Entre Páginas – Quando Me Descobri Negra

Por , 18 de setembro de 2017 9:00

2017 e livros como esse, ainda são extremamente importantes.

negra-capa-livroTenho 30 anos, mas sou negra há 10. Antes, era morena.” É com essa afirmação que Bianca Santana inicia uma série de relatos sobre experiências pessoais ou ouvidas no círculo de mulheres negras que organiza. Com uma escrita ágil e visceral, denuncia com lucidez – e sem as armadilhas do discurso do ódio – nosso racismo velado de cada dia, bem brasileiro, de alisamentos no cabelo, opressão policial e profissões subjugadas.

 

Sempre podemos tirar boas experiências, enquanto estamos andando a toa pelas livrarias. Uma das mais recentemente para mim, foi ter descoberto essa pequena joia escondida, entre vários livros maiores.

Pequeno, com apenas 60 páginas, ele teria tudo para passar despercebido, mas a sua cor e o titulo me chamou a atenção. E só foi terminar de ler os seus contos e pequenos relatos, que percebi que o lhe faltava de tamanho, sobrava de sabedoria.

Como muitos brasileiros, sou uma mistura de muita coisa (italianos, índios, e claro, negros), então eu tenho essa cor indefinida, esse tipo de cabelo indefinida. Fico ali no meio termo em que se falar que sou branca estou errada e se falo se sou negra, logo em seguida chega alguém para me corrigir.

IMG_2329

Algumas pessoas tentam me corrigir, porque na cabeça delas o conceito de negro é diferente, mas eu nunca tive problema nenhum em me encaixar nessa descrição. Na minha cabeça nunca foi errado ou feio, porém sei que há uma grande diferença aí.

No livro de Bianca Santana, lemos diversos relatos de pessoas em diversas situações e por ser essa mistura indefinida, me concentrei em vários momentos, me emocionei em vários outros e fechei esse livro certa de que ali tinha uma leitura poderosa e verdadeira.

É muito fácil fechar os olhos e não prestarmos atenção nas lutas das outras pessoas. Começar a colocar todo mundo em uma caixinha e nunca olhar para as nuances, diferenças e, principalmente, nunca tentar entender o que o outro pensa e sente.

Em um mundo (e um Brasil), que está ficando tão feio e preconceituoso, precisamos lutar contra essa onda da melhor forma que podemos. E esse pequeno livro, é um vento na direção certa.

Ficha Técnica:

Livro: Quando Me Descobri Negra

Autora: Bianca Santana

Editora: Sesi – SP

Páginas: 60 páginas

Nota: 5 estrelas

Deixe uma resposta