#LendoKing 4 – As Terras Devastadas

Por , 5 de janeiro de 2017 12:30

Terceiro volume da série A Torre Negra… E eu finalmente comecei a me encantar pela saga épica de Stephen King!

 

Atenção! Pode conter spoilers dos primeiros volumes da série: O PistoleiroA Escolha dos Três.

 

img_4911

 

Neste romance emocionante, Roland, o último Pistoleiro, se aproxima ainda mais da Torre Negra de seus sonhos e pesadelos – atravessando um deserto amaldiçoado em um mundo macabro que é uma imagem distorcida do nosso próprio mundo.

Junto com Roland estão dois daqueles que ele levou consigo para esse universo: o ex-viciado nova-iorquino Eddie Dean e Susannah, nova identidade da mulher que combina em um mesmo corpo duas personalidades distintas. À sua frente estão as extraordinárias revelações sobre quem ele é e o que o motiva em sua busca. E contra ele se perfila uma legião cada vez mais numerosa de inimigos, humanos ou não.

À medida que o ritmo da ação e aventura, da descoberta e do perigo se acelera cada vez mais, o leitor é irremediavelmente absorvido por um drama espetacular ao mesmo tempo assustador como um pesadelo… e estranhamente familiar.

 

Se você está acompanhando a nossa jornada pelo desbravamento da série A Torre Negra, pôde perceber que nem eu nem a Fanny havíamos sido arrebatadas por essa leitura. Não que os primeiros volumes não tenham sido bons… Porém, acredito que falo por nós duas quando digo que essas obras passam muito longe de tudo o que já tínhamos lido até então.

Distopia, fantasia, horror… As três vertentes (e muitas outras mais) se encontram nas páginas da saga, em uma combinação que, a princípio, parece muito louca. Mas que de alguma forma deu certo!

Para mim, este terceiro volume foi um divisor de águas. Até então estava apenas curiosa por saber onde a jornada de Roland o levaria, mas para mim o ritmo da narrativa se encontrava um tanto lento. O Pistoleiro é um livro bastante introdutório, que nos insere completamente no escuro em um universo inóspito e desconhecido e não responde quase nenhuma das muitas dúvidas que desperta. Em A Escolha dos Três somos apresentados finalmente aos companheiros de aventura do pistoleiro e, apesar de ter me empolgado bastante com o começo desta obra, no final já a sentia um pouco arrastada… Mas pressentia que ela nos levaria a algum lugar.

E aí veio As Terras Devastadas. Aqui não temos mais aquele período de aclimatação: já somos jogados em uma narrativa frenética, recheada de perigos e momentos de tensões e passamos a encontrar algumas das respostas tão buscadas.

Neste volume, também começamos a conhecer melhor os nossos protagonistas – e o papel de cada um em seu Ka-tet. Nesse sentido, me surpreendi bem positivamente com Eddie e sua sensibilidade para transpor as barreiras do universo em que se encontra. Quem diria que ele se revelaria a chave para ligar dois mundos e atrair um membro importante do grupo?

Falando nisso, sem entregar muito o jogo, devo dizer que gostei muito de acompanhar as duas linhas narrativas presentes no começo da obra. A forma com a qual King descreveu a angústia dos personagens em viver duas linhas temporais ao mesmo tempo é tão envolvente que me via praticamente sem ar ao terminar um capítulo.

No final da leitura, já estava tão fisgada pelos personagens, pelo enredo e por seus mistérios, que minha vontade era começar imediatamente o quarto volume. Resultado: já estou mais que ansiosa pelas páginas de Mago e Vidro!

 

Ficha Técnica:

Título: As Terras Devastadas (The Wated Lands)

Autor: Stephen King

Editora: Ponto de Leitura (Suma de Letras)

Páginas: 640

Avaliação da Sabrina: 4/5 estrelas

Avaliação da Fanny: Ainda Lendo! Em breve, ela acrescenta a sua avaliação

Deixe uma resposta