Nota Musical – Catfish and the Bottlemen #CafenoLolla

Por , 6 de março de 2017 12:36

Com um nome estranho e ao mesmo tempo dentro dos ‘parâmetros’ para se nomear um grupo indie, Catfish é um grande representante desse ritmo no Lolla de 2017.

2015CatfishAndTheBottlemen_Press_230115-1

Quando se fala de indie rock, a presença de The Strokes no Lollapalooza, que acontece nos dias 25 e 26 desse mês, parece ser o nome certo para atrair esse público.

Sim, como os grandes dessa vertente, Strokes mesmo não entregando mais a mesma qualidade, continuam sendo os pioneiros, os principais, mas há espaço para quem está chegando, exatamente porque o público permite ( e quer) isso.

Nos últimos anos, sempre que o lineup do Lolla é anunciado sempre tem uma b anda ali que nunca ouvimos falar, mas que nos surpreende muito durante a sua apresentação, e Catfish tem tudo para ser essa banda em 2017.

Formada no País de Gales, essa banda do Reino Unido, composta por Van, Benji, Sideshow Bob e Bondy tem uma guitarra forte e presente em todas as músicas dos dois álbuns. E apesar de ter estourado em 2014, eles estão na estrada desde 2007, quando a banda ainda tinha o nome de The Prestige.

O primeiro álbum, The Balcony, foi lançado em 2014, e tem uma sequencia arrasadaora no começo com Homesick, Kathelen e Cocoon. Eles literalmente mostram nessas três músicas o que esperar do restante do CD.

Mas há ainda outras grandes surpresas na sequencia como Pacifier, a linda balada Hourglass e em Sidewinder que eles capricham na guitarra. Se rolar ao vivo, vai ser demais.

E em 2016 eles lançaram The Ride, o tão temido segundo CD da carreira, mas eles tiraram de letra.

tumblr_nzffwjvU371tmcbalo1_500Com ótimas canções e grandes singles como 7 e Twice. Mas outras músicas como Postpone e Sound Check, mudam de ritmo durante a execução, e eu AMO muito isso.

Talvez do mundo indie, essa seja uma das características que mais admiro e gosto. Iniciar a canção de um jeito, mudar no meio do caminho e seguir sem um rumo certo. Dá uma sensação de que a música não tem uma direção certa, mas que conhece exatamente a rota para seguir.

Glasgow e Heathrow são duas baladas gostosas, mas é Outside que fecha o CD de uma forma perfeita.

Eu amo música ao vivo, então escuto todas essas canções e fico imaginando como vai ser ao vivo, que vou conseguir pular e arrastar as meninas por esse show e aproveitar tudo!

Mas indo ou não no Lolla, Catfish é uma ótima pedida.

 

Deixe uma resposta