Entre Páginas – The Raven King

Por , 2 de maio de 2016 9:00

Existe algo muito “bittersweet” no ato de ler o último livro de uma das suas séries preferidas. Ao mesmo tempo em que ficamos ansiosos para saber qual será o destino daqueles personagens, não queremos dizer adeus.

Esses foram os sentimentos que me receberam logo nas primeiras páginas de The Raven King, o último capítulo de The Raven Cycle, uma série impecável escrita por ninguém menos do que a minha autora favorita de todos os tempos: Maggie Stiefvater.

 

FullSizeRender (1)

 

Há anos Gansey está empenhado em uma jornada para encontrar um rei perdido. Um a um, ele foi atraindo companheiros para essa busca: Ronan, que rouba dos sonhos; Adam, cuja vida não pertence mais a si próprio; Noah, cuja vida não é mais uma mentira; e Blue, que ama Gansey… e está, de uma certa maneira, destinada a matá-lo.

Agora chegou o final da linha. Sonhos e pesadelos estão convergindo. Amor e perda são inseparáveis. E a busca de recusa a permanecer em apenas um caminho.

 

Atenção! Essa resenha contém spoilers de The Raven Boys, The Dream Thieves e Blue Lily, Lily Blue.

“He was a book, and he was holding his final pages, and he wanted to get to the end to find out how it went, and he didn’t want it to be over.”

Confesso que já iniciei a leitura de The Raven King com o coração na mão. Afinal, desde o prólogo do primeiro livro somos confrontados com a previsão de que, no período de um ano, Gansey irá morrer.

Se nos volumes anteriores essa ainda era uma possibilidade remota, neste livro os personagens que o cercam trabalham com um sentido de urgência, na tentativa desesperada de buscar uma forma de impedir a morte do líder do grupo de garotos – e garota – corvos.

“He was a king. This was the year he was going to die.”

Porém, não é só a morte iminente de Gansey que está mexendo com a tensão do grupo… Depois do final surpreendente (e arrepiante) de Blue Lily, Lily Blue, o quarteto tem que lidar com as consequências da atitude de Piper e Neeva, que acordaram um ser que deveria permanecer adormecido – e que vem para colocar tudo em risco: principalmente Cabeswater.

Uma corrida contra o tempo. É assim que melhor posso definir a narrativa de The Raven King. São tantos perigos, tantas tensões e aflições, que passamos a maior parte do livro segurando o fôlego e torcendo para que o melhor possa acontecer: que eles consigam parar o demônio desperto, que encontrem uma forma de driblar a previsão da morte de Gansey e que consigam salvar Cabeswater e tudo o que ela significa.

Apesar de a maior parte da obra ser voltada para esses momentos de tensão (e que por vezes nos fazem arrepiar de aflição), a autora também encontrou tempo para desenvolver bastante as relações entre os personagens – não há mais espaço para mentiras e meias verdades: agora as alianças se tornarão claras e todos os sentimentos vêm à tona (para alegria geral da nação). Em meio a essas revelações, também vemos o crescimento de um personagem que até então era um mero coadjuvante, mas que aos poucos vai ganhando a simpatia do grupo (e dos leitores): Henry Chang. O garoto mostra a que veio e prova que merece pertencer à equipe liderada por Gansey.

“What a strange constellation they all were.”

E, como se tudo isso ainda não fosse o suficiente para tornar The Raven King um final épico para a série The Raven Cycle, ainda temos o final da jornada em busca de Glendower – e que trará muitas surpresas não só para nós, mas para os personagens.

Terminei a leitura com o coração apertado por ter que me despedir de personagens que se tornaram tão queridos para mim, e com quem me embrenhei em uma jornada para lá de emocionante. Mas ao mesmo tempo, com um sorriso nos lábios, por comprovar que a Maggie se manteve fiel à sua forte narrativa e que encerrou brilhantemente uma história memorável. Só comprovei o meu amor por sua pena e me mantenho na expectativa para ver qual será a próxima surpresa que ela guarda para seus leitores (só sei que será um “stand alone” para adultos. Bring it on!)

“The head is too wise. The heart is all fire.”

 

*nível de inglês: médio/avançado*

 

Ficha Técnica:

Título: The Raven King

Autor: Maggie Stiefvater

Editora: Scholastic

Páginas: 438

Avaliação: 5/5 estrelas

Um comentário para “Entre Páginas – The Raven King”

  1. cristiane disse:

    Eu ainda estou tomando coragem de terminar Ladrão de Sonhos, porque sinceramente não estou suportando o Alan, que personagem mais mala, se orgulho fosse veneno, ele teria nas primeiras paginas, como cansa. Saber que Blue Lily tera algo impressionante me deixou ainda mais preocupada, alias como flui o romance? Sim, uma das garotas apaixonadas por HEA apareceu no seu blog hahaha,porque eles não tem nada de compatível. Aliás, o Gansey é até agora o melhor personagem que ela já criou, o clima de Lobos me prendeu, mas depois notei tantos buracos que desanimei com essa autora, parece que ela era outra pessoa, outra autora em Raven Boys, dando muito mais cenarios, contextos melhores.

    [Responder]

Deixe uma resposta