere sair em DVD, junte os amigos e veja em casa. Talvez um ambiente mais relaxante e tranquilo o filme se torne maior e interessante do que no cinema.

Mas hey! e não gostei tanto de ACEDE (e não chorei também), então o que eu sei?

Ficha Técnica:

Título: Cidades de Papel
Título Original: Paper Towns
Diretor: Jake Schereier
Elenco: Nat Wolf, Cara Delevingne, Austin Abrams, Justice Smith e Halston Sage
Gênero: Comédia
País: EUA
Duração: 109 minutos
Nota: 6,5/10,0 estrelas

Deixe uma resposta