Entre Páginas – Dois irmãos

Por , 9 de janeiro de 2017 9:00

Tem alguns livros que nos perseguem.

Você nunca havia ouvido falar nele quando, BOOM: de uma hora para outra ele está em todo lugar.

Essa é mais ou menos a minha história com Dois irmãos, do autor brasileiro Milton Hatoum. A obra não é tão recente (foi publicada há quase vinte anos), mas foi mais recentemente que passei a me deparar com ela em diversos blogs, canais literários e, agora, na chamada de uma nova produção seriada da Rede Globo, que irá ao ar a partir de hoje.

Sendo assim, resolvi partir para esta leitura e o resultado não poderia ter sido melhor!

 

img_5401

 

Onze anos depois da publicação de’Relato de um Certo Oriente’, Milton Hatoum retoma os temas do drama familiar e da casa que se desfaz. ‘Dois Irmãos’ é a história de como se constroem as relações de identidade e diferença numa família em crise. O enredo desta vez tem como centro a história de dois irmãos gêmeos – Yaqub e Omar – e suas relações com a mãe, o pai e a irmã. Moram na mesma casa Domingas, empregada da família, e seu filho. Esse menino – o filho da empregada – narra, trinta anos depois, os dramas que testemunhou calado. Buscando a identidade de seu pai entre os homens da casa, ele tenta reconstruir os cacos do passado, ora como testemunha, ora como quem ouviu e guardou, mudo, as histórias dos outros. Do seu canto, ele vê personagens que se entregam ao incesto, à vingança, à paixão desmesurada. O lugar da família se estende ao espaço de Manaus, o porto à margem do rio Negro: a cidade e o rio, metáforas das ruínas e da passagem do tempo, acompanham o andamento do drama familiar. Prêmio Jabuti 2001 de Melhor Romance.

 

Me joguei na narrativa sem saber muito sobre ela. Tudo o que eu conhecia a respeito do enredo era o fato de a trama girar em torno de dois irmãos que possuem uma rivalidade extrema, o que gera um grande conflito na vida de todos que estão a sua volta.

Confesso que iniciei a leitura um tanto ressabiada, com medo de que a escrita de Hatoum fosse um tanto hermética e inalcançável. Portanto, qual foi a minha surpresa quando me vi mergulhada em um texto delicioso e viciante?!

Através de uma narrativa fluida, mas ao mesmo tempo poética, somos transportados para a Manaus da primeira metade do século XX, onde acompanhamos a história de Yaqub e Omar, os filhos de Zana e Halim. Gêmeos, os dois tinham uma relação tolerável até mais ou menos os 13 anos de idade quando, movidos pelo ciúme, ambos se encontram no âmago de uma tragédia familiar. A partir de então, inicia-se uma rivalidade que causaria muito sofrimento a todos.

Além de acompanharmos o desenrolar desse conflito de forma cronológica, em alguns capítulos somos transportados para o passado, onde conhecemos mais sobre a origem da família: a forma como Halim, de origem libanesa, conheceu e conquistou Zana; a trajetória que levou Domingas a se tornar a empregada fiel da família; e o contexto histórico do Brasil daquela época, sempre presento no pano de fundo da história dos personagens.

Aliás, a ambientação foi uma das coisas que mais me encantou nesta obra. Apesar de ter aumentado bastante a quantidade de livros de autores nacionais nas minhas metas de leitura, confesso que o eixo Rio-São Paulo ainda é o que mais impera nas minhas obras selecionadas. Por isso mesmo, adorei vislumbrar um pouco mais o crescimento de Manaus atrelado à história de Yaqub e Omar.

Vale ressaltar que esta obra de Hatoum não é um livro de ação, pontuado por reviravoltas e cenas hollywoodianas. Pelo contrário: apesar de ter sim um certo suspense na linha narrativa, o texto tem um quê de introspecção, com uma carga emotiva muito forte. Os sentimentos dos personagens são bem extremos – parece que tudo é exacerbado: a paixão, o ódio, o amor… Zana e sua fixação pelo filho Caçula que o digam! Mas tudo isso só deixa a história ainda mais rica e envolvente.

Saí da leitura de Dois irmãos com uma saudade enorme de suas páginas e com uma baita vontade de ir atrás de mais e mais obras de Miton Hatoum. Que venham as próximas!

 

Ficha Técnica:

Título: Dois irmãos

Autor: Milton Hatoum

Editora: Companhia de Bolso

Páginas: 200

Avaliação da Sabrina: 4.5/5 estrelas

Um comentário para “Entre Páginas – Dois irmãos”

  1. Layana disse:

    Me interessei pelo livro depois que vi que a Globo fez uma adaptação para a TV. Já perdi a estreia
    Mas quero ler o livro ainda rsrs

    [Responder]

Deixe uma resposta