Pipoca Salgada – E o Vento Levou!

Por , 10 de junho de 2016 12:05

Esse é aquele filme, cumprido e complicado, que você tentou assistir quando criança, mas nunca teve paciência.

Esse é aquele filme que ficou durante anos na lista dos filmes mais vistos de todos os tempos. Até vir Titanic e tirar isso dele. Hoje em dia, ele não aparece, nem nos 10 mais lucrativos.

Esse é o filme, que ganhou 12 Oscars.

Esse é o filme, que você TEM QUE VER!

Gone-With-The-Wind-Poster-gone-with-the-wind-33266928-1667-2500

Uma reunião social acontece numa grande plantação na Georgia, Tara, cujo dono é Gerald O’Hara (Thomas Mitchell), um imigrante irlandês. Scarlett (Vivien Leigh), sua bela e teimosa filha adolescente que está apaixonada por um vizinho,  Ashley (Leslie Howard), o primogênito do patriarca de Twelve Oaks, só que Ashley está comprometido.

Scarlett é impulsiva e quer fazer de tudo para impressionar Ashley, o que gera várias das objeções de Mammy (Hattie McDowell), sua protetora escrava.

Durante um churrasco em Twelve Oaks Scarlett, Scarlett quer impressionar Ashley, mas é ofuscada pelo seu noivado e pela iminente guerra entre Norte e Sul americano. Só um cavalheiro discorda da guerra, e é  Rhett Buttler (Clark Gable), um aventureiro que tem o hábito de ser franco. Que acaba conhecendo Scarlett em uma situação complicada.

Revoltada com Ashley, ela resolve casar com Charles, irmão de Melanie Hamilton (Olivia de Havilland), que é noive de Ashley. Mas com a chegada da guerra, a vida das pessoas serão mudadas, e Scarlett terá que enfrentar situações desafiadoras.

Viúva, pobre e com várias pessoas para sustentar, Scarlett volta para Tara, sua terra natal, somente para encontrar mais destruição. Porém sua jornada não termina ali, e o futuro reserva várias reviravoltas, para a vida de Scarlett.

O que falar de …E o vento levou, no original Gone with the wind?

É sempre assustador falar de uma obra tão importante. Pesa na mão toda a magnitude. Mas ele não só tem um papel importante na história do cinema, como ainda consegue ser maravilhoso.

Quando eu assisto alguns filmes, como a trilogia O Senhor dos Anéis, eu consigo sentir que estou assistindo uma obra que foi feita já sabendo o que seria. A sua importância voa tela, para encontrar as minhas expectativas ou eleva-las.

E é isso que sinto quando assisto E o vento levou.

É uma história melodramática, e tem várias revés, mas essa é beleza e mensagem que a própria trama quer passar.

Vemos a trajetória inteira de Scarlett, ela passando de uma menina mimada para uma guerreira, e mesmo assim vários aspectos da sua personalidade continuam ali.  Isso foi o que mais fez gostar dela, acredito que experiências mudam as pessoas, mas que a sua essência continua ali dentro delas.

Mesmo quando tem que batalhar para conseguir alimentar as pessoas a sua volta, que agora são sua responsabilidade, ela ainda apresenta o seu gênio instável e exigente. Está tudo ali, só que aplicado em outro contexto.

Scarlett-OHara-Green-Curtains-Dress_thumb[7]Em uma das cenas mais bonitas, agarrada a terra de Tara, ela promete que nunca irá passar fome novamente. E é essa promessa, que carrega toda a importância da segunda parte do filme.

As consequências das suas ações aparece pelo caminho, e em alguns momentos alguns a consideram como insensível.

Mas pessoalmente, se eu tivesse passado por tudo que ela enfrentou, não posso dizer que não faria o mesmo. E puxando o meu lado feminista, ninguém pensaria assim se fosse um homem, todos pensariam “Ele só quis proteger a sua família”!

Tudo se encaixa para criar um filme memorável. Passando pelas atuações, que estão sublimes, principalmente de Vivien Leigh e Clark Gable, que tem uma química muito forte.

Ao assistir as cenas de beijo entre os dois, fico imaginando quantos beijos foram correspondidos dentro do cinema. Isso porque, são beijos discretos mais cheio de paixão e emoção, que dão vontade de beijar também! =D

Annex - Leigh, Vivien (Gone With the Wind)_16_thumb[4]

“Scarlett: Rhett, não. Eu vou desmaiar.
Rhett Butler:
Eu quero que você desmaie. E para isso que você foi feita. Nenhum dos tolos que você conheceu, jamais beijou você assim, Já? O seu Charles, o seu Frank, e o seu estúpido Ashley.

Os cenários e a fotografia estão de arrasar também, mas o que merece mais destaque no filme, são os figurinos. O’Hara usa um vestido mais bonito e inesquecível que o outro. O roteiro é outro ponto alto, com frases marcantes e um texto afiadíssimo.

Se você não se emocionar ou ficar tão tocada quanto eu, pelo menos terá assistido uma das obras-primas da sétima arte.

Esse não é meu filme favorito, mas se tivesse que escolher um filme para representar toda a nossa história do cinema, esse seria o escolhido.

Uma obra-prima. A melhor definição para esse filme.

2 comentários para “Pipoca Salgada – E o Vento Levou!”

  1. vivian disse:

    oie! eu sou doida p ler e ver o filme! o q vc sugere? ler primeiro? ou ver o filme primeiro? fico pensando q se eu ler primeiro o filme dps n tera tanta graça! me de sua opiniao! bjs

    [Responder]

    Fanny Ladeira disse:

    Olá Vivian,

    Admito que nunca li o livro, apesar dele estar na minha lista.
    Eu não tenho problema em ver o filme antes (apesar de sempre preferir ler o livro). Mas o filme é tão maravilhoso que se você for demorar um pouco para ler, porque não ver, né?

    Fanny

    [Responder]

Deixe uma resposta