Entre Páginas – Love you, Hate you, Miss you

Por , 25 de julho de 2016 9:00

Eu amo YA. E livros como Love You, Hate You, Miss You da Elizabeth Scott é que faz esse amor crescer.

love-you-hate-you-miss-you1Amy tem 16 anos e está em uma clinica de reabilitação, é assim que começa o livro, sem maiores explicações, com ela narrando em forma de carta para Julia.

No começo não sabemos quem é a Julia e porque Amy está escrevendo uma carta para ela, mas aos poucos vamos conhecendo as duas.

A protagonista, não é uma menina adorável, nem muito comunicativa, na verdade a única amiga dela era Julia e assim mesmo as duas aprontavam bastante, ela não passou por uma fase ruim por isso não se qualificaria muito como um modelo, e agora ao sair da clinica nem está alegre com o fato de ter que encarar a preocupação de seus pais, que antes eram muito distantes.

Aos poucos, Amy conta como ela sempre bebia em festas porque não se sentia adequada, não se sentia muito bonita ou interessante, e ela conta como perdeu Julia, e vai revelando como ela se sente profundamente responsável por isso, o sentimento de culpa dela por ter perdido a amiga é avassalador.

É emocionante a luta dela, não tanto para superar o vício pelo álcool, mas para conseguir passar pelos dias sem a melhor amiga, sem a companheira que ela contava tudo e que dividia tudo. Em um momento ela conta, que sentiu vontade de se matar, mas que não fez, não porque não tinha coragem, mas porque merecia estar sentindo toda as emoções que a falta da amiga causava nela, toda a culpa.

Amy fala da saída da clinica, da dificuldade dos seus pais em tentarem criar um vinculo maior com a filha e da relutância dela de aceitar a nova atitude dos pais, da terapeuta e da volta as aulas, aonde ela não faz muito esforço para tentar se enturmar, e aos poucos vamos conhecendo o porque de todos os acontecimentos que levaram ela até aquele momento, mas é possível ver que a dor por ter perdido a amiga é muito maior que tudo.

Em outro momento muito emocionante, a mãe de Julia, grita para Amy tudo aquilo que ela sente sobre si mesma, tudo aquilo que ela gostaria que os pais lhe falassem, e mesmo assim tudo que Amy queria era conversar com a mãe de Julia, porque ela é a única que entende como é o mundo sem ela.

Isso me lembrou uma cena do filme Tudo acontece em Elizabethtown, aonde a viúva (Susan Sarandon), fala como o mundo continuou mesmo após a morte do seu marido, ela diz “eles não se importam, não como a gente”.

E é muito fácil se sentir a dor de Amy, porque aquela situação poderia acontecer com qualquer um, perder uma melhor amiga, é uma experiência que espero nunca viver, mas consigo começar a imaginar como seria difícil enfrentar cada dia. Tudo lembra Julia, e por isso, para Amy parece ser cada vez mais difícil conseguir deixar tudo para trás e prosseguir com a vida dela.

Alguns colegas da escola acabam ajudando, mas o mais importante ali é o Patrick, um garoto calado, que tem a sua própria história e com quem Amy já teve um rolo.

O final é para fazer chorar o mais forte de todos, trazendo um belo desfecho para o livro, mas já lá pela página 32 você sabe que está lendo um pequena joia. E é isso que “Love you, Miss You, Hate You” é uma joia.

 

Ficha Técnica:

Livro: Love You, Hate You, Miss You

Autora: Elizabeth Scott

Editora: HarperTeen

Páginas: 276 páginas

Nota: 5/5 estrelas

Deixe uma resposta