Pipoca Salgada – Manchester à Beira-Mar

Por , 20 de fevereiro de 2017 12:42

#CafénoOscar – Manchester à Beira-Mar está concorrendo em 6 categorias: Melhor Filme, Melhor Ator (Casey Affleck), Melhor Ator Coadjuvante (Lucas Hedges), Melhor Atriz Coadjuvante (Michelle Williams), Melhor Direção e Melhor Roteiro Original.

Literalmente não esperava nada desse filme, e fui surpreendida do começo ao fim.

manchester_by_the_sea_xxlg

Lee Chandler (Casey Affleck) é forçado a retornar para sua cidade natal com o objetivo de tomar conta de seu sobrinho adolescente após o pai (Kyle Chandler) do rapaz, seu irmão, falecer precocemente. Este retorno ficará ainda mais complicado quando Lee precisar enfrentar as razões que o fizeram ir embora e deixar sua família para trás, anos antes.

Há pessoas que não ligam, mas viver em um mundo spoiler free é magnífico! Você consegue saborear a experiência (seja livro, cinema ou TV) de uma forma mais pura.

Eu não li quase nada sobre Manchester à beira-mar, mas sabia que teria que ver no momento em que ele foi indicado a categoria de Melhor filme do Oscar 2017.

Só que me afastar disso, foi a melhor coisa que poderia ter feito.

Mas ainda assim, cobrir o Oscar aqui no Café tem se tornando uma aventura todos os anos e faz muitos anos que não vejo todos os indicados da principal categoria. Não há melhor forma de aproveitar a cerimônia.

E foi com essa cabeça que fui atrás desse pequeno filme lançado pelo serviço de streaming Amazon (no Brasil ele foi lançado pela Sony Pictures). Ele pode sair sem nenhum estatueta no domingo, dia 26, mas já fez história dentro de um mundo de transformação que o entretenimento está passando.

O roteiro e direção ficou a cargo de Kenneth Lonergan, que trabalhou em alguns grandes filmes no passado (ele é o roteirista de Gangues de Nova York), e que conquistou a sua quarta indicação como roteirista.

MBTS_1558.CR2A trama de Manchester à Beira-Mar é beneficiado por dois grandes motivos, a ‘ordem certa’ que Lonergan optou para cantar essa história, não seguindo uma sequencia linear para tudo.

Com isso, vamos descobrindo mais detalhes com o tempo, que vai nos ajudando a montar a personalidade e a vida de Lee.

E o segundo grande motivo é o local escolhido para a história se passar. Sendo uma cidade do litoral pequena, ela reserva toda a beleza de um lugar escolhido e talhado a dedo, mas que esconde grandes magoas e histórias de seus moradores.

Se a história se passasse em uma cidade grande, teria um clima e uma abordagem diferente, não dando o mesmo peso.

Como disse, aproveitei a experiência de Manchester exatamente por não saber muitos detalhes da história e é assim que vou lhe encaminhar para ver esse filme.

Única grande ressalva é que não gostei da atuação de Casey Affleck, mesmo ele sendo um grande candidato para o Oscar de Melhor Ator. Para mim ele teve poucas expressões o filme inteiro e não conseguiu me passar a emoção necessária. Michelle Williams nas poucas cenas que aparece, dá mais conta do recado que ele (apesar de não acreditar que ela merecia uma indicação).

Mesmo assim, é um filme muito tocante e que merece ser visto.

Ficha Técnica:

Filme: Manchester à Beira-Mar

Direção: Kenneth Lonergan

Elenco: Casey Affleck, Michelle Williams e Kyle Chandler

Ano: 2016

Nota: 4/5 estrelas

Deixe uma resposta