Entre Páginas – Depois a louca sou eu #OlimpíadaLiterária

Por , 30 de junho de 2016 9:00

Seguindo as nossas “Olimpíadas Literárias”… O país de hoje é: Brasil!

Lá pelos idos dos anos 2000 existia um blog chamado Blônicas, que reunia crônicas diárias de diversos escritores, jornalistas e comunicadores.

Através da indicação de uma amiga do colégio, passei a acompanhar religiosamente as postagens desse site… E foi assim que tive contato com a escrita de pessoas que viria a acompanhar posteriormente como leitora. Entre eles: Rosana Hermann, Xico Sá e Tati Bernardi.

Meu primeiro contato com a obra da Tati foi através desses textos curtos, mas não menos ácidos e divertidos, que “tocavam o dedo na ferida” de forma irônica e direta.

Quando soube que ela será uma das autoras convidadas da FLIP (Festa Literária de Paraty) deste ano, resolvi conferir a leitura de seu mais novo livro: Depois a louca sou eu.

 

Depois a louca sou euEm Depois a louca sou eu, Tati Bernardi escreve sobre a ansiedade com um estilo escrachado, ágil, inteligente e confessional. As crises de pânico, a mania de organização, os remédios tarja-preta e os efeitos da ansiedade em sua vida aparecem sob o filtro de uma cabeça fervilhante de pensamentos, mãos trêmulas, falta de ar e, sobretudo, humor. Tati consegue falar de um tema complicado, provocar gargalhadas e ainda manter o pacto de seriedade com o leitor. A capacidade de rir de si mesma confere a tudo isso distância, graça e humanidade. Depois a louca sou eu é a entrada em cena de uma escritora que ombreia com os melhores da nova literatura brasileira.

 

Você já se viu inventando desculpas mirabolantes para não ir a algum lugar? Ou, se foi, ficou calculando a distância entre a sua mesa e a saída de emergência, enquanto procurada no celular a rota mais fácil para a sua casa?

Essas e outras situações “paranoicas” (???) do cotidiano são tema dessa obra verdadeira, cruel, mas ao mesmo tempo engraçadíssima da Tati Bernardi.

Em suas crônicas, a autora toca em assuntos delicados e por vezes difíceis, como crise de pânico, ansiedade, depressão e autoestima, mas de uma forma leve, escrachada, que nos leva a gargalhar sobre os nossos próprios medos e inseguranças.

Através de episódios tragicômicos de sua vida, ela desnuda suas neuroses e suas loucuras. E o mais assustador de tudo isso? É impossível não se identificar com algumas (ou todas) delas! Quem nunca ficou com medo de encarar uma reunião de trabalho importante? Ou passou mal longe de casa em um momento mais do que constrangedor? Ou até mesmo teve vontade de não sair da cama para enfrentar um dia difícil pela frente?

Esse é um dos talentos da autora: nos fazer rir de nossa própria desgraça e, ao mesmo tempo, descobrir que “é ok pensar nisso de vez em quando” e que “não estamos sozinhos nas nossas paranoias”.

Acho que o título do livro já diz tudo: depois a louca sou eu. Ou somos nós?

 

Ficha Técnica:

Título: Depois a louca sou eu

Autor: Tati Bernardi

Editora: Companhia das Letras

Páginas: 144

Avaliação: 3.5/5 estrelas

Deixe uma resposta