Blá Blá Blá – Porque a vida atual da Lane é melhor do que da Rory

Por , 5 de dezembro de 2016 11:45

Este post contém Spoiler para quem não viu os episódios de A Year in the Life.

untitled

Desde que entrou no ar em 2000, Gilmore Girls teve seu foco na relação entre Lorerai e Rory.

De cara, todas nós identificamos e gostamos mais de Rory, com o seu foco em Harvard, tudo o que passava em Chilton e acompanhamos a sua evolução com o primeiro namoro.

Continue Lendo!

Café Irlandês – 7 trilhas sonoras que são melhores que o filme

Por , 22 de novembro de 2016 12:00

cafe irlandes

Pare de falar que o livro é melhor que o filme, porque isso é muito mainstream agora. LOL!

Por isso, hoje fizemos uma lista de filmes em que a sua trilha sonora é melhor (ou tão bom quanto) o filme em si.

1 – Nick e Norah: Uma noite de amor e música

nick-and-norah

O filme é fofinho e gosto de assistir, mas a trilha sonora é 10. Tem We are Scientists, Paul Tiernan e The Submarines. É uma trilha que eu escuto regularmente, mas faz uns 4 anos que não vejo o filme.

2 – Todos os filmes da Saga Crepúsculo

twlight

E olha que eu gosto muito da saga, e do romance da Bella com o Edward. A trilha do primeiro filme foi composta de músicas gravadas anteriormente, como Supermassive Black Hole do Muse e Flightless Bird, American Mouth do Iron & Wine.

Continue Lendo!<del datetime=

Entre Páginas – A Metamorfose #Projetopravida

Por , 21 de novembro de 2016 11:30

Em nosso #Projetopravida (Leia sobre ele AQUI), cheguei finalmente em Franz Kafka e o seu badalado A Metamorfose.

a_metamorfoseA Metamorfose é a mais célebre novela de Franz Kafka e uma das mais importantes de toda a história da literatura. O texto coloca o leitor diante de um caixeiro-viajante – o famoso Gregor Samsa – transformado em inseto monstruoso.

A partir daí, a história é narrada com um realismo inesperado que associa o inverossímil e o senso de humor ao que é trágico, grotesco e cruel na condição humana – tudo no estilo transparente e perfeito desse mestre inconfundível da ficção universal.

Kafka, até para quem não convive muito com literatura europeia é um nome conhecido e comentado. Quando você faz resenhas em um blog literário, há algumas lacunas que você vai tentando (e precisando) preencher ao longo da sua vida.

Continue Lendo!

Cafelicia – Café e dor de cabeça: uma relação recente que mudou meus hábitos

Por , 19 de novembro de 2016 11:49

4e870a7e7649fc2ae96dc05561f66cf01e88f212d6efe6d07458214800c1b24b

Sempre amei café e bebo desde de pequena. Trabalhando em escritório, sempre visitando cafetarias e escrevendo em um blog que chama Café com blá blá blá, nos últimos anos minha relação com essa bebia evolui muito.

Virou uma paixão.

Tanto que cheguei na base da obsessão, experimentando sabores, preparos e variações diferentes. Comprei até uma daquelas cafeteiras automáticas de capsula para suprir um pouco os meus desejos no meio da tarde de um sabádo.

E continuei vivendo a minha vida, tomando café sempre que precisava dar aquele boost.

Só que comecei a ter dores de cabeça constantes e o café era o responsável junto com o remédio apra ‘afastar’ isso e dar foco nas coisas que precisava fazer. Mas depois de duas semanas com dores constantes, alguém me recomendou tirar o café, porque era o que causava as minhas dores.

Resolvi ficar 3 dias sem tomar para ver o que daria, e para a minha tristeza, não tive nenhuma dor de cabeça naquele período.

Hoje, faz 5 meses que tive que abandonar completamente o café puro. Achei que a dor estava sendo causada pela correria do dia a dia, e que estaria bem se tomasse em um dia tranquuilo.

Só que no único dia em que tomei café nas minahs férias, fiquei com dor de cabeça o resto do dia. =/

Obviamente que a minha dor de cabeça não é cosionada só pelo café. Se como muito açucar ela me encontra de qualquer forma, mas até o momento é uma das causas piores.

Pode ser que algumas pessoas consigam conviver com isso, mas dor de cabeça para mim é o fim. Não consigo fazer nada e isso prejudica toda a minha programação.

Mas não é fácil dizer adeus para um hábito, principalmenter quando todos a sua volta estão tomando café. O chá que havia se tornado um companheiro desde que deixei de tomar refrigerante a dois anos atrás, se tornou ainda presente na minha vida.

Por hora, digo adeus para o café puro, na esperança que um dia talvez possamos ser bons amigos novamente.

 

Pipoca Salgada – Vi Animas Fantásticos e onde Habitam e…. =/

Por , 18 de novembro de 2016 11:30

Novo filme no Universo do Harry Potter! YEAH? =(

animais

O excêntrico magizoologista Newt Scamander (Eddie Redmayne) chega à cidade de Nova York levando com muito zelo sua preciosa maleta, um objeto mágico onde ele carrega fantásticos animais do mundo da magia que coletou durante as suas viagens. Em meio a comunidade bruxa norte-americana, que teme muito mais a exposição aos trouxas do que os ingleses, Newt precisará usar todas suas habilidades e conhecimentos para capturar uma variedade de criaturas que acabam fugindo.

Nessa altura do campeonato, se você frequenta esse site, sabe que eu sou fanzona de Harry Potter (como metade do mundo) e obviamente estava esperando o novo filme com olhos bem abertos.

Seguindo um parâmetro que me estabeleci anos atrás (quando ainda estava sendo lançado as Relíquias!), eu evito ver fotos e ver trailers de filmes que quero muito ver. Vou indo até a estreia fugindo de tudo para tentar encontrar a maior surpresa de todas. Com animais Fantásticos foi assim.

Evitei tudo e só li algumas entrevistas dos atores e umas chamadas e tweets de mídias especializadas, falando que o livro era ótimo. O Leaky Cauldron afirmou que os fãs sairiam do filme querendo reler toda a série novamente.

E mesmo sem ver nada do filme, eu fui confiante nessa posição de fã. Afinal, quando se trata de Harry Potter qualquer desculpa é desculpa para ler toda a série.

Continue Lendo!

Entre Páginas – De Frente para o Sol

Por , 17 de novembro de 2016 11:48

Julian Barnes tem mais de 30 anos de carreira, 26 livros lançados, mas ele foi a maior e melhor descoberta desse ano na minha vida literária.

c857a67e-686b-4e71-a468-9f10aaa74d8dDepois de esmiuçar a vida de Gustave Flaubert, Julian Barnes volta-se para a vida aparentemente simples de Jean Serjeant, uma moça provinciana que assiste, impassível, à mudança do século XX para o XXI. Nada é, no entanto, como sugerem as aparências. Jean, com sua capacidade inesgotável de fazer perguntas que nem todos sabem responder, esconde a complexidade que existe em todo o ser humano que ainda consegue se surpreender com o mundo. Barnes, capaz de transformar em literatura refinada tudo o que toca, demonstra, mais uma vez, ser um dos grandes autores ingleses de sua geração.

O melhor ainda está por vir.

Esse pensamento que dá força e coragem para muitas pessoas no mundo, também ode ser aplicados para os amantes dos livros. Sim, já lemos muitos ótimos autores e temos aqueles livros incríveis que são os nossos favoritos para a vida.

Mas gosto de pensar, que ainda lerei outros livros que serão melhores ou tão bom quanto. Imagina continuar nessas aventuras e listas de leituras e dezenas de desafios, como o nosso #Projetopravida sabendo que nada mais vai lhe tirar o fôlego?

Depois de muito ver ele pipocar por aí, peguei um livro do Julian Barnes na biblioteca para ver se era bom, o escolhido aleatório da vez foi Altos voos e quedas livres ( Leia o review AQUI) e eu me apaixonei por ele de cara.

Continue Lendo!

Nota Musical – A pequena e grande Vitrola Sintética

Por , 16 de novembro de 2016 11:26

Ser indicado para o Grammy já é uma conquista, mas ser indicado dois anos consecutivo ao Grammy Latino não é para qualquer um. Mas para a banda paulistana, Vitrola Sintética, essa é uma realidade.

vitrola-sintetica-fotos-1

O cenário musical nacional pode parecer morto e sem criatividade, mas longe dos hits que tocam nas rádios, há algumas bandas de qualidade que fazem menos sucesso.

A banda paulistana, Vitrola Sintética é uma delas, que começaram em  2006 e agora possuem  3 CD’s lançados e só (SÓ) duas indicações para o Grammy latino na bagagem.

A primeira indicação chegou ano passado, como melhor como revelação e melhor engenharia de som, com o álbum Sintético.

Continue Lendo!

Café Irlandês – 5 coisas para fazer antes do ano acabar

Por , 15 de novembro de 2016 19:36

cafe irlandes

Agora falta 45 dias para terminar o ano, mas há ainda há tempo (e um pouquinho de orgulho ferido) para dar a motivação necessária, para terminar algumas promessas de 2016. Fui lá ver a minha lista e escolhi as que não quero acabar o ano em aberto.

1 – Matricular na academia

Eu não gosto do clima de academia, mas chovendo direto, senti a necessidade de procurar abrigo em um lugar onde acabará as minhas desculpas.

tumblr_o9ik6hzbfz1qzomoco1_500

 

2 – Vencer a meta do GoodReads

Quem se importa se ainda falta 536 livros para você ler até o final do ano? (na realidade, faltam ~somente~ 30 livros) =(((

 

rory-reading

Continue Lendo!

Entre Páginas – Pílulas Azuis

Por , 14 de novembro de 2016 11:30

2016 foi um ano que iniciei a ler HQ’s com mais frequência, e fico feliz de ter me esbarrado em Pílulas Azuis antes do ano terminar.

Pílulas azuisNesta narrativa gráfica pessoal e de rara pureza, por meio de um roteiro simples e de temas universais (o amor, a morte), Frederik Peeters conta sobre seu encontro e sua história com Cati, envolvendo o vírus ignóbil que entra em cena e muda tudo, e todas as emoções contraditórias que ele tem de aprender a gerenciar: amor, raiva, compaixão. Pílulas azuis nos permite acompanhar, sem nenhum vestígio de sentimentalismo, através de um prisma raramente (senão nunca) abordado, o cotidiano de uma relação cingida pelo HIV, sem deixar de lançar algumas verdades duras e surpreendentes sobre o assunto. Apesar da seriedade do tema, Pílulas azuis é uma obra cheia de leveza e humor.

Deve ter uma forma técnica para ler e avaliar uma HQ, mas ler uma narrativa divertida e interessante enquanto traços bem feito de um desenho são colocado na minha frente, é para mim, uma forma de diversão.

Quando leio, seja qual for o livro, sempre imagino as cenas como em um filme, situando em lugares e expressões que me remetem para aquilo que está escrito ali. Mas nos casos das HQ’s onde o desenho já esta ali, a minha lembrança mental se torna os traços.

Continue Lendo!

Fala Série! – Deus salve a Rainha e The Crown

Por , 13 de novembro de 2016 9:59

A Netflix gastou cerca de 100 milhões de dólares para produzir a primeira temporada de The Crown. E valeu cada centavo.

maxresdefault

Desde que a Netflix anunciou que faria uma série sobre a Rainha Elizabeth II, minha orelhinhas ficarão de pé.

Não só por causa das outras provas que a Netflix já deu da qualidade das suas produções, mas porque apesar de ter o reinado de mais tempo da história da monarquia inglesa, a vida da Rainha Elizabeth tinha um apelo mais dramático.

Como contar sobre uma das mulheres mais famosas do mundo e que ainda está viva? Seria  um tiro no pé ou um grande triunfo.

Continue Lendo!