Entre Páginas – Pílulas Azuis

Por , 14 de novembro de 2016 11:30

2016 foi um ano que iniciei a ler HQ’s com mais frequência, e fico feliz de ter me esbarrado em Pílulas Azuis antes do ano terminar.

Pílulas azuisNesta narrativa gráfica pessoal e de rara pureza, por meio de um roteiro simples e de temas universais (o amor, a morte), Frederik Peeters conta sobre seu encontro e sua história com Cati, envolvendo o vírus ignóbil que entra em cena e muda tudo, e todas as emoções contraditórias que ele tem de aprender a gerenciar: amor, raiva, compaixão. Pílulas azuis nos permite acompanhar, sem nenhum vestígio de sentimentalismo, através de um prisma raramente (senão nunca) abordado, o cotidiano de uma relação cingida pelo HIV, sem deixar de lançar algumas verdades duras e surpreendentes sobre o assunto. Apesar da seriedade do tema, Pílulas azuis é uma obra cheia de leveza e humor.

Deve ter uma forma técnica para ler e avaliar uma HQ, mas ler uma narrativa divertida e interessante enquanto traços bem feito de um desenho são colocado na minha frente, é para mim, uma forma de diversão.

Quando leio, seja qual for o livro, sempre imagino as cenas como em um filme, situando em lugares e expressões que me remetem para aquilo que está escrito ali. Mas nos casos das HQ’s onde o desenho já esta ali, a minha lembrança mental se torna os traços.

Tanto que estranho, por exemplo, o Greg de O Diário de um Banana em carne e osso. Afinal, para mim o Greg é aquele do papel.

Pílulas Azuis não foi uma mudança nessa regra. O desenhos de Frederick Peeters dá vida em uma história com um toque de drama, mas que com o formato se torna mais leve. Contando a sua própria experiência e a da sua família, Frederick consegue dar o tom certo que a história merece, dosado bem entre momentos de duvida, de medo, de preocupação e também de uma realidade e simplicidade que pode surpreender muitas pessoas.

Usando como pano de fundo o HIV, as 202 páginas do trabalho traz uma abordagem diferente em um assunto ainda recheado de mistério e medo pela maior parte da população.

O grande ponto alto aqui é como ele não esconde nenhum momento importante como nos envolve em todos as grandes guinadas dessa relação e como elas foram decisivas para eles como um casal.

Em tempos onde parecem que as mentes estão se fechando, precisamos de mais livros como esse, que nos retratam que não existe só preto e branco e há muitas outras cores e formas de viver feliz e aceitando os desafios que o mundo nos deu.

Ficha Técnica:

Livro: Pílulas Azuis

Autor: Frederick Peeters

Editora: Nemo

Páginas: 202 páginas

Nota: 4/5 estrelas

Deixe uma resposta