Category: Nota Musical

Nota Musical – Stoyca, Quem viver verá

Por , 14 de junho de 2017 18:18

Falar que a cena brasileira de música acabou, é discurso de quem não conhece as bandas novas, como a brasiliense Stoyca.

unnamed

Não é difícil fazer música, é difícil fazer música boa e ter o caminho para trabalhar com elas. Sejam as rádios, os serviços de streamings, a televisão e até os ouvintes, acabam propagando as músicas de sempre, sem variação.

E quando uma banda vem com um som novo, ela tem que batalhar muito para conseguir se destacar e não ‘se vender’. Vivemos de pop e funk, mas há espaço para outras músicas de qualidade, e são bandas como a Stoyca tentam renovar isso.

Continue Lendo!

Nota Musical – Gostar de Harry Styles, não é um sinal do fim dos tempos

Por , 21 de maio de 2017 11:11

Com o One Direction em hiato, o mundo da música ganhou nome (surpreendente) para falar bem.


Pode pergutnar para qualquer pessoa que presenciou o estouro de algo voltado para o público juvenil, que ela saberá lhe responder que: até que virou moda, ninguém ligava se era bom ou não. Depois que virou moda, automaticamente virou ruim.
E se uma coisa é montado para esse público, esquece! Não vamos nem perder tempo lendo/ouvindo/assistindo. É ruim e pronto.

Continue Lendo!

Nota Musical – Lucy Rose está voltando para o Brasil

Por , 3 de maio de 2017 19:23

Ano passado, Lucy Rose saiu da Inglaterra e veio por conta própria excursionar pela América Latina, e agora, ela volta para mostrar o que essa viagem lhe trouxe.

lucy rose it this called home 2017

Desde 2013, Lucy Rose sempre fez parte das minhas playlists diárias. Sua voz doce + composições maravilhosas, parecem ser a receita certa para curar um monte de coisas na minha vida. E quando eu digo tudo, é tudo! Desde a falta de foco para escrever um post para o blog, até para dar o último impulso naqueles 100 metros de uma corrida no parque.

E depois de anos ouvindo os fãs pedirem para ela vir, ela veio. Por conta própria. E fez uma volta pela América do Sul, cantando em várias cidades para os fãs, completamente gratuito.

Em São Paulo, ela fez um show intimista no Elevado Bar em uma segunda e cantou para uma rua inteira na terça-feira. Como fã, ambos shows foram momentos imperdíveis e inesquecíveis.

Lucy foi embora, mas as suas músicas ganharam um significado e um carinho ainda mais especial na minha vida. Vocês já devem ter passado por algo assim. Ir em um show de uma banda/cantor/cantora, entrar gostando muito e sair amando MUITO.

Por isso, quando vi que ela voltaria ainda esse ano, eu fiquei mais feliz do que no ano passado.

Geralmente, desejo muito conhecer como um artista vai se sair ao vivo, e tenho muita curiosidade dessa primeira vez. Só que voltar, e ouvir tudo aquilo de novo, sabendo o quanto será incrível, torna a experiência única.

E o que esperar desse show?

Rose terminou a tour e já começou a trabalhar no novo projeto. Gravou um disco live acústico e mergulhou na produção do disco novo.

Com lançamento previsto para 14/07, Something’s Changing, será o seu quarto disco da carreira, sendo o terceiro de estúdio, e segundo a própria Lucy, foi muito influenciado pela sua viagem pela América Latina.

Com duas músicas desse novo projeto já liberadas (as belíssimas Floral Dresses e Is This Called Home), ela apresentará junto com o show no CCR Casa Verde na Vila Madalena, o documentário que foi produzido a partir das filmagens da sua tour por aqui.

Se na última vez, Lucy veio em uma pegada mais acústica, agora ela volta com mais dois músicos e tenho certeza que será mais um show inesquecível.

       Serviço:

Lucy Rose Worldwide Cinema Tour

Data: 09/05

Local: Centro Cultural Rio Verde – São Paulo

Horário: 19h-23h

Ingresso: Lucy Rose Worldwide Cinema Tour

Nota Musical – Entre o Vazio e a Memória de Salomão Terra

Por , 19 de abril de 2017 18:52

Os mineiros vão conquistar o mundo. E eu não estou reclamando nem um pouco disso.

Salomão terra

Salomão Terra lançou em abril de 2016 seu primeiro disco solo, Pacífico, apresentando oito faixas que passeiam entre influências como o dreampop e o trip hop. Produzido por Lucas Mortimer e gravado ao longo de 2015, traz uma verve eletrônica aliada a instrumentos elétricos, para desenvolver texturas e inúmeras possibilidades de desdobramentos conceituais.
Continue Lendo!

Nota Musical – Catfish and the Bottlemen #CafenoLolla

Por , 6 de março de 2017 12:36

Com um nome estranho e ao mesmo tempo dentro dos ‘parâmetros’ para se nomear um grupo indie, Catfish é um grande representante desse ritmo no Lolla de 2017.

2015CatfishAndTheBottlemen_Press_230115-1

Quando se fala de indie rock, a presença de The Strokes no Lollapalooza, que acontece nos dias 25 e 26 desse mês, parece ser o nome certo para atrair esse público.

Sim, como os grandes dessa vertente, Strokes mesmo não entregando mais a mesma qualidade, continuam sendo os pioneiros, os principais, mas há espaço para quem está chegando, exatamente porque o público permite ( e quer) isso.

Continue lendo 'Nota Musical – Catfish and the Bottlemen #CafenoLolla'»

Nota Musical – Metallica #CafenoLolla

Por , 10 de fevereiro de 2017 9:00

Por Gustavo Inserra

 

metallica-1

 

O Metallica confirma mais uma participação no Rock in R… espera, no Lollapalooza?

É isso mesmo! Um dos festivais mais famosos do mundo e que costuma atrair um público diverso dentro do universo do rock alternativo, indie rock e pop rock (entre outros), em sua próxima edição contará com o peso dos gigantes do heavy metal, o Metallica. Para mim e para algumas pessoas, essa notícia pode parecer bastante inusitada, já que a banda virou figurinha carimbada do Rock in Rio há algum tempo – e, à primeira vista, soa um pouco distante do perfil de bandas que costumam ser atrações principais do Lollapalooza no Brasil.

Lolla96

Cartaz de 1996 (EUA)

Mas não é a primeira vez que o Metallica participa do Lollapalooza. Em edições passadas, realizadas em diversas partes do mundo nos anos 90 e início dos anos 2000, bandas de peso como Rage Againts the Machine, o próprio Metallica, Soundgarden e Korn faziam parte dos setlists principais. Na verdade, o festival sempre foi bastante eclético quando o assunto é rock. O que acontece é que a onda alternativa, principalmente indie, foi ganhando força nas edições mais recentes (de 2000 pra cá), acompanhando as tendências e mudanças no cenário do rock mundial.

Podemos associar este fato inusitado (ou nem tanto inusitado para alguns) com o fato de que o Metallica lançou no semestre passado seu novo álbum, o Hardwired… to Self-Destruct, após um jejum de aproximadamente 08 anos sem lançar um álbum novo.

Sobre o álbum, analisando como um fã da banda, fiquei feliz com o que ouvi. Músicas como Hardwired e Moth Into Flame me fizeram lembrar dos primeiros álbuns e da sonoridade “thrash metal” que lançou a banda como uma das maiores do estilo. Já músicas como Dream No More por exemplo, traz um pouco da sonoridade de álbuns como Load e Reload.

Olhando por um lado, seria esse o primeiro passo para trazer de volta a “vibe” das primeiras edições, que uniam Metallica e Rancid em uma mesma edição? Ou estou viajando na maionese e o Lollapalooza é e sempre será o mesmo?

Agora basta saber se essa “novidade” (?) será o suficiente para atrair os fãs de metal para o festival ou se estes irão apenas para conferir a apresentação da sua banda favorita… Como um fã do rock no geral, achei essa combinação bem-vinda. E você, o que achou?

 

Nota Musical – Coronel Pacheco

Por , 1 de fevereiro de 2017 8:00

Arrasta o sofá e vem curtir o primeiro CD do Coronel Pacheco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Processed with VSCO with f2 preset

Ano passado foi um ano bem atípico.

Passei o ano e conheci menos bandas novas, o que me assustou porque amo conhecer bandas novas. Sendo assim, uma das minhas resoluções de 2017 era que esse ano seria diferente, e que voltaria aos antigos tempos. E Coronel Pacheco foi uma dessas grandes surpresas e certezas de que eu precisava sim, ouvir mais coisas novas.

Continue Lendo!

Retrospectiva 2016: Nossa Playlist

Por , 29 de dezembro de 2016 12:31

playlist

Para encerrar esse ano, mas carregar as coisas que tiverem de boas, montamos uma playlist com as músicas favoritas do ano da nossa equipe.

Tem música nova, música lançada em 2015, mas que só começamos a amar esse ano, algumas da Rihanna, Twenty One Pilots e 3 (TRÊS) do Justin Bieber.

Sim, somos descoladas nesse nível e se a música é boa, ela é boa, não importa de quem seja.

Veja Também:

Melhores do Ano: Música

A playlist está disponível no Spotify e abaixo deixamos que as próprias músicas explicarem porque foram as nossas favoritas:

Same Ol’ Mistakes – Rihanna

“E eu sei que parece errado aceitar, Mas você tem que fazer isto, e ela tem seus arrependimentos

Not Today – Imagine Dragons (Trilha sonora de Como eu era Antes de Você)

E algo não acaba enquanto não tiver acabado, Eu não quero esperar por isso”

Colors – Halsey

“Você era vermelho e gostava de mim porque eu era azul, Você me tocou e de repente eu era um céu lilás, Então você decidiu que roxo apenas não era para você”

One Dance – Drake feat Kyla

“As ruas não são seguras, Mas eu nunca fujo, Mesmo quando estou longe, Fora da cidade, fora da cidade, nunca tem muito amor quando saímos da cidade”

Work – Rihanna feat Drake

“Você tirou meu coração da manga para por na decoração, Você confundiu meu amor, eu te trouxe para o que eu sou de verdade”

Pillowtalk – Zayn

“Então vamos deixar os vizinhos bravos, No lugar que sentimos as lágrimas, No lugar para se perder os medos”

Ophelia – The Lumineers

“Oh, Ophelia, Céu ajuda o tolo que se apaixona.”

tumblr_o2z8l7fi5y1rjhh5ho1_500

Continue Lendo!

Retrospectiva 2016 – O Melhor do Café: Música

Por , 29 de dezembro de 2016 12:30

Somos muito iguais e ao mesmo tempo bem diferentes e ecléticos, e a nossa retrospectiva de hoje mostra bem isso.

photo rihanna

Quando começa o ano, apesar de ter algumas possibilidades nunca dá para prever o que você mais vai ouvir nos próximos 365 dias.

Nas lista de músicas mais escutas da Sabrina tem as previsíveis Snake Eyes do Mumford e Avalanche do Walk The Moon, mas tem também Ariana Grande, DNCE e Shawn Mendes, que devagar se tornou um novo “favoritinho” de todas.

Se você passar pela lista da Thais, vai ver que ouviu Amei te Ver do Tiago Iorc e suas bandas favoritas: Green Day e Oasis. E por aí vai…

Com uma equipe tão diferente e com gosto diferentes ( e às vezes conflitantes), a nossa lista de melhores do ano fica sempre bem diversificada e amamos isso.

Veja Também:

Nossa Playlist de 2016

Os campeões

Continue Lendo!

Nota Musical – A pequena e grande Vitrola Sintética

Por , 16 de novembro de 2016 11:26

Ser indicado para o Grammy já é uma conquista, mas ser indicado dois anos consecutivo ao Grammy Latino não é para qualquer um. Mas para a banda paulistana, Vitrola Sintética, essa é uma realidade.

vitrola-sintetica-fotos-1

O cenário musical nacional pode parecer morto e sem criatividade, mas longe dos hits que tocam nas rádios, há algumas bandas de qualidade que fazem menos sucesso.

A banda paulistana, Vitrola Sintética é uma delas, que começaram em  2006 e agora possuem  3 CD’s lançados e só (SÓ) duas indicações para o Grammy latino na bagagem.

A primeira indicação chegou ano passado, como melhor como revelação e melhor engenharia de som, com o álbum Sintético.

Continue Lendo!