Pipoca Salgada – Estrelas além do Tempo

Por , 3 de fevereiro de 2017 7:30

Não esperava muito de Estrelas Além do Tempo, mas fui surpreendida por uma história lindamente contada.

#CafenoOscar

Estrelas Além do Tempo concorre em 3 categorias: Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Atriz Coadjuvante (Octavia Spencer)

hiddenfigures4

Em plena Guerra Fria, em 1961, Estados Unidos e União Soviética disputam a supremacia na corrida espacial ao mesmo tempo em que a sociedade norte-americana lida com uma profunda cisão racial, entre brancos e negros. Tal situação é refletida também na NASA, onde um grupo de funcionárias negras é obrigada a trabalhar a parte. É lá que estão Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughn (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe), grandes amigas que, além de provar sua competência dia após dia, precisam lidar com o preconceito arraigado para que consigam ascender na hierarquia da NASA.

História sobre Nasa, a corrida espacial e qualquer coisa do gênero me fascinam ao extremo. Eu não tenho a capacidade para entender algumas coisas que está acontecendo,algumas explicações mais técnicas que podem fazer sentido para quem é físico ou conseguiu aprender muita coisas na aula, mas apesar dessa limitação, esses livros, documentários e filmes me fascinam.

Quando li a sinopse de Estrelas Além do Tempo, sabia que era um filme que não perderia, não importando quantas estrelas de nota lhe daria no final, e felizmente o resultado final superou as minhas expectativas.

E isso não era uma tarefa fácil.

 

485972.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxxSendo um filme que retrataria a corrida espacial, com mulheres negras, havia muitos momentos em que o filme poderia se tender para o lado extremamente técnico e deixar de lado os desafios sociais da época ou fazer o caminho contrário. Mas nenhuma dessas coisas aconteceram e o filme faz um caminho acertado e único.

Kaherine, Dorothy e Mary são tão competentes quanto os seus colegas homens e as suas colegas mulheres brancas, mas ainda assim tem que enfrentar uma segregação dentro da Nasa que elas aceitam de uma forma resignada, mas ainda assim dura.

Ainda que várias formas de racismo acontecem diariamente dentro da nossa sociedade (uma nação criada a partir de várias nacionalidades e mesmo assim ainda enraizada valores tão distorcidos), mas principalmente por ter um noção tão grande sobre isso eu sempre me sinto impressionada com as segregações fortes que aconteceram dentro de países como os EUA e África do Sul.

A divisão de bancos, bebedouros, banheiros e até mesmo bibliotecas me fazem sentir um aperto de revolta no peito, e Estrelas além do Tempo mostra isso da forma que era, sem melodramas.

Em certo momento Katherine tem que atravessar mais de um quilometro para ir ao banheiro todo dia, e ela só menciona isso quando é confrontada pelo seu chefe. Ela aceita a realidade de em que vive, para conseguir ir além dentro de um ambiente tão hostil.

E para completar tudo isso, todas elas vão embora par casa para encontrar seus maridos, filhos e comunidades que as tem como um símbolo das oportunidades que eles podem ter em uma sociedade tão fechada para eles.

Estrelas além do tempoSó que quando a pessoa é brilhante, tem força de vontade e as oportunidades certas, elas conseguem brilhar, mesmo quando todo uma sociedade lhe fala o contrário. E com essa maravilhosa mensagem que vamos navegando pela trama do filme.

Como disse o balanceamento de todos os elementos do filme foi perfeito, e  roteiro de Theodore Melfi (também diretor) e não é por nada que tanto o filme quanto o roteiro foram indicados ao Oscar.

A terceira indicação do filme saiu para Octavia Spencer como atriz coadjuvante e apesar da academia só ter lembrado delas, Taraji e Janelle também estão incríveis.

No título original, o nome do filme é Hidden Fugures, que na tradução literal seria Figuras escondidas. Exatamente porque ela são pouco lembradas, ou nem ao menos citadas (o que acontecia muito facilmente com as mulheres na ciência).

O Oscar pode estar aprendendo com os seus erros do passado e olhando de outra forma para os filmes com atores negros, mas a qualidade de Estrelas além do tempo, mostra que sim, há espaço para todo mundo brilhar, eles só precisam ser reconhecidos.

 

Ficha Técnica:

Filme: Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures)

Diretor: Theodore Melfi

Ano de Lançamento: 2017

Duração: 2h 07 min

Nota: 9/10 estrelas

Crédito da Sinopse: Adoro Cinema

2 comentários para “Pipoca Salgada – Estrelas além do Tempo”

  1. Nanda disse:

    Quero muito assistir esse filme. Estou lendo o livro e gostando bastante. Sabe eu li “‘Hidden Figures’ Director Defends Decision to Add Fictitious White Savior Scenes to Movie” essa notícia. O que vc acha sobre o assunto?

    PS: O livro é um pouco técnico caso tenha intenção ler.

    [Responder]

    Fanny Ladeira disse:

    Eu tenho muito interesse em tudo sobre o espaço e corrida espacial (apesar de não ser muito boa em matemática), com certeza vou procurar o hidden figures.

    Sobre a notícia, ainda vamos fazer um post especial sobre a questão dos negros no Oscar e nos filmes pq temos 3 filmes com temas parecido, mas ao descobrir que o personagem não fez exatamente aquilo na vida real não me surpreende.

    Entendo pq colocar, pq são episódios que devem encher de vergonha muitos americanos e deve ser bom inserir algo que melhor isso.

    Beijos,

    Fanny

    [Responder]

Deixe uma resposta