Chá das Cinco – Anne, a esposa de Shakespeare #WillShake

Por , 10 de outubro de 2015 17:00

Header post

Esse post faz parte do Desafio Shakespeare!

Para conhecer o desafio completo, clique AQUI!

Quando o nome Shakespeare aparece, muitas coisas vem a mente, mas a maioria conectada ao amor.

Os seus sonetos que foram tão presentes em declarações de amor nos últimos 400 anos, suas peças cheia de juras de amor complemente apaixonantes e histórias para fazer chorar e suspirar, até mesmo mesmo a trágica história de Romeu e Julieta é considerar uma grande história de amor.

Então porque quando o assunto é Anne Hathaway Shakespeare ela é tratada com a esposa sem sal de William?
Anne Hathaway, aos 21 anos, única filha mulher de uma fazendeiro tinha meios para sobreviver, mas que solteira não possuía o mesmo status que o seu dinheiro lhe provia.

William tinha 18 anos, e após anos com uma boa situação a sua família sofria a falta de dinheiro que o negócio do seu pai não gerava mais.

E para complicar o meio de campo, Anne ficou grávida da primeira filha do casal, deixando com o que a história e muitos estudiosos de Shakespeare colocasse Anne como a mulher que tirou de Shakespeare a chance de ter uma história de amor das suas peças.

Há vários fatos que colocam a teoria de que Anne e William não eram o casal perfeito, como ele ter deixado a família em Stratford durante toda a sua carreira de dramaturgo enquanto morava em Londres, poucos registros das suas voltas para a Stratford durante esse período, e claro, as muitas suspeitas de que William era homossexual.

Só que são essas mesmos fatos que podemos usar para perceber que se talvez William não tenha tido um grande amor na vida, mas encontrou em Anne uma grande amiga e apoiadora da sua carreira.

Anne era mais velha, mas ela também possuía os seus próprios meios e tinha tido uma educação mínima. William não se amarrou com qualquer mulher da região e juntos eles tiveram 3 filhos, duas meninas e um menino, que morreu ainda na infância.

Como não há registros, não podemos saber com exatidão, mas pelo teor das peças de Shakespeare, sabemos que as mulheres tem um papel importante na resolução de tudo, mas que muitas vezes não parece para todos. Quando o momento de mostrar quem elas realmente são se revela, elas vestem roupas masculinas e vão atrás para ajudar quem elas amam da forma que conseguirem.

Anne pode ter sido a maior apoiadora da carreira de William, pode ter lido os seus primeiros textos ou mesmo William ter lido para ela, ou ter visto a sua atuação em alguma peça de teatro local ou familiar e percebido que o talento do seu marido, era maior do que a necessidade dele morar com a sua família.

Além disso, como já relatamos aqui, Londres não era o lugar mais bonito e limpo para se morar na época, e trocar uma vida tranquila e depois bem confortável ( a família Shakespeare morava na segunda maior casa da cidade) por uma cidade empilhada de doenças e com três crianças, não parece interesse nem mesmo para mim hoje, imagina para uma mulher do século 16 criada no campo.

Como falta evidências suficientes, cada um pesa para um lado, mas gosto de pensar em Anne assim.

Além do mais, no final da sua vida, ainda bem de saúde, Shakespeare decidiu voltar para a sua cidade viver o resto da sua vida na casa com a sua família. Sendo um homem de posse e de bens nessa altura ele poderia escolher morar em qualquer lugar, mas voltou para a sua mulher e perto das filhas.

Há muito o que se especular sobre a sua vida, mas Anne não pode mais ser vista como a bruxa má que tanto foi pintada desde sempre.

William pode ter escrito sobre o amor que ele não teve nas suas peças, mas ele fez várias escolhas na vida que não podem ser ignoradas e muitas delas, envolve Anne.

Mas entre tantas boatos de homossexualidade da época, seria William gay? Essa é uma pergunta para o nosso próximos post.

Deixe uma resposta