Chá das Cinco – Como William mudou o Inglês #WillShake

Por , 30 de setembro de 2015 17:00

Header post

Esse post faz parte do Desafio Shakespeare!

Para conhecer o desafio completo, clique AQUI!

O lugar que conhecemos hoje como a Inglaterra, foi invadido a milhares de anos pelos diversos povos que habitavam a Europa e que a unção disso, criou o que hoje conhecemos como o inglês.

shakespeare-words

As línguas estão sempre em evolução, seja pelo o uso ou o desuso de uma palavras, seja por um nome significado ou pela alteração do significado daquela palavra ao longo dos anos. Isso acontece com todas as línguas e isso inclui o Português.

A língua Inglesa teve várias vazes de modificação e alteração e uma delas é apelidada de Early Morden English, e advinha quem teve um papel importante? A pessoa que mais falamos nos últimos tempo aqui: William Shakespeare.

Ao escrever as suas peças, ele buscava palavras que não existia e por isso, ele criou mais de 2000 palavras novas onde ele tentava assim conseguir passar para o publico o que eles realmente gostaria de falar.

Isso deveria deixar as pessoas confusas, mas são palavras que estão no uso da língua inglesa até hoje como, softhearted, então elas devem ter ‘pegado’ de alguma forma.

bb8a1d4a248005c667f9229e6cbae8c2Por exemplo, em Julio Cesar ele conseguiu mudar uma palavra a tornando como um verbo ‘To make a fool’ que antes era somente um substantivo.
Para quem está lendo ou vai ler em inglês, irá verificar o uso em várias peças de Thee e Thou e tem haver com as diferenças sociais da época.

Se você era uma pessoa de uma posição social mais baixa e estava falando com alguém de uma posição acima, você iria tratá-los como you/your e elas iriam responder para você com Thee/Thou. Acontece que os país tratavam as crianças também como thou, como um sinônimo de afeto e a criança iria responder como thou também.

Na época que Shakespeare escreveu as suas peças, isso já estava mudando, mas ele as usou de forma s diferentes, para representar várias coisas em sua peças.

O Francês também tem uma característica assim que dura até hoje, como a conversa forma e informal que muda não só o pronome, mas também a forma dos verbos.

Além disso, ao longo dos anos a influência de Shakespeare chegou longe. o ‘Até tu Brutus?” e ‘Ser ou não, eis a questão’ está tão encrespado em nosso dia-a-dia como expressões soltas que alguns podem esquecer ou nem saber que ela vieram exatamente das obras de William.

Entre Páginas – Fahrenheit 451

Por , 30 de setembro de 2015 12:05

BBW-banner_6_WEB

Fahrenheit-451O livro descreve um governo totalitário, num futuro incerto, mas próximo, que proíbe qualquer livro ou tipo de leitura, prevendo que o povo possa ficar instruído e se rebelar contra o status quo.

Tudo é controlado e as pessoas só têm conhecimento dos fatos por aparelhos de TVs instalados em suas casas ou em praças ao ar livre.

A leitura deixou de ser meio para aquisição de conhecimento crítico e tornou-se tão instrumental quanto a vida dos cidadãos, suficiente apenas para que saibam ler manuais e operar aparelhos.

E os bombeiros, agora eles são responsáveis por acaba com a tentação e queimar qualquer livro encontrado pelo caminho, certificando que o fogo estará na temperatura suficiente para queima-los, Fahrenheit 451.

Banned Books!

Desde o seu lançamento em 1953, o livro de Bradbury foi banido de diversas escolas devido há algumas linguagens e expressões.

Opinião do café: De todos, esse é o livro que consideramos o mais inofensivo de todos. Para uma criança talvez uma conversa seria necessária antes ou durante a sua leitura, mas não o bastante para  banir o livro das suas vidas.

Esse era um livro que estava na minha lista de prioridades há muito tempo.

Considerado um dos clássicos americanos, eu me sentia atraída para lê-lo, mas é aquela velha história, de estava aí então a urgência não era tanta.

Continue Lendo!

Nota Musical – Review de 1989, do Ryan Adams

Por , 30 de setembro de 2015 12:05

Há quase um ano atrás, eu dava o seguinte veredicto de 1989 de Taylor Swift “1989, é fácil o CD pop do ano até o momento”, e hoje eu volto para falar novamente de 1989, mas agora sobre a tutela de Ryan Adams, e afirmo, 1989 é o melhor álbum do ano até agora. homepage_large.d34940bc

Ryan Adams é conhecido pelas suas baladas românticas (não confundir com Bryan Adams que também tem baladas) e apesar de não conhecer o seu trabalho tão de perto, Come pick me up é uma das minhas músicas favoritas de todos os tempo.

Quando ele anunciou que estava gravando um CD de covers de 1989, como aval de Taylor, eu não sabia o que esperar, já que como disse não conhecia o trabalho dele e porque 1989 da Taylor é o 1989 da Taylor. Não é o melhor CD do mundo, mas o que tinha para se trabalhar nele fora o que ela á tinha feito?

E aí o CD foi lançado para calar a minha boca e já me deixar nos pés logo nas primeiras músicas e desde então ele está em repeat no meu spotify, porque sim temos Ryan Adams no spotify!

O CD que está na mesma sequência do seu homônimo, já trás Welcome to New York (que admito, que não gosto muito no original), com um toque meio Bruce Springsteen. Saiu a pura alegria de nova vida e entrou uma música que poderia tocar em um filme de adolescentes dos anos 80 saindo de casa para uma nova vida, com um toque de novidade e melancolia na mesma música.

Continue Lendo!

O Noveleiro – Verdades Secretas [FINAL]

Por , 29 de setembro de 2015 23:00

verdades-secretas-logo-grande

Dizem que o público brasileiro e mundial está cansado de produções que se repetem e tem os mesmos finais mornos de sempre, muitos se revoltam e chegam a dizer que nunca mais na vida vão assistir se quer algum folhetim para acabar passando raiva. Mas com o final de “Verdades Secretas” nessa última sexta (25), a internet veio abaixo como há tempo não se via em uma final de novela e mais da metade do público curtiu o que viu.

Continue Lendo!

Chá das Cinco – Entre Páginas: Julio Cesar

Por , 29 de setembro de 2015 17:00

Header post

Aviso aos navegantes:

William Shakespeare escreveu peças para serem encenadas, por isso é muito diferente você somente ler o material. No final de cada post, tentarei colocar links para peças disponibilizadas pelos realizadores no Youtube, para que essa vivência seja presenciada

 

Esse post faz parte do Desafio Shakespeare!
Para conhecer o desafio completo, clique AQUI!

A Experiência

Não podemos comemorar algumas sentenças na vida normal, então vamos aproveitar as oportunidades quando aparecem:

UMA TRAGÉDIA! #dançafeliz

 Resenha

005953Três amigos de longa data Cassius, Brutus e Julio Cesar retornam de um batalha em que forma bem sucedidos.

Eles são muito bem recebidos em Roma e Julio Cesar é uma opção para suceder que é muito desejado pelo povo, porém a perspectiva do poder novamente toma forma dentro dessa peça, e esses três grandes homens serão testados para quem quer realmente o bem de Roma.

Quando Julio Cesar morre, ele solta a tão famosa frase ‘Até Tu,Brutus?’, amanhã vamos falar dessa influência de Shakespeare no meio, mas essa é uma quote tão icônica que quando você lê na peça, parece uma velha amiga que você consegue terminar a frase, de tão bem que conhece.

Muito podem achar que a peça é uma forma de colocar Brutus como o grande vilão, porém Brutus assim como muitos heróis e até mesmo vilões, acredita que está agindo pelo bem de Roma, e que Julio Cesar não tem capacidade para governar.

Ao ler a peça, percebemos como uma ideia é plantada na sua cabeça e com isso o leva a vários eventos que destroem a sua vida.

Estava esperando ansiosamente uma tragédia e fiquei contente de ter lido uma tão boa como essa. Percebi quando terminei o desafio que Shakespeare escreve muito melhor quando ao invés de falar da sua própria pátria, ele fala da Itália e os italianos, como que se a chance de poder pensar em um mundo tão distante para ele, lhe desse mais liberdade para trabalhar melhor os seus diálogos.

        Ficha Técnica:

Nota da Fanny: 4 estrelas

Título original: Julius Cesar

Próxima Peça: Rei Lear

A Peça

Entre Páginas: Ratos e Homens

Por , 29 de setembro de 2015 12:05

BBW-banner_6_WEB

Ratos e HomensGeorge e Lennie são dois amigos bem diferentes entre si. George é baixo e franzino, porém astuto, e Lennie é grandalhão, uma verdadeira fortaleza humana, mas com a inteligência de uma criança.

Só o que os une é a amizade e a posição de marginalizados pelo sistema, o fato de serem homens sem nada na vida, sequer família, que trabalham fazendo bicos em fazendas da Califórnia durante a recessão econômica americana da década de 30. Ganham pouco mais do que comida e moradia.

No caminho, encontram outros sujeitos pobres e explorados, mas também situações que colocam em risco a sua miserável e humilde existência.

 

Banned Book!

O livro foi banido e continua a ser banidos de várias escolas e bibliotecas americanas por pressão dos pais ou da sociedade. O uso de uma palavra pejorativa para o negros(o ‘niggar’ que vemos tanto em alguns filmes) e a violência é uma das justificativas utilizadas.

Opinião do Café: O livro retrata um triste capítulo da história americana e mundial. Com dois personagens muito sofridos, apesar dos atos de violência o livro se torna mais triste do que chocante.

John Steinbeck escreveu uma história para deixar o leitor triste. Criou uma história para deixar o leitor chocado, e acertou nos dois pontos.

George e Lennie tem uma relação que ultrapassa o amor entre irmãos, que os fazem únicos. Em um mundo tão grande eles não estão sozinha, tem um a outro.

Logo no começo, percebemos que Lennie é diferente e que George tem que ensiná-lo e o acompanhar em tudo,principalmente para o impedir de fazer uma ‘coisa ruim’. Apesar de não citar, ao lermos dá para perceber que essa ‘coisa ruim’ já aconteceu algumas vezes e que Lennie não aprendeu ou não consegue evitar de fazê-la,porém se segura por George.

A narrativa do livro é simples e sem enrolação. Temos vários diálogos e pouca descrição das cenas e em alguns momento é necessário se atentar aos detalhes.

Mas o que marca nesse livro é o seu final, trágico e frio. O leitor não está esperando por aquilo e o susto é incrível. É uma história que você só para pensar e refletir sobre ela depois que acaba, tentando entender o que exatamente levou a tudo aquilo.

Com menos de 150 páginas, eu classificaria como um conto, e pode ser a porta de abertura para os outros livros de Steinbeck.

Ficha Técnica:

Livro: Ratos e Homens

Autor: John Steinbeck

Editora: L&PM Editores

Páginas: 144  páginas

Nota: 4/5 estrelas

Chá das Cinco – No que você acredita? #WillShake

Por , 28 de setembro de 2015 17:00

Header post

Esse post faz parte do Desafio Shakespeare!

Para conhecer o desafio completo, clique AQUI!

Em 1534 Henrique VIII criou a Igreja Anglicana mudando o parâmetro da religião dentro da Inglaterra, à partir daquele momento ser católico não era uma opção.

Quando Mary I subiu ao trono, ela restaurou a igreja católica na Inglaterra. 5 anos depois, com a coroação de Elizabeth I, ela voltou atrás com a decisão da irmã, e novamente a igreja católica foi banida da Inglaterra.

Em ambos os períodos, ser da religião errada, poderia representar a sua morte.

Continue Lendo!

Entre Páginas – Madame Bovary

Por , 28 de setembro de 2015 12:05

BBW-banner_6_WEB

Madame Bovary Banned BooksQuando Emma Rouault casa com Charles Bovary ela imagina que passará para uma vida cheia de luxo e paixão que ela lê sobre em seus romances.

Mas Charles é um médico do interior normal, e a vida provinciana é muito diferente da animação romântica que ela esperava.

Em sua busca de realizar o seu sonho, ela decide ter um amante e começa em um espiral de devastação.

 

 

 

Banned Book!

Madame Bovary foi banido de diversos países inclusive da França. Houve até um julgamento, onde o autor foi acusado de sexualidade excessiva e por trabalhar contra as ideias morais em 1857.

Opinião do Café: Apesar de sim acontecer adultério, o livro não exagera na sexualidade e trata isso com sutileza.

Em alguns momentos, acho incrível como a falta de pegar um sinopse pode fazer na vida de uma pessoa. Madame Bovary já apareceu diversas vezes na minha lista de leitura, mas sempre ficava para trás. Até que me deparei com uma sinopse da adaptação de 2014 do livro, e me surpreendi com fato da Madame Bovary ter uma vida tão diferente do que eu esperava.

Com isso, chamei a Sabrina para ler comigo, mas diversos fatores, fizeram com que eu furasse o nosso combinado e terminasse a leitura antes (sorry, Sabrina!).

Não foi só o tempo livre à mais que tinha nessa época. O fato do livro ser muito bom, pesou bastante.

Continue Lendo!

Are You The One? Brasil – Inscrições Abertas

Por , 28 de setembro de 2015 2:54

areutheone

Estamos surtando aqui, um dos reality’s mais bombados desse ano acaba de abrir as inscrições para a próxima temporada!!!

Are You The One? Brasil” está de volta a tela da MTV em 2016, e se você curtiu e quer participar pode entrar nessa ventura. Numa casa cheia de gente bonita e interessante que as únicas regras é não parar de se divertir e ter direito a encontrar o amor da sua vida.

Se você quiser enfrentar as baterias de entrevistas e está disposto a abrir sua intimidade, então corre para esse link aqui e torce muito, porque se você entrar para essa turma a sua vida vai mudar!

P.S. Ficamos sabendo que o Felipe Tito já assinou o contrato e segue comandando a segunda temporada.

17342452

Quer ler todos os post sobre “Are You The One? Brasil”? Clica aqui e vem se divertir. Nos encontramos na edição de 2016!

Chá das Cinco – Entre Páginas: Rei João

Por , 27 de setembro de 2015 17:00

Header post

Aviso aos navegantes:

William Shakespeare escreveu peças para serem encenadas, por isso é muito diferente você somente ler o material. No final de cada post, tentarei colocar links para peças disponibilizadas pelos realizadores no Youtube, para que essa vivência seja presenciada

 

Esse post faz parte do Desafio Shakespeare!
Para conhecer o desafio completo, clique AQUI!

A Experiência

Obviamente a maioria de vocês não conhecem muito bem (pai, se você estiver lendo isso, desconsidere essa parte! =P), mas nada me deixa tão feliz na minha vida adulta, do que riscar um item da minha lista de To do.

Pode parecer triste, mas é uma forma de sinalizar que consegui fazer mais um item, e digo: nada foi tão gratificante quando risquei mais esse livro da lista.

Continue Lendo!