Pipoca Salgada – La La Land, A cidade das estrelas #CafenoOscar

Por , 20 de janeiro de 2017 11:38

Expectativa é uma merda. La La Land que o diga.

011224

Ao chegar em Los Angeles o pianista de jazz Sebastian (Ryan Gosling) conhece a atriz iniciante Mia (Emma Stone) e os dois se apaixonam perdidamente. Em busca de oportunidades para suas carreiras na competitiva cidade, os jovens tentam fazer o relacionamento amoroso dar certo enquanto perseguem fama e sucesso.

Desde que o buzz começou lá fora, (e as indicações e prêmios começaram a pipocar) eu fiquei louca para ver La La Land, novo filme de Damien Chazelle responsável por Whiplash.

Olhei quando estrearia e a data tão distante, me deixou triste e ainda mais ansiosa para ver o que exatamente acontecia ali.

E quando começou a sair review atrás de review, com todos praticamente unânimes e nos deixando acreditar que era o melhor filme dos últimos tempos.

Como disse, expectativa é uma merda.

La La Land é muito bem feito e é um bom filme. A fotografia é maravilhosa, a trilha é bem precisa e a música principal (City of Stars), conquista os corações não importa em qual versão esteja sendo tocada ao longo do filme.

Emma está incrível como Mia, e enquanto não vemos o resto dos filmes da temporada, afirmamos que uma indicação ao Oscar será muito merecida.

É um bom filme. E pronto.

 

tumblr_ojypmz3P2c1sghgn2o8_500

Sim, ele trás alguns elementos de musicais famosos e faz pequenas referências e homenagens. Em um certo momento, o personagem de Ryan Gosling, Sebastian, fala como tem dificuldade em acertar que o Jazz absorver elementos atuais para cativar o público.

Para ele, não é necessário essa junção.

O filme em si vai na pista contrária, com Damien Chazzelle criando um filme onde ele pega exatamente esses musicais antigos e vai juntando com elementos novos para criar um produto que agrade a uma nova geração.

Eu entendi e aplaudo a iniciativa, ela funciona na maioria das vezes. Gosto da relação de Mia e Sebastian, como a vida deles se cruzam em vários momentos, gostei das músicas e de como ele deu um final diferente do que a maioria esperava.

Mas faltou uma ‘cola’ que grudasse todos esses elementos em um e me fizesse sentir conectada com tudo o que estava acontecendo.

Essa não é a primeira vez que me sinto dessa forma com um filme que fez sucesso (não derrubei uma única lágrima com A culpa é das estrelas), mas outros filmes lançados recentemente como A Chegada e A Luz entre os Oceanos ‘falaram’ mais comigo do que La La Land.

E nem é por falta de amor por musicais, muito pelo contrário! Eu amo o gênero, mas comparar o filme com clássicos como Cantando na Chuva, Gigi e outros é injusto dos dois lados.

Da mesma forma que não há justificativa para falar que o filme está trazendo os musicais de volta. Foram filmes como Moulin Rouge, Chicago, Les Mis e até High School Musical que pavimentaram o público nos últimos anos anteriores para fazer com que o gênero fosse revisto.

De qualquer forma, ainda sugiro que você vá ao cinema ver. Não estará gastando o seu dinheiro à toa, porque o filme é muito bom. De verdade! Tanto que já colocamos ele dentro da categoria #CafenoOscar porque só uma grande zebra tira eles da jogada.

Para mim, só fica a certeza de que talvez eu não tivesse ido com tanta expectativa, tivesse gostado mais.

Ficha Técnica:

Filme: La La Land: Cantando Estações

Direção: Damien Chazelle

Elenco: Emma Stones, Ryan Gosling e J.K. Simmons

Ano: 2017

Deixe uma resposta