Entre Páginas – All the Crooked Saints

Por , 19 de janeiro de 2018 9:00

Se tem uma coisa que deixa o meu “eu leitora” quicando de animação é a proximidade da publicação de um livro novo da minha autora favorita (a.k.a Maggie Stiefvater).

Por isso, quando soube que ela ia lançar uma nova obra e que esta seria um “stand alone” (ou seja, não faria parte de nenhuma série), encomendei imediatamente o meu livro na pré-venda.

 

IMG_0889

 

Qualquer um que visitar a cidade de Bicho Raro, no Colorado, provavelmente irá se deparar com santos obscuros, sonhos premonitórios, corujas que se agitam a qualquer sinal de milagres, afetos estranhos, um ou dois órfãos, e o céu do deserto repleto de estrelas observadoras.

No coração desse lugar você irá encontrar a família Soria, que possui a habilidade de performar milagres inusitados. E no coração dessa família se encontram três primos, que desejam mudar seu futuro: Beatriz, a garota sem sentimentos, que almeja apenas a liberdade para examinar seus próprios pensamentos; Daniel, o Santo de Bicho Raro, que realiza milagres para todos com exceção de si mesmo; e Joaquin, que passa suas noites comandando uma rádio pirata sob o nome de Diablo Diablo.

Eles estão procurando por um milagre. Mas os milagres de Bicho Raro nunca são exatamente o que você espera.

 

“You can hear a miracle a long way after dark.”

Esse não é um livro para todo mundo. E não digo isso de maneira pejorativa, como algo do tipo “só os bons entendem” ou “é preciso ter refinamento para realmente apreciar esta obra”, nem nada disso. O que quero dizer é que, pela minha percepção (avaliada com uma pequena amostragem representada pelas meninas aqui do blog) é que as obras da Maggie são do tipo “ame ou odeie”.

Com uma narrativa que mescla, o tempo todo, realidade e fantasia, iniciar a leitura de um de seus livros é como mergulhar de cabeça em uma viagem por vezes até um tanto vertiginosa – e se você não conseguir abstrair e “comprar a ideia” (por vezes) absurda que ela está te vendendo, não conseguirá atingir aquele nível de envolvimento necessário para quebrar a barreira do papel.

No meu caso, devo revelar que as obras da Maggie Stiefvater têm o costume de mexer comigo de uma forma inexplicável, que ultrapassa os limites da razão. Ao iniciar a leitura, é como se eu me despisse de qualquer ideia pré-concebida e adentrasse aquele universo. Parte disso se deve à forma extremamente poética com a qual ela constrói cada frase e cada cena.

 “The miracles in Bicho Raro always came in twos.”

Dito isso, vamos a uma breve contextualização: All the Crooked Saints se passa na pequena cidade de Bicho Raro, no Colorado. Esta é a morada da família Soria, conhecida pela fama de performar milagres nos peregrinos que chegam pelo deserto. Esse milagre consiste em revelar a escuridão que as pessoas possuem dentro de si e ela pode se manifestar das maneiras mais absurdas – seja transformando um padre em coiote, seja elevando um homem a alturas gigantescas – e cabe ao peregrino descobrir como resolver aquele aspecto seu para voltar ao normal.

É neste cenário que surge Pete, um garoto de Oklahoma que parte rumo à cidade em busca de um caminhão que havia herdado – e que pode abrir as portas de um negócio próprio. Mas chegando ali, o garoto é surpreendido pela aura mágica do lugar e por Beatriz Soria.

“This was the moment their love story began.”

Beatriz também possui o dom de realizar milagres, mas prefere deixar essa missão com o santo da família, Daniel. Porém, quando seu primo tem que enfrentar seus próprios demônios, cabe a ela buscar a solução para o grande tabu da família.

Milagres, magia, transmutações… Essa é apenas uma parte da trama hipnotizante de All the Crooked Saints. De forma leve mas ao mesmo tempo complexa, este é um livro que toca em pontos como medos, anseios, esperanças – e tudo aquilo que constitui a humanidade.

Mesmo tendo demorado um certo tempo para me envolver com a narrativa, depois que engatei na leitura me vi fascinada pela forma como a autora conseguiu criar algo completamente novo, totalmente diferente de tudo o que já havia criado até aqui.

Apesar de ter um carinho especial por suas séries Os lobos de Mercy Falls e The Raven Cycle, acredito que é em seus romances stand alone que se escondem as verdadeiras joias (sua outra obra única, The Scorpio Races, segue no lugar de favorito absoluto dentre as minhas leituras). Espero que não demore para o livro ser lançado por aqui.

Portanto, se você está em busca de algo distinto de tudo o que já leu, recomendo que se livre dos preconceitos, abstraia e deixe-se levar por esta narrativa encantadora!

 “The desert, which was not given to sympathy or sentiment, was nonetheless moved, and for the first time in a long time, it loved someone back.”

 

*nível de inglês: médio/avançado*

 

Ficha Técnica:

Título: All the Crooked Saints

Autor: Maggie Stiefvater

Editora: Scholastic Press

Páginas: 314 páginas

Avaliação: 5/5 estrelas

Deixe uma resposta