Pipoca Salgada – Um Tiro no Escuro

Por , 4 de novembro de 2016 12:00

Esqueça as tentativas frustradas de Stevie Martin, em tentar criar um filme digno para a franquia, porque os bons filmes da Pantera Cor de Rosa, são estrelados por Peter Sellers e dirigido por Blake Edwards.

 shot_thumb[3] O Inspetor Jacques Clouseau, vai atender um caso de assassinato na mansão de um importante magnata. O Comissário, depois de tira-lo do caso, e coagido a coloca-lo de volta no caso, porque “pessoas influentes exigiram”. Clouseau, então tem que analisar todos os fatos, começando pelo fato de Maria Gambrelli (Elke Sommer) , a criada, ter sido encontrada com a porta fechada segurando a arma do crime.

Mas Clouseau considera ela inocente e vai até o fundo para descobrir quem é o real assassino. É claro, que nesse meio tempo ele vai entrar em várias enrascada, problemas, e situações embaraçosas.

Quando vamos ao cinema assistir uma boa comédia, sempre encontramos as mesmas caras. Jim Carrey, Adam Sandler, Ben Stiler, são figuras fáceis em filmes que vão nos fazer chorar….de rir. Ou não em alguns casos.

E todos eles tem alguém para se inspirarem,e um dos maiores comediantes de todos os tempos não deve ficar de fora, Peter Sellers.

Celebre comediante da Época de Ouro de Hollywood, ele fez diversos filmes de sucesso, como Um convidado trapalhão, mas sempre ficará na memória como o atrapalhado inspetor Jacques Clouseau, dos filmes da série A Pantera Cor de Rosa.

clouseau_thumb[4]Talvez o melhor de toda a série seja Um tiro no escuro, A Shot in the Dark no original que foi lançado em 1964.

Ele foi o primeiro a ser lançado da série “Pantera” mas foi o segundo a ser filmado (coisas de Hollywood).

São tantas, tantas cenas de comédias pastelão (De qualidade) que fica difícil encontrar a mais engraçada entre elas, mas fico com as constantes prisões que Clouseau sofre, ao tentar se camuflar, e a todas as cenas do clube de Nudismo.

Sellers, tinha um jeito muito peculiar de montar os seus personagens, por exemplo, ele sumiu durante três dias de filmagens, e quando voltou o diretor estava pronto para “mata-ló”, até ele explicar que ficou seguindo um gerente de hotel, que tinha um sotaque peculiar. Foi quando surgiu o sotaque forte e diferente de Clouseau, e que Steve Martin tentou imita-lo, sem sucesso.

shotdark_thumb[2]Gosto como há muitas cenas de comédias, corporais, causados por expressões ou um maneira diferente de cair ou correr. Esse tipo de comédia exige mais do ator, e podemos ter uma percepção da qualidade dos atores.

A direção ficou a cargo do incrível Blake Edwards, que também dirigiu Bonequinha de Luxo e foi casado com a Julie Andrews até o seu falecimento.

É uma ótima comédia, e dá até mesmo para assistir com a família e todos merecem ver.

O cinema é para fazer pensar, mas também para entreter, e temos vidas tão corridas e complicadas que às vezes só precisamos de um filme que nos faça rir.

Rir de verdade. E nesse ponto, Um Tiro no Escuro é certeiro.

Deixe uma resposta