Entre Páginas – Relendo Harry Potter em inglês: A Pedra Filosofal

Por , 1 de agosto de 2016 20:54

Depois de anos longe, eu resolvi reler Harry Potter e arriscar de uma forma diferente, lendo em inglês. Não sei se é a saudade ou as palavras, mas deu para saber porque amo tanto, já nos primeiros capítulos de Sorcerer’s Stone.

foto 2Harry Potter é um garoto cujos pais, feiticeiros, foram assassinados por um poderosíssimo bruxo quando ele ainda era um bebê. Ele foi levado, então, para a casa dos tios que nada tinham a ver com o sobrenatural. Pelo contrário. Até os 10 anos, Harry foi uma espécie de gata borralheira: maltratado pelos tios, herdava roupas velhas do primo gorducho, tinha óculos remendados e era tratado como um estorvo.

No dia de seu aniversário de 11 anos, entretanto, ele parece deslizar por um buraco sem fundo, como o de Alice no país das maravilhas, que o conduz a um mundo mágico. Descobre sua verdadeira história e seu destino: ser um aprendiz de feiticeiro até o dia em que terá que enfrentar a pior força do mal, o homem que assassinou seus pais. O menino de olhos verde, magricela e desengonçado, tão habituado à rejeição, descobre, também, que é um herói no universo dos magos. Potter fica sabendo que é a única pessoa a ter sobrevivido a um ataque do tal bruxo do mal e essa é a causa da marca em forma de raio que ele carrega na testa. Ele não é um garoto qualquer, ele sequer é um feiticeiro qualquer; ele é Harry Potter, símbolo de poder, resistência e um líder natural entre os sobrenaturais.

Há um ditado que eu adoro e que serve de base para vários livros que leio e amo: Não é o destino final que importa, é o caminho.

E isso combina perfeitamente com os vários livros do mesmo tema que leio, que apesar das suas similaridades, cada uma tem a sua história.

E o mesmo acontece com os livros que releio.

Aquelas pequenas joias que não podem ficar na minha estante sozinhos. Apesar de amar Harry Potter fazia uns bons anos que eu não relia a série. Devo ter lido As Relíquias da Morte quando o último filme saiu, mas a série inteira só quando o último livro saiu.

Motivada pelas noticias de A Criança Amaldiçoada, eu voltava a minha rotina de ler todos os livros anteriores do HP, para ler (ou nesse caso ver) o próximo.

O mais estranho quando relemos uma história tão querida é que conhecemos e ao mesmo tempo somos surpreendida com ela.

Talvez os muitos anos que esperei, ler Harry Potter em inglês não foi (ou não está sendo, já que ainda tenho 6 livros pela frente) tão difícil assim. Primeiro porque os filmes ajudaram muito e segundo porque o que s livros não fizeram, Pottermore tomou conta.

Mas ainda assim o livro reservava algumas surpresa, como a cobra do Brasil que aparece logo no começo do livro, e que no livro em inglês diz: ‘Thanks, amigo!”. Eu surtei e a minha tag teve que aguentar.

foto 1Por falar em TAG, esse foi o livro que eu mais marquei. Ever!

Criei até um sistema:

Roxas: Momentos importantes e icônicos, como ‘You’re a Witch Harry!”.

Rosas: Para aqueles momentos em que vemos uma cena ou um personagem de uma forma que diferente do que estamos acostumados ou  frases que significariam muito no futuro, como o Hagrid falando para o Harry que só um louco roubaria Gringontes.

Verdes: Para as palavras e expressões que fiquei em dúvida. Felizmente elas foram poucas.

Amarelos: Para cenas incríveis e que me fizeram ter uma nova visão do livro

Laranjas: Para frases icônicas

Um dos vários momentos que marquei com amarelo é como os menos menosprezam a Hermione até o dia do trasgo. Ela vai falar com eles, um pouco cheia de si, e leva uma. Volta outro dia e leva outra, e assim vamos vendo que ela estava bem sozinha.

Eu já sabia disso, vocês já sabiam disso, mas de alguma forma,ler isso hoje me fez perceber o quanto Hogwarts deve ter sido maravilhosa e solitária para ela naquelas primeiras semanas, sem amigos. E isso quebrou meu coração.

Apesar de tudo, o primeiro ano deles na escola foi muito tranquilo quando comparamos com os outros anos, mas ainda essa recheado de aventuras.

Reler em inglês, deu a oportunidade de relembrar as piadas que eu conhecia (porque a tradução brasileira sempre foi muito boa), mas também ver a diferença de linguagem entre Hagrid e os outros. OU eu não me lembro ou essa diferença não ficou tão evidente na tradução brasileira.

Com isso, escolher reler Harry Potter agora e especialmente em inglês, foi uma das minhas melhores escolhas esse ano.

Ficha Técnica:

Livro: Harry Potter and the Sorcerer’s Stone

Autora: J.K. Rowling

Editora: Scholastic

Páginas: 309

Nota: 5/5 estrelas

 

2 comentários para “Entre Páginas – Relendo Harry Potter em inglês: A Pedra Filosofal”

  1. Layana disse:

    Que legal ler em inglês! na minha infancia nunca li harry potter e comecei a ler esse ano. Vou tentar ler em ingles, depois de ver os filmes (pra entender melhor)

    [Responder]

    Fanny Ladeira disse:

    Está sendo um desafio por causa dos termos diferentes, e lembrar os nomes em português ainda é pior. hahaha.

    Os filmes ajudam bastante, mas nada supera os livros. Boa Leitura!

    [Responder]

Deixe uma resposta