#LendoKing #6 – Saco de Ossos

Por , 16 de agosto de 2017 9:00

Sabe aquelas histórias de fantasmas bem assustadoras que a gente conta no escuro, antes de dormir?

Saco de Ossos, do Stephen King, é tudo isso e muito mais!

 

Capa Saco de Ossos Ponto de Leitura.inddA história de um antigo amor – um sentimento forte que o tempo e a morte não conseguem destruir. A história de uma nova paixão – um relacionamento assombrado por segredos do passado. A história de uma criança – a inocente prisioneira de um terrível fogo cruzado. São estes os ingredientes de Saco de Ossos, mais um romance com a marca inigualável do grande mestre da narrativa contemporânea, Stephen King. Mike Noonan é um romancista de sucesso que vê sua vida subitamente transformada com a morte da esposa Jo. Quatro anos já se passaram e o sentimento é o mesmo – o desânimo, a tristeza, a sensação de que nunca mais será capaz de escrever. Diante da tela branca do computador, ele vê o vazio doloroso que passou a dominar seus dias. Nem mesmo o sono lhe traz alívio. Noonan é agora atormentado por terríveis pesadelos com Sara Laughs e a casa do lago – o recanto de sonhos onde ele e Jo foram tão felizes. Voltar à pequena cidade. Esta parece ser a única saída. Mike sente que precisa enfrentar o passado e tentar reencontrar seu caminho.

 

 

“Quando se ganha o pão de cada dia na terra do faz de conta, a linha entre o que é e o que parece é muito mais tênue.”

Apesar de já ter sido adaptado para uma minissérie (que até que teve um certo hype) em 2011, confesso que não sabia quase nada a respeito de Saco de Ossos antes de iniciar a leitura. A única coisa da qual tinha conhecimento é a de que esta se tratava de uma história de fantasmas protagonizada por um escritor. E nada mais.

E foi assim que me deparei com um livro eletrizante, repleto de momentos de gelar os ossos… e que, confesso, me deu um certo medinho de ter pesadelos (que não aconteceram, ainda bem!).

Saco de Ossos é um livro repleto de elementos bem atraentes:

1) Um protagonista escritor. Apesar de não ser um personagem muito carismático, Michael Noonan possui uma das nossas profissões favoritas. Dá para perceber que King usou bastante da sua própria experiência com o mercado editorial para construir principalmente a primeira parte desse romance e é bem bacana acompanhar esses insights durante a leitura.

2) Um bloqueio criativo. O que, por si só, em uma história protagonizada por um autor, já é um verdadeiro pesadelo. Já li em algum lugar que Stephen King afirma que nunca sofreu de um bloqueio desse tipo e que se força a escrever um pouco todos os dias (vide os seus 864873 livros já publicados), mas a forma com a qual ele descreve a angústia de Mike é muito realista.

3) Uma cabana isolada. Um cenário como esse já deu certo em histórias de terror? É, acho que não!

4) Cidade pequena. Se você é um leitor inveterado da obra de King (como uns e outros), já sabe que cidades pequenas são lugares de muitas intrigas… E reúnem uma porcentagem assustadora de pessoas com sérios problemas psicológicos.

5) Fantasmas. Precisa explicar? Quem não curte uma boa história assombrada???

O resultado dessa mistura foi uma obra que, apesar de extensa, conseguiu me envolver do começo até o final. Me vi lamentando pelo pouco tempo disponível durante o meu dia, o que me impedia de voltar logo para a leitura.

O que mais gostei em Saco de Ossos foi o fato de que Stephen King construiu um histórico bem plausível para as assombrações (se é que algo como esse pode ser plausível). E, mais uma vez, consegue nos provar que os vivos conseguem ser mais assustadores do que qualquer espírito maligno…

Também fiquei bastante tocada com o final, especialmente com as reflexões do personagem sobre sua relação com a escrita. Por um momento fiquei me questionando até que ponto estava lendo os pensamentos de Noonan ou os de King.

Por fim, quero deixar a minha indicação de uma obra bastante envolvente e que, até o momento, já figura entre as minhas favoritas do autor!

 

Ficha Técnica:

Título: Saco de Ossos (Bag of Bones)

Autor: Stephen King

Editora: Ponto de Leitura (Suma de Letras)

Páginas: 704

Avaliação: 4.5/5 estrelas

Deixe uma resposta