Pipoca Salgada – O Sol é para Todos

Por , 1 de janeiro de 2016 13:05

To_kill_a_mockingbird

Jean Louise Finch (Mary Badham) recorda que em 1932, quando tinha seis anos, Macomb, no Alabama, já era um lugarejo velho. Nesta época Tom Robinson (Brock Peters), um jovem negro, foi acusado de estuprar Mayella Violet Ewell (Collin Wilcox Paxton), uma jovem branca. Seu pai, Atticus Finch (Gregory Peck), um advogado extremamente íntegro, concordou em defendê-lo e, apesar de boa parte da cidade ser contra sua posição, ele decidiu ir adiante e fazer de tudo para absolver o réu.

1394672188772.cached
Quando você vira as últimas paginas de O Sol é para todos, (Leia a nossa resenha do livro AQUI), você percebe porque esse é um livro tão cultuado e importante nos EUA, porque ele está em todas as listas de livros deles e porque é considerado um grande clássico americano.

Sim, ele fala do grande problema racial e financeiro enfrentado pelo país e sobre as relações familiares, mas ele é um livro incrível bem escrito também, e escrito por uma mulher e que conta todo o ponto de vista de uma menina de 6 anos.

Quando resolvi ver o filme (também um clássico americano), já conhecia a história e não me surpreender com os desdobramentos, porque afinal é bem fiel ao livro, mas me surpreendi que como ao dar rosto e voz aqueles personagens a história ganhou outros ares.

to-kill-a-mockingbird-1O filme foi produzido um ano após o lançamento do livro em 1962 e se o filme tem a narração e o papel principal de duas crianças que não tinham experiência no cinema,mas eram excelentes, Gregory Peck como o Atticus foi a escolha certa.

Na verdade, Peck decidiu fazer o papel assim que leu o livro em uma sentada e dizem que esse era o seu filme favorito. E ao ver o filme para perceber porque um ator do seu calibre ficaria satisfeito em fazer parte do projeto.

Assim como não dá para imaginar como esse filme seria o mesmo sem ele.

O filme é em preto e branco, mas a grande beleza está na mensagem que ele passa, e não é só uma. Ele já foi considerado um dos filmes mais inspirados e dá para entender, a relação entre pai e filha/filho, a relação com toda a questão racial e os preconceitos da época, em todo momento o filme transborda amor, mesmo quando está se falando de ódio.

Um novo ano se inicia hoje e a mensagem de O Sol também se Levanta nunca foi tão importante (ou necessária). Portanto hoje, quando estiver pensando em ver um filme ou fazer a sua lista de resoluções para o ano que se inicia, recomendo que primeiro tire um tempo para ver esse filme. (Tem no Netflix!)

Atticus fala no começo do filme que você nunca realmente consegue entender uma pessoa, até que você considere as coisas do seu ponto de vista, até que você entre dentro da sua pele e a ande por aí.

E essa é só uma das milhares de lições que esse filme irá lhe mostrar (ou te relembrar).

Deixe uma resposta