Pipoca Salgada – Moonlight: Sob a Luz do Luar

Por , 24 de fevereiro de 2017 21:39

Depois de tanta polêmica envolvida no último ano no Oscar, quem diria que esse ano vários filmes com personagens negros teriam uma abertura tão boa, e sendo assim, um desses filmes com a maior aprovação da crítica especializada?

Moonlight_Café_no_oscar_2017_café_com_blablabla

Três momentos da vida de Chiron, um jovem negro morador de uma comunidade pobre de Miami. Do bullying na infância, passando pela crise de identidade da adolescência e a tentação do universo do crime e das drogas, este é um poético estudo de personagem.

O novo filme do diretor Barry Jenkins é de um tom narrativo intimista, sensível e bem melancólico. Uma jornada de autodescoberta em uma jornada única que só uma pessoa com os seus próprios pensamentos perdidos pode ter. O importante é assistir ao filme com a cabeça aberta e se colocando no lugar da personagem principal, e tentar olhar o mundo pela ótica dela.

Aqui, a história se desenrolMoonlight_Café_No_Oscar_2a sob a ótica do mesmo personagem durante três momentos, e acompanhamos a vida de Chiron criança, adolescente e já adulto. E eu parabenizo a equipe, o diretor e o principalmente os três atores que viveram a mesma personagem sem sequer perder a essência. E outra coisa legal é que os três tem o mesmo tempo de tela, então não dá margem de você gostar mais de um ou de outro.

Mas a verdade é que o filme foca em aspectos sombrios da personalidade da criança, e como o rumo da vida dele pode seguir a partir do momento em que os adultos escolhem para ele. Como eu já mencionei, o filme é divido em 3 momentos, ou atos e para cada um deles é assumida a vez de uma personagem diferente, mesmo apenas sendo uma única pessoa: Na infância temos Little, na adolescência temos Chiron e na fase adulta temos Black. É importante ressaltar que a estava da vida e que a personagem está vai determinar como é o futuro dela.

Em sua breve participação, a personagem de Mahershala Ali assume um papel central e que Little/ Chiron e Black levam com eles para cada ação que eles executam. Outra personagem de grande importância é a interpelada pela atriz Naomie Harris, que trás toda uma carga emocional bem forte e que atravessa o filme com seus dramas e demônios pessoais. Uma forma que o diretor explorou bem também foi a idéia de colocar uma história dessas na periferia de Miami, contadas só por personagens negros. Algum dos temas abordados são: homossexualismo, o abandono de menores, e a busca do refúgio no crime.Moonlight_Café_No_Oscar_3

Moonlight – Sob a Luz do Luar” é um filme de narrativa lenta, o brilho das atuações é o grande diferencial, assim como a ótima direção de fotografia, evidenciando o titulo do filme. A história é atemporal, e adaptável, e dizendo isso eu não excluo toda a representatividade negra que é tão importante e tão vital para o momento em que estamos vivendo. Não é cultuando os negros ou os brancos, é contando uma história que pode ser contada de todas as raças, crenças e principalmente pessoas. O filme surgiu como um dos grandes favoritos esse ano, justamente porque é um dos filmes com maior nota entre os críticos especializados. Se vai vencer a grande estatueta no domingo, isso só será revelado no momento da premiação.

Ficha Técnica: 

Filme: Moonlight – Sob a Luz do Luar

Direção: Barry Jenkins

Elenco: Alex R. Hibbert, Ashton Sanders, Trevante Rhodes, Mahershala Ali, Janelle Monáe, Naomie Harris

Ano de lançamento: 2016

Nota: 3,5/5 estrelas

Deixe uma resposta