Chá das Cinco – A Londres que Shakespeare conheceu #WillShake

Por , 20 de setembro de 2015 17:00

Header post

Esse post faz parte do Desafio Shakespeare!

Para conhecer o desafio completo, clique AQUI!

Historicamente, é possível rastrear a criação de diversas cidades, e ao longo dos milhares de anos os humanos aprenderam que estar perto de um rio era uma boa opção.

Com isso, pequenos vilarejos da antiguidade que depois se transformaram em cidades, são cortados exatamente por esses rios, e Londres não foge dessa exceção.

No século 16, sob o comando da Rainha Elizabeth, Londres já era uma cidade com 70.000 habitantes, no começo do seu reinado e iria terminar com mais 200.000, um crescimento muito grande da população, devido as diversas oportunidades de trabalho, como Shakespeare que também saiu da sua cidade rumo a Londres.

londonbridge

Algumas ruas que se mantém até hoje já existiam nessa época, como a Oxford Street, enquanto grande parte da cidade que conhecemos hoje ainda estava em desenvolvimento.

Se tentar se orientar pela vista do Thames, hoje bem conhecida, poderá se perder. London Brigde, o Parlamento e até mesmo o atual Globe theater ainda não existiam, sendo que o último era localizado umas ruas atrás da sua atual posição.

O Palácio de Buckingham também não havia sido nem cogitado, porém a Torre de Londres já se erguia monumental e assustadora devido as diversas histórias de tortura que ocorriam ali.

Mas nem só de tristeza vivia a população, os teatros era diversos (Leia mais sobre eles aqui)e os pubs pipocavam para todos os lados.

Apesar de morarem na maior cidade, a população em sua maioria era iletrada e considerada propensa a acreditar nas diversas superstições (que já falamos aqui), mas isso também ajudava a os manterem sob os comandos da corte, que com isso ganharam muito dinheiro com as mais diversas negócios, principalmente com o Ouro.

O Rio Thames manteve a locomoção fácil com as pontes, mas lá eram penduradas as cabeças dos traidores, para lembrar a todos do que poderia acontecer se pensassem em ir contra os princípios da época.

Ainda vamos falar aqui, sobre o que sobreviveu da época para se visitar, mas Londres fazia só uma pequena parte da grande Inglaterra que desafiava a igreja e era comanda por uma mulher. E como era essa Inglaterra de verdade?

Essa resposta vai ficar para o próximo dia.

Break a Leg: Shakespeare além das peças

10372167 * The Time Traveller’s Guide to Elizabethan England de Ian Mortimer – 432 páginas

Deixe uma resposta