Nota Musical – Review Anything But Words, de Banks & Steelz

Por , 19 de outubro de 2016 11:50

Se no começo do ano você me dissesse que um dos álbuns que mais ouviria em 2016 seria de hip hop, eu riria da sua cara pela sugestão. Mas a parceria que surgiu entre Paul Banks e RZA, e criou Anything But Words, me fez rever esse conceito.

banks-steelz

 

 

Tem alguns ritmos musicais que odeio e outros que não costumo curtir. Eu já ouvi muito Eminem na minha adolescência e até escuto uma música aqui e outra acolá de rap e hip hop. É um Emicida que aparece daqui, uma canção do Drake a acaba ficando por aí.

Não é um ritmo que tenha afinidade nem mesmo para tentar descobrir algo que possa gostar, e acabo continuando vivendo nessa leva.

Conheci o álbum exatamente através do Paul Banks. Líder, vocalista e guitarrista da banda Interpol, mesmo quando voou solo, continuou na sua mesma vertente.

Por isso, quando a turnê de El Pintor, último álbum da banda que eles tocaram no Lollapalooza de 2015,  o entendimento de todos era que se ele fosse fazer algo solo, seria uma continuação do passado. E quem esperou isso, levou um susto.

Isso porque os outros lado da parceria está RZA, rapper e ator e líder da banda Wu-Tang Clan.

É comum cantores fazerem uma transição ou até se aventurarem em novos ritmos, mas confesso que foi mais a curiosidade, do que qualquer coisa, que me levou a ouvir Anything But Words, lançado no final de agosto.

Precisava saber se tinha ficado bom, se estava ornando. E a feliz resposta que tive, foi um sim.

Antes do lançamento do álbum eles lançaram dois singles para sentir o público e são bem poderosas, Giants e Love and War, tem batidas poderosas e uma boa interação entre a os versos de rap e uma guitarra potente.

Você escuta duas vezes e já consegue cantarolar o refrão facilmente.

Ainda assim, quando o CD chegou por completo, as surpresas não pararam por aí.

Ana Electronic e Sword in the Stone são muito boas e serviriam perfeitamente como singles.

Conceal lembra um pouco o trabalho de Banks no Interpol, enquanto Speedway Sonora e Can’t Hardly Feel  fazem um balanceamento perfeito da bagagem de cada lado.

Mas é Wild Season, que eles conseguiriam ainda colocar a Florence Welch, do Florence and the Machine, que eles criam a canção do álbum e uma das minhas favoritas desse ano.

Sim, Anything But Words não é o que esperava, porque o que eu esperava estava dentro da minha zona de conforto musical. É um CD que não fez tanto barulho quanto deveria, mas que definitivamente me fez ouvir mais além do indie rock que estou tão acostumada.

Além disso, é álbum para ouvir on repeat, e são poucos esse ano que podemos falar o mesmo.

Ficha Técnica:

banks-steelz-anything-but-wordsÁlbum: Anything But Words

Artista: Banks & Steelz

Gravadora: Warner Bros

Nota: 4/5 estrelas

 

 

Deixe uma resposta