Fala Série! – Jessica Jones

Por , 5 de dezembro de 2015 20:47

Ainda vamos falar sobre a influência e como a Nextflix dominou as nossas preferências de séries durante 2015, mas como o ano ainda não acabou, bora comentar de mais uma série do serviço de streaming que nos fez ficar grudados no sofá: Jessica Jones.

jessica_jones Jessica Jones traz um olhar afiado, com recortes de suspense, sobre a vida de uma das personagens mais populares da Marvel na última década, e sua maneira de enfrentar os demônios interiores e exteriores.

Quando uma tragédia acaba com sua carreira de super-heroína, Jessica se dedica a reconstruir sua vida pessoal e profissional voltando à profissão de investigadora em Nova York.

marvels-jessica-jones-images_jyksMuito se pode falar de como a tecnologia está mudando os nossos hábitos. Para mim, a mudança foi drástica com eu me acostumando a ver uma temporada de uma vez.

Tirando Doctor Who, outras séries que são transmitidas normalmente na TV (como Scandal) eu já optei por não ler nada durante o ano e esperar para ver todos os episódios quando saírem.

Pode quebrar um pouco a emoção de acabar um episódio no cliffhanger e ter que esperar 2 meses pela resposta, mas com toda a minha temporada a minha frente de uma vez e eu podendo ver a hora que quiser, ficar toda semana assistindo um episódio, não é mais uma opção na minha vida.

Voltando para Jessica, não sou leitora de quadrinhos, mas sempre acompanhei os filmes e as séries e após uma incrível temporada de Demolidor, estava contando os dias para a estreia de Jessica Jones no Nextflx.

Muito se pode falar dessa heroína bem diferente do que estamos acostumados, e até o último momento ela duvida desse seu status, mesmo tendo passado 13 episódios fazendo exatamente isso.

Krysten Ritter caiu como uma luva no papel, enquanto o restante do elenco de apoio é muito bom, mas a história de Jessica concentrada em Kilgrave se arrasta nos primeiros episódios.

Faltou, como havia em Demolidor, Smallville e tantas outras séries de super heróis, aquelas histórias paralelas que o herói vai resolvendo enquanto corre atrás do seu grande inimigo. Lá pelo 4 episódios você já começa a cansar um pouco de tudo e para quem gosta de drink game, cuidado para não escolher a palavra ‘Kilgrave’, porque um como alcoólico antes do meio da temporada será o seu destino.

Quando a metade da temporada chega, você começa a até a duvidar se vai ser tão legal assim o final, e aí Kilgrave sai das sombras e das conversas para se materializar presente na série, e é nesse momento que tudo muda de figura.

imagesZKO77999A série é da Jessica, mas essa temporada é de Kilgrave. O personagem é interessante, mas é o talento de David Tennant que faz com que o personagem tenha várias nuances dentro de cada episódio.

Ele é insensível e cruel, amoroso e possessivo, caricato e sério. Em certo ponto, ele vai fazer até que você morra de dó do seu passado, e o grande acerto da série foi ter escolhido um ator tão dinâmico como Tennant para o papel.

Além disso, a atração dele com Ritter é palpável e toda a relação destrutiva entre ambos fica mais evidente e em vários momentos envolvente para o público.

Além de Jessica, Kilgrave transformou a vida de várias pessoas e os seus dramas também ganham um pouco de espaço na série, no final, não será a melhor série de 2015, mas abriu um bom caminho para as heroínas femininas da Marvel.

Sinopse: Minha Série

Deixe uma resposta