Entre Páginas – O Sol é para todos

Por , 9 de novembro de 2015 12:00

índiceUm livro emblemático sobre racismo e injustiça: a história de um advogado que defende um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca nos Estados Unidos dos anos 1930 e enfrenta represálias da comunidade racista. O livro é narrado pela sensível Scout, filha do advogado. Uma história atemporal sobre tolerância, perda da inocência e conceito de justiça. ‘O Sol é Para Todos’, com seu texto “forte, melodramático, sutil, cômico” (The New Yorker) se tornou um clássico para todas as idades e gerações.

Esse é um daqueles clássicos que temos ao montes na nossas listas e estantes e ficam esperando um momento certo para serem lidos. Eu já havia ensaiado de ler esse livro, em dois momentos diferentes nesse ano, que por razões diversas não aconteceu.

Mas quando a linda da Sabrina aqui do Café trouxe uma edição para mim diretamente da Bienal do Livro do RJ, eu sabia que o momento tinha chegado e como sempre acontece com esses grandes livros, me arrependi de não ter lindo antes.

Scout é a narradora mais simples e inocente que já encontrei em um livro com uma temática tão complexa. Com o se jeito de criança moleca e passando por diversas transformações ao lado do irmão, Jem,ela vai descobrir após os eventos da história que o mundo é bem diferente do que ela imagina.

Porém, mesmo a narração ficando a cargo dela, conseguimos acompanhar os sentimentos do seu irmão Jem e do seu pai Atticus. Com o irmão sendo mais velho, ele percebe mais facilmente a dura realidade que estão vivendo e isso o modifica de uma forma que Scout, mesmo sendo próxima, não consegue compreender.

É incrível poder ler um livro que foi publicado há mais de 50 anos falando de um assunto que ainda hoje é atual, o racismo. Entretanto, no final você percebe que To Kill a Mockingbird no original é uma obra prima de proporções gigantescas e que fala sim da natureza humana e apesar de ser um história que poderia ser contada pelo ponto de vista de diversos personagens dali, a escolha de Scout foi acertada para nos fazer refletir, porque uma criança é aquilo que ela aprende ao seu redor, e pode ser duramente franca quando ninguém mais consegue.
Deixo aqui dois desafios:

1) Ler o livro sem chorar principalmente com os dois últimos capítulos;

2) Assistir o filme e não chorar nos últimos 10 minutos;

Se você conseguir essa façanha, pode voltar aqui e receber o seu prêmio de coração de pedra.

Ficha técnica:

Livro: O Sol é para todos

Autor: Harper Lee

Editora:  José Olympio

Páginas: 288

Classificação: 5/5 estrelas

2 comentários para “Entre Páginas – O Sol é para todos”

  1. Mari disse:

    Eu sempre tive curiosidade, mas esse livro acaba caindo no típico “vou ler depois”. Já ouvi coisas maravilhosas sobre ele e cada vez mais sinto vontade de vencer minha preguiça. Veremos.

    Beijos
    Mari
    http://pequenosretalhos.wordpress.com

    [Responder]

  2. Rita Gonçalves disse:

    Amei o livro e concordo com você: “Scout é a narradora mais simples e inocente que já encontrei em um livro com uma temática tão complexa.[…].”Há várias passagens muito intrigantes ; período conturbado , a ida dela ao encontro do pai – ingenuamente impede algo mais sério contra o advogado, é sensacional! também demorei a ler, porém, na medida que a narrativa avança , ganha forma e contornos especiais e nos apaixonamos pela pequena, cheguei a visualiza-la de ‘presunto’.Realmente valeu o prêmio para a autora! Abraços e obrigada.

    [Responder]

Deixe uma resposta