Posts com a tag:Jovem-adulto

Entre Páginas – Tartarugas até lá embaixo de John Green

Por , 4 de dezembro de 2017 7:00

Depois de 6 anos, John Green retorna com o primeiro livro desde o grande sucesso de A Culpa é das Estrelas, para nos apresentar o seu melhor trabalho.

IMG_3673A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância -, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.

Quando A Culpa é das Estrelas foi publicado, John Green já era um escritor conceituado e conhecido dos círculos da literatura Jovem Adulta (YA). Com o estrondoso sucesso de ACEDE e consequentemente, ele se tornou John Green. Um nome fácil de ser reconhecido nas livrarias e até mesmo para quem não é fã dos livros.

Assim, seu próximo livro tinha que atingir o nível de expectativa que agora, ele era esperado. E havia vários caminhos mais fáceis e certeiros em sentido de sucesso comercial, que ele poderia ter seguido, mas fico feliz por John ter escolhido um caminho diferente.

Continue Lendo!

Entre Páginas – Por que Indiana, João?

Por , 28 de maio de 2015 14:38

Por_que_Indiana_João

O que eu mais gosto na vida é quebrar a cara mesmo, juro que não tinha a mínima vontade de ler esse livro. Não sei se foi pelas pessoas que o liam, se foi pela capa (EU ACHO LINDA) ou por outro fator qualquer, mas o fato é que a vontade mesmo era zero. Graças à uma promoçao de um site consegui ele por R$9,90 e foi a deixa para querer ler, a síndrome de consulmismo batendo né? Tudo sei que assim que chegou só abri uma única página para avaliar e quando vi já estava no meio do livro e nem percebi.

Você pode pensar que, aos quinze anos, João já deveria estar acostumado com provocações, apelidos e humilhações. Afinal, ele é um típico adolescente deslocado e tímido. Alvo perfeito para a ira dos valentões e para o desprezo das garotas. Mas sua vida muda completamente quando reage a um ataque de seu maior algoz. O golpe de sorte que derruba o valentão é gravado e vira hit na internet. João se vê finalmente admirado, respeitado e seguro. Mas tudo tem seu preço e João vai aprender qual o peso que suas escolhas podem ter não só sobre sua vida, mas sobre as vidas de todos ao seu redor.

Como eu disse no começo comecei a ler o livro e logo de cara já fui até a metade sem nem perceber. E o trunfo além da ótima escrita do autor é o ambiente em que o livro é narrado, nada além do Ensino Médio amado por uns e odiado por outros. Foi impossível não lembrar com um gosto de saudade dos meus tempos de escola, porque tudo o que o João vive no livro eu já vi pessoas vivendo, tanto as partes boas quanto as partes ruins.

O tema central do livro é o bullying e ele foi muito bem abordado pelo autor, e conseguiu que não caísse na mesmice que alguns livros caem, e transformou um livro que tinha tudo para ser simples em uma história emocionante e verdadeira. Sério, só li verdades.

Por ser o livro de estréia do Danilo senti muita firmeza na escrita, com tudo coerente e certo. E a escrita dele é tão fluida que é muito fácil você terminar o livro sem nem perceber e no mesmo dia. Só notei um errinho de continuidade que não atrapalha a história e nem nada, só fui chato e notei isso.

Adorei o livro de verdade e ele é 5 estrelas fácil. Todos os elementos nele são incríveis e me fez relembrar aquele tempo bom de colégio, onde os nossos problemas por menor que fossem se tornavam gigantes. Quero ler mais livros legais assim, ah quase ia esquecendo que o plot central do livro me lembrou bastante outro livro nacional sobre bullying e uma história real, “Diário de Classe“. Dê uma chance à esse livro, tenho certeza que vai terminar ele com uma ótima sensação.

Ficha Técnica:

Livro: Por que Indiana, João?

Autor: Danilo Leonardi

Editora: Giz Editorial

Nota: 5 estrelas

Entre Páginas – O Garoto da Casa ao Lado

Por , 9 de fevereiro de 2015 9:00
É clichê, é engraçado, é estranho, é legal e é MEG!
 
O+Garoto+da+Casa+ao+LadoMell Fuller é uma jornalista que trabalha para um jornal de Nova York, mas ao invés dela estar correndo atrás das notícias, checando fontes, ela foi designada a ser colunista da página 10 do jornal, onde são publicadas as fofocas sobre as celebridades. Sua vida vira de ponta cabeça, quando sua vizinha de porta é atacada por uma pessoa na cabeça e acaba ficando em coma. Agora Mell tem que cuidar dos bichos de estimação da senhora e está por um triz de perder o emprego. Então ela entra em contato com o único parente vivo da senhora, mas o cara que não está nem ai para a mulher envia um amigo em seu lugar, claro que daí pode surgir um amor, mas as coisas são muito mais complicadas que apenas as barreiras da identidade falsa.

Continue Lendo!

Entre Páginas – Amor em Jogo

Por , 9 de outubro de 2014 9:17

Amor em Jogo era um livro muito esperado por mim, se você já leu algo da Simone Elkeles sabe do que estou dizendo. Se você nunca leu nada dela está na hora de começar e se apaixonar.

Amor_Em_Jogo_Simone_ElkelesAshtyn Parker já está acostumada a ser abandonada, e aprendeu a não se deixar envolver demais em nenhum relacionamento. Quando sua irmã mais velha volta para casa, depois de dez anos, com um enteado a tiracolo, ela não quer saber de nenhum dos dois. O que Ashtyn não esperava é que o tal garoto mal-encarado e sem nenhum limite seria também… Irresistível. Depois de ser expulso do colégio interno em que estudava, Derek Fitzpatrick não teve outra escolha senão ir morar com a esposa de vinte e poucos anos de seu pai, que está viajando pela Marinha. Além de ter que aturar a madrasta, ele recebe a notícia de será obrigado a se mudar da Califórnia para sua cidade natal, Illinois. A vida não tinha mesmo como ficar pior… O que ele não esperava era que aquela garota briguenta e fã de junk food seria capaz de mexer tanto com seus sentimentos.

Continue Lendo!

Entre Páginas – O que aconteceu com o adeus

Por , 14 de novembro de 2013 21:24

Mais um livro da Sarah Dessen para falar, mais uma história para se apaixonar. Se você ainda não leu nada dessa autora, não sabe o quanto está perdendo!!!

 O que aconteceu com o adeus Sarah DessenDesde o amargo divórcio de seus pais, McLean e seu pai, um consultor de restaurante, se mudaram para quatro cidades em dois anos. Separada de sua mãe e da nova família de sua mãe, McLean seguiu com seu pai para deixar o passado infeliz para trás. E cada novo lugar dava-lhe a chance de experimentar uma nova personalidade: de líder de torcida a diva do drama. Mas agora, pela primeira vez, McLean descobre um desejo de ficar em um lugar e apenas ser ela mesma, quem quer que ela seja. Talvez Dave, o cara da porta ao lado, possa ajudá-la a descobrir. Combinando a marca registrada da escrita graciosa de Sarah Dessen, ótimos personagens, e a atraente história, ‘O que aconteceu com o adeus’ é uma leitura irresistível.

 Sarah Dessen me surpreendeu mais uma vez com a narrativa própria que só quem já leu um de seus livros sabe do que estou falando, sempre com sua narrativa tão normal que assusta e beira a realidade. A Sarah sempre aborda assuntos que tem tudo para se tornarem batidos e clichês, mas que por ali entre uma página e outra você se vê envolvido e sugado, sem saber se aquilo é livro ou vida real.

 O que eu mais gosto nos seus livros é que ela trata sempre sobre a família, ao mesmo tempo em que as outras coisas vão acontecendo (diga-se de passagem) naturalmente, a família é sempre envolvida nos plots centrais. O relacionamento com os pais, o amor que ás vezes você deixa passar para viver outras coisas, as mágoas e aflições que são sentidas pelos personagens. É tudo assim muito intenso e forte, e ao mesmo calmo e brando, como as nossas vidas.

 No livro, Mclean é a personagem principal. Mas os outros personagens que deveriam ser “coadjuvante” acabam ganhando seus próprios núcleos centrais, e mesmo o livro sendo em terceira pessoa pela visão da Mclean, você pode acompanhar tudo o que acontece na vida de outros personagens que estão dia-a-dia ao lado dela. O que passa a sensação de que você realmente conhece esses personagens, e quer conhecê-los em sua profundidade muito mais do que já nos está sendo apresentado. Como não ficar comovido com as “vidas” que a Mclean vive para tentar substituir um vazio que está existente em sua vida, Dave e seus demônios do passado e Opal que por fora pode ser durona e esquisita, mas que é uma pessoa tão incrível que você desejaria conhecê-la!

 Adorei como a autora explicou o título do livro, e o porquê das múltiplas personalidades da Mclean. Os desdobramentos do passado e do futuro são muito reais, e tenho certeza que muitas pessoas ao lerem esse livro vão dar uma chance para a própria vida, vão olhar para a realidade e perceber o quanto podem ser felizes sendo elas mesmas.

 A editora manteve o cuidado com a capa americana que é LINDA e passa muito da história, o projeto gráfico do livro é simples, mas incrível ao mesmo tempo. Uma atenção para a revisão do livro e alguns errinhos (POUCOS!) de digitação. Mas que não tira o brilho desse livro incrível. Se você ainda não leu a minha resenha de “A Caminho do Verão” o primeiro livro da Sarah que eu li, passe por lá e veja como eu me apaixonei. Peço desculpas, mas essa resenha não representa nem a metade da grandiosidade que é esse livro. LEIA qualquer coisa da Sarah Dessen, e se apaixone por esses personagens, cidades e descrições que só a Sarah Dessen sabe escrever, com um jeito único e particular.

 

Ficha Técnica:

Título: O que aconteceu com o adeus (What Happened to Goodbye)

Autor: Sarah Dessen

Editora: iD

Páginas: 424

Avaliação: 5/5 estrelas +

Entre Páginas – A Idade dos Milagres

Por , 5 de setembro de 2013 9:00

Eu tenho inveja de quem consegue pegar uma ideia incrível, e transformar em um livro memorável! Karen Thompson Walker, eu estou falando com você!

13142_ggE se os dias ficassem cada vez mais longos – primeiro em questão de minutos, depois horas, até que o dia virasse noite e a noite virasse dia?
Em um sábado aparentemente comum, na Califórnia, Júlia e sua família acordam e descobrem, com o resto do mundo, que a velocidade de rotação da Terra está diminuindo. Os dias e as noites vão ficando mais longos, fazendo com que a gravidade seja afetada e o meio ambiente entre em colapso. Pássaros desorientados caem mortos do céu, centenas de baleias encalham na praia, as marés saem de controle.
Enquanto alguns entram em pânico, outros procuram viver como se nada estivesse acontecendo, agarrando-se a qualquer custo à sua rotina e ignorando a evidência de que o fim do mundo se aproxima.
Ao mesmo tempo que luta para se adaptar à nova “normalidade”, Júlia tem que lidar com os problemas típicos da adolescência e os desastres do cotidiano: a crise no casamento de seus pais, a perda de antigos amigos, as amarguras do primeiro amor e o estranho comportamento de seu avô, que acredita que tudo se trata de uma conspiração do governo e passa os dias catalogando suas posses obsessivamente.

 

 

 

Há uns anos atrás, eu assisti a um documentário sobre o que aconteceria com a Terra, se a velocidade de rotação reduzisse inesperadamente. O documentário, além de ter um tema interessante, ainda bordou a questão de uma forma que me deixou não só envolvida, mas com o assunto bem fixo na minha mente. Vocês podem ver o documentário aqui.

Quando conheci a estória de A Idade dos Milagres da estreante Karen Thompson Walker, eu fiquei fascinada em ler um romance que tratasse desse tema tão impressionante e tenho que dizer que não me decepcionei. O livro recebeu muito atenção lá fora, ficou na lista dos mais vendidos por várias semanas, e tem uma razão.

Com a sua narrativa focada em Julia, não vemos com muitos detalhes as mudanças que acontecem ao redor do mundo. O que sabemos  é aquilo que está ao alcance dos olhos e ouvidos de uma menina de 12 anos, e mesmo quando as noticias chegam elas não tem uma reposta para explicar o que está acontecendo. A Terra está desacelerando, os dias estão ficando mais longos, e o mundo tem que adaptar com isso, querendo ou não. Para Julia, essas mudanças são impostas não só pela mudança dos dias, mais também pelas mudanças em todos os aspectos da sua vida.

“Que exótico passaram a nos parece os velhos relógios de vinte e quatro horas, com suas duas séries idênticas de doze, elegantes como uma casca de noz. Então nos perguntávamos: o que nos levou a acreditar em coisas tão simplórias?”

Julia está na ‘idade dos milagres’ em que o corpo se desenvolve, mas está sujeita a passar por esses anos, sem uma amiga próxima, uma expectativa de um namoro normal (ou de uma vida normal, diga-se de passagem), além de ter que enfrentar a fragilidade do relacionamento dos pais. A escrita é muito bem feita, e para o seu primeiro livro, Karen mostra que tem muito potencial, conseguindo misturar de forma única, todas as dúvidas e dificuldade de uma menina de 12 anos, e com as percepções dela de que o mundo, nunca será o mesmo.

Mas tenho a impressão de que o tópico levantado nesse livro, e até a própria assimilação do mercado, de que esse é um livro que deve ser levado à sério, é desviado pelo fato de ser passado por uma percepção de uma menina de 12 anos.
Como se o fato da nossa corajosa protagonista, enfrentar dias que duram 42 horas, e ter uma análise madura da sua situação, dimunuisse já que ela também está passando por situações tipicamente pré-adolescente, como comprar o primeiro sutiã e tentar conversar com o rapaz que gosta.

A idade dos milagres é um livro incrível, que fala sobre um momento difícil para toda a humanidade, e por mais que tenhamos tantos livros que passam em um futuro distante e que mostram a nossa sociedade alterada, esse demonstra de uma forma clara que podemos pensar em vários destinos para a raça humana, mas estamos tão despreparados, quanto a nossa querida Julia, para enfrentar uma situação como essa.

 

Ficha Técnica:

Título: A Idade dos Milagres (The Age of Miracles)

Autor: Karen Thompson Walker

Editora: Paralela

Páginas: 206

Avaliação: 5/5 estrelas

Onde comprar:

 

Entre Páginas – Cidades de Papel

Por , 19 de agosto de 2013 9:00

Eu tenho (e isso se estende por entre todos da equipe do blog) uma grande admiração pelo GÊNIO que é John Green. Até entendo o fato de algumas pessoas não gostarem tanto dos livros dele, (eu também não sou louca por exemplo por Quem é você Alasca?). Porém, cada vez que começo a duvidar da sua genialidade, é só ler um livro dele para me lembrar. É o caso de Cidades de Papel!

 

CIDADEDEPAPELQuentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança.

E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia.

 

Continue Lendo!

Entre Páginas – Você Tem Sete Mensagens

Por , 12 de agosto de 2013 10:00

Uma “cria” da Maratona Literária!

Já estava no meu 6º dia de desafio, à procura desesperada de uma leitura leve e gostosa… E acertei na escolha! Você Tem Sete Mensagens, do Stewart Lewis, era exatamente o tipo de livro que eu estava precisando!

 

Você tem sete mensagensLuna é uma adolescente que perdeu sua mãe em um acidente há cerca de um ano, atropelada por um táxi nas ruas de Nova York. Ela, o pai e o irmão ainda estão vivendo a dor e tentando superar o luto. Quando Luna vai ao estúdio em que sua mãe trabalhava para recolher seus pertences, surpreende-se ao encontrar o celular dela com sete mensagens de voz não ouvidas. A jovem começa a ouvir as mensagens uma a uma. Depois de escutar a primeira, fica intrigada e decide investigar. Com a ajuda de seu vizinho Oliver – por quem sempre nutriu uma paixão secreta -, vai ouvindo as outras mensagens e descobre segredos chocantes e fatos inesperados, que permitem reconstruir um quebra-cabeça que mostrará algo que ela nunca sonhou existir. Seu coração, porém, experimenta um turbilhão de sentimentos. Pode a dor de uma perda tão importante conviver com o nascimento do primeiro amor? As descobertas sobre seu passado, que mudam o que ela sabia em relação a si mesma, devem ser um obstáculo para a intensa paixão que ela ousa sentir?

 

Continue Lendo!

Entre Páginas – Se Eu Ficar

Por , 24 de março de 2013 16:31

Minha relação com Se Eu Ficar, da autora  Gayle Forman é um tanto conturbada… Após uma tentativa frustrante de ler o livro, resolvi retomá-lo um ano depois, a partir do começo. E ele acabou se revelando um livro rápido, comovente até onde pode ser, e com passagens para se pensar. Mas já adianto: é uma leitura da qual não se pode esperar muito!

 

Se eu ficarAos 17 anos, a musicista Mia é uma adolescente como tantas outras. Tem pais amorosos, uma melhor amiga e um namorado apaixonado. Sua vida, no entanto, não é livre de escolhas dolorosas, como decidir se permanece fiel ao seu primeiro amor – a música –, mesmo que isto signifique perder seu namorado e deixar todos os que ama para trás.

Em uma manhã de fevereiro, Mia sai para um passeio com a família e, em um instante, tudo muda. A última coisa que lembra é estar no carro com seus pais e seu irmão mais novo, Teddy, em uma estrada repleta de neve. De repente, está em pé fora do seu corpo, ao lado dos cadáveres de seu pai e sua mãe, observando ela e o irmão serem atendidos pelos paramédicos. Por meio dos flashbacks e dos pensamentos de Mia, o texto explora a vida da adolescente, sua paixão pela música clássica e sua forte relação com a família, com o namorado, Adam, e com a melhor amiga, Kim.

 

Continue Lendo!