Pipoca Salgada – 50 tons, assim fica difícil te defender

Por , 14 de fevereiro de 2017 18:42

Quando as criticas negativa ao segundo filme começaram a pipocar, ficamos muito preocupadas. Mas depois de ver o filme, entendemos cada uma delas.

591342

Incomodada com os hábitos e atitudes de Christian Grey (Jamie Dornan), Anastasia (Dakota Johnson) decide terminar o relacionamento e focar no desenvolvimento de sua carreira. Ele, no entanto, não desiste tão fácil e fica sempre ao seu encalço, insistindo que aceita as regras dela. Tal cortejo acaba funcionando e ela reinicia o relacionamento com o jovem milionário, sendo que, aos poucos, passa a compreender melhor os jogos sexuais que ele tanto aprecia.

Se tem uma coisa que não temos, é preconceito com romances mais picantes. Pode olhar todas as nossas menções, reviews e escolhas para perceber que é algo muito rotineiro nas nossas vidas e no blog.

Desde que a fama de 50 tons começou a surgir, tivemos que defender aquilo que acreditávamos e gostávamos com mais afinco.

E apesar de termos tido muita cautela, o primeiro filme da série nos surpreendeu de uma forma muito boa. Era um filme na medida certa! Tem romance, cenas picantes e alguns erros, mas no final era bom filme, e isso foi o suficiente.

A continuação tinha tudo para seguir pelo mesmo caminho, porém, ficou bem longe disso.

O filme tem seus pontos altos, como boas músicas, cenas engraçadas e um Christian mais humano. Eles acertaram em escalar um cara extremamente gato como o Jack. Em vários cenas dele eu tive que me lembrar que ele era um psicopata perigoso.

No livro não tem Grey passeando por um supermercado, mas ainda assim foi interessante a forma como eles tentaram mostrar esse lado humano de uma forma que conversasse com a platéia.

Só que 50 tons mais escuros, que perdeu a diretora e a roteirista do primeiro, tem muito mais erros que acertos.

rs_600x600-160913103803-FB-600-fifty-shades-darkerE a maioria deles estão concentrados nos cortes excessivos e cenas clichês. Já nos 10 primeiro minutos inicias, você consegue perceber e se incomodar com todas essas falhas.

E não há uma única cena que consiga vencer isso.

Conversas e discussões são interrompidas sem mais nem menos. Ana está brava com ele e no próximo enquadramento eles já estão em outro lugar com ela rindo para ele como se nada tivesse acontecido.  Em certos momentos, você até se perdia no que a Ana queria dizer no começo da cena.

Ritmo é importante para que qualquer filme consiga desenvolver a história e segurar o público, mas esse ponto em questão parece nem ter entrado na pauta de discussão.

Mesmo as partes mais picantes são cortadas de uma hora para outra, sem o devido cuidado e atenção e até mesmo o enquadramento da câmera estava errado em cenas simples.

E com tudo isso, Dakota e Jamie pareciam estarem mais perdidos no papel do que no primeiro filme. Não os culpo, porque muitas vezes a culpa é do diretor, e pela a quantidade de erros do produto final, ele é o culpado mesmo.

Como grandes fãs de cinema, há algumas coisas que simplesmente não conseguimos passar, e cenas clichês  pipocam a todo momento. Ana andando na chuva, sem um destino, com lugares desconexos e sem molhar o cabelo!

Em uma cena que envolve um copo e um tapa na cara, foi tão fake que qualquer novela mexicana deixaria no chinelo.

50_tons

E só citei alguns exemplos, há tantos outros erros bobos (como lingeries complicadas que somem do corpo de Anastácia de uma hora para outra sem explicação, toda a sequencia do acidente do helicóptero e etc), que juntando tudo isso, muitas cenas que não deveriam ter sido engraçadas, se tornaram, exatamente porque não restava mais nada a fazer além de rir.

Como a Universal conseguiu estragar uma série que não estava estragada, eu ainda precisaria estudar muito para saber

Faltando um ano para 50 Tons de Liberdade, espero o próximo filme com muita pouca esperança e quem sabe com o fato de não ter rolado NENHUMA critica positiva, possa ajudar eles a perceberem (e consertarem) tudo.

Ficha Técnica:

Filme: 50 tons mais Escuros

Diretor: James Foley

Elenco: Dakota Jonhson, Jamie Dornan e Kim Bassinger.

Ano de Lançamento: 2017

Nota: 1/5 estrelas

Sinopse: Adoro Cinema

 

Deixe uma resposta