Nota Musical – O Past, Present e Future: 15 anos de Strokes e a volta no Lolla 2017

Por , 17 de agosto de 2016 12:44

No dia 30 de julho de 2001 (15 anos atrás), uma pequena banda de Nova York lançava o seu CD estreia que revolucionaria uma vertente do rock. Era o lançamento de Is this It do The Strokes.

The-Strokes A última vez que The Strokes pisou no Brasil, foi em 2011 no (agora finado) Festival Planeta Terra. Fazia anos que a banda não vinha e os 20 mil ingressos acabaram no mesmo dia. Foi muita luta e briga para conseguir um ingresso.

Felizmente, a Thaís aqui do blog e eu, fomos uma das que conseguiriam, e ainda assistimos o show da grande. Saímos de lá mortas, com sede e com fome, mas realizadas.

Muitas bandas tentam reinventar a roda com um novo CD, mas poucos conseguem efetivamente essa façanha, e The Strokes foi exatamente uma delas.

Desde que fez um sucesso estrondoso com a sua estreia, com Is This It, The Strokes praticamente reviveu uma vertente para o Rock, o Indie Rock.  O sucesso deles, representou achegada de outras bandas do gênero como as mundialmente famosas Arctic Monkeys e The Killers.

Is This It, é hoje um dos verdadeiros clássicos da música indie como Someday, Hard to Explain, Take it or Leave it e a mais famosa, Last Night.
A banda, em 14 anos lançaria ainda mais 4 cds e um EP, se manteve relevante mesmo com a competição ferrenha de todos os lados.

O temido segundo CD de qualquer banda, para o The Strokes que lançaram Room on Fire em 2003, trouxe hits como What Ever Happened? e Reptilla.

Seguindo uma sequência bacana, em 2006 eles estrearam o First Impressions of Earth que teria um dos maiores hinos da banda, You Only Live Once.

Mas toda essa inspiração daria uma pausa, e eles voltariam só em 2011 com Angles, que apesar de questionável ainda tinha muito material legal para se trabalhar.

Ali eles estavam mais velhos, experientes e mais acabadinhos (Julian, eu estou olhando para você), apesar de não ter sido tão bem recebido pela critica, o álbum fez sucesso com os fãs que ainda conseguiam enxergar aquela banda tão cheia de energia e sons novos de 2001.

O mesmo não pode ser falado de Comedown Machine que foi um CD sem inspiração. Eles sequer saíram em turnê com ele. Ali, só há uma música que lembra o velho Strokes ou que mostre que eles ainda tinham algo para mostrar para o público.

Seria o fim?

Até poderia, mas depois de um tempo longe e fazendo projetos paralelos, a banda voltou com um EP, Future Present Past e estão fazendo alguns shows por aí.

Parece que a volta dele ao Brasil já está certa durante o Lollapalooza 2017.

Eu só acredito mesmo com o line up (original) na minha frente, mas que eles fariam um puta sucesso com o público do festival.

É quase impossível andar pelo Lolla e não ver as pessoas com camisetas da banda, mesmo sem nenhum integrante por perto.

O problema é que mesmo com o EP novo, quem gosta da banda está ali se agarrando ao passado, para superar as músicas novas.

O EP novo é bom, melhor do que Comedown, mas ainda assim fica bem longe do que a banda um dia já produziu.

Digo que quem curte, por que quem é fã escuta o CD até amar e não para antes disso.

A banda hoje tem o apelo para um grande festival no Brasil, em cima da sua história e dos seus hits e vai continuar relevante para esse mesmo público por muito tempo.

Mas precisa encontrar aquela criatividade e sagacidade lá do começo para atrair mais pessoas e se manterem relevantes.

Ficha Técnica:

StrokesÁlbum:  Future Present Past

Artista: The Strokes

Ano do Lançamento: 2016

Nota: 2,5/5 estrelas

 

Deixe uma resposta