Blá Blá Blá – Crescendo com Hermione Granger

Por , 31 de julho de 2016 10:00

Não existiria Harry Potter como conhecemos, sem a Hermione Granger. E eu seria diferente sem essa personagem na minha vida.

Harry Potter é parte de mim.

Podem falar, bater ou tentar me persuadir, mas o poder que essa série tem na minha vida é muito grande. E começou em um momento crucial do meu crescimento.

Tive Harry Potter e a sua turminha me acompanhando durante toda a minha adolescência e o que li e as atitudes dos personagens, foram termômetros e referências em uma fase da vida em que não queremos escutar ou aceitar a opinião de ninguém.

Estou relendo a série toda a em inglês e falarei daqui de como cada livro parece diferente (e igual) depois de tanto tempo.

Mas não preciso terminar de reler para saber que a Hermione, de todos os personagens do livro, foi o melhor exemplo para mim.

Eu me interesso por assuntos diferentes e leio bastante, então nesses últimos 27 anos eu acabei sabendo de assuntos variados. Algumas pessoas me acham inteligente, mas eu simplesmente leio e vou atrás. Sem segredos.

Podemos aprender algumas coisas pelo caminho aleatoriamente, mas outras só conseguimos entender e aprender, literalmente, indo atrás.
Não há receita ou solução do que arregaçar as mangas.

vtacrvl
Se parar para contar às vezes em Hermione foi até a biblioteca (e arrastou os meninos com ela) para encontrar uma resposta, encontraríamos um número bem alto. Toda essa vontade de aprender, fez com que muitas vezes ela fosse a responsável de tirar Harry e Rony de enrascadas.

E mesmo lá atrás, eu sabia que era ler ou reler os livros, que batia uma vontade de ser esforçada e inteligente como ela.

Algumas pessoas podem pensar que Hermione era gênio, e por isso, ela tinha uma facilidade para aprender.

Mas é aí que reside uma das grandes lições que absorvi nos livros.

Harry tinha dom para o quadribol. Ele subiu pela primeira vez na vassoura e já sabia o que fazer e como fazer. Ele tinha o talento puro para aquilo.
Hermione tinha uma ótima memória, mas ela precisava estudar muito para ser a melhor da sala.

Em um mundo grande como o nosso, há poucos com um QI elevadíssimo que conseguem aprender e decifrar por osmose, praticamente sozinhos.
O resto, tem que correr atrás do tempo e das matérias para conseguir superar essa barreira. Eu, infelizmente, pertenço ao segundo grupo.

E eu, felizmente, tive Hermione Granger para me ensinar desde o primeiro momento em que ela aparece no livro, de que eu precisava estudar.
Estudar não só quando estamos em uma escola/faculdade, mas em tudo o que nos interessa.

Se ela não fosse assim, ficaríamos 7 livros sem saber um monte de segredos de Hogwarts que ela só sabia porque havia lido Hogwarts, Uma História.
DEC01-Noma-Dumezweni-who-will-play-Hermione-GrangerSe ela não fosse assim, eu seria um pouco diferente do que sou hoje.

Com a série, Rowling criou personagens e valores que eram bem claros quando tínhamos 15/16 anos.

Só que a medida que vamos crescendo, dá para perceber mais claramente como cada um tem o seu mérito, como ninguém é 100% mal ou 100% bom e que é preciso ter balanceamento em tudo na vida.

Sem os meninos por perto, Hermione passaria os 7 anos em Hogwarts somente estudando e isolada. Sem a Hermione por perto, eles teriam dificuldade em passar por todos os testes e de lutar contra o Voldemort.

Em um mundo em que as mulheres estão finalmente tomando os seus lugares (apesar das dificuldades e cobranças), foi bom crescer com a história de uma menina do mundo dos bruxos que sabia exatamente o que queria.

Hermione Granger, é uma ótima referência para qualquer menina, e eu fico extremamente grata de ter sido apresentada a ela com 11 anos, e como isso representa a minha personalidade 16 anos depois.

Obrigada Hermione. Obrigada Rowling.

178ee7a0d91fb8b3ceaf529c3b29cc1b

Crédito: Arte do desenho – Cory Simpson

Deixe uma resposta