Posts com a tag:Literatura

Projeto Yale – Romances americanos de 1945 para cá

Por , 19 de setembro de 2015 12:00

Se você acompanha o blog há um tempinho, já percebeu que eu e a Fanny quase não gostamos de desafios literários… (e, quando eu digo isso, quero dizer que na verdade nós duas somos fissuradas por qualquer lista desafiadoras de livros).

Para você ter uma ideia, só nosso #Desafiopravida tem uma estimativa de 42 anos de duração – sem contar os livros que adicionamos constantemente a nossa “TBR”. Isso é o suficiente para nos parar? Claro que não!

Como nossa vida estava muito monótona (#sqn) sem um novo desafio, resolvemos mergulhar de cabeça no #ProjetoYale.

tumblr_nu813zXdFX1uojotxo1_250

A primeira vez que ouvi falar sobre ele foi no canal do Henrique Júnio, o Ensaio sobre a inconstância. No vídeo, o Henrique publicou o link de uma playlist de um curso de Yale sobre Literatura contemporânea americana (uma fatia da literatura que eu e a Fanny sempre quisemos desbravar). O curso é uma iniciativa da Universidade da Ivy League que disponibiliza algumas aulas para o público geral na internet, sem nenhum custo.

Ministrado pela professora Amy Hungfors, o curso The American Novel Since 1945 possui 26 aulas que giram em torno de 14 livros:

1. Black Boy, do Richard Wright
2. Wise Blood, da Flannery O’Connor
3. Lolita, do Vladimir Nabokov
4. On the Road, do Jack Kerouac
5. Franny and Zooey, do J. D. Salinger
6. Lost in the Funhouse, do John Barth
7. The Crying of Lot 49, do Thomas Pynchon
8. The Bluest Eye, da Toni Morrison
9. The Woman Warrior, da Maxine Hong Kingston
10. Hosekeeping, da Marilyne Robinson
11. Blood Meridian, do Cormac McCarthy
12. The Human Stain, do Philip Roth
13. The Known World, do Edward P. Jones
14. Everything is Iluminated, do Jonathan Safran Foer

A nossa proposta é ler os livros e assistir as aulas referentes a ele.

A cada novo livro completo da lista, iremos contar aqui as nossas experiências com o livro em si e como a aula sobre ele contribuiu para o entendimento da história no todo.

Claro que, alinhado com os nossos outros desafios e o restante da nossa TBR, mas a meta é tentarmos zerar esse Projeto Yale em um ano, e depois partir para outros livros da literatura americana, que acabam ficando perdidos no meio dos milhares de lançamentos.

Ficou curioso mas não sabe se vale a pena arriscar? Sugerimos que você assista à Introdução e tire suas conclusões… Mas achamos difícil resistir!

*Vale destacar que o curso é todo ministrado em inglês e que algumas das obras ainda não possuem tradução para o português. Portanto, recomendamos esse projeto para aqueles que têm pelo menos um domínio intermediário/avançado da língua.

Entre Páginas – O Senhor do Amanhã

Por , 7 de maio de 2015 15:04

UAU! Sério, não tem como não começar a resenha assim. De todos os livros que li da Vanessa Bosso ”2012” e ”O Imortal”, “Senhor do Amanhã” é sem dúvida alguma o melhor até agora. O livro é ação pura desde o começo até a última página, e você se vê preso e quer descobrir o que está por vir. Os capítulos curtos também são um diferencial, além de deixar a história em um ritmo frenético, explora o que acontece com os outros personagens e você nem tempo para ter sono ou sequer pensar em desgrudar das páginas.

Senhor do Amanhã Vanessa Bosso Capa do LivroCuidado! Enquanto lê essa sinopse, eles estão de olho em você. Seus e-mails, telefonemas e até os seus pensamentos estão sendo cuidadosamente vigiados. E arquivados. A Nova Ordem Mundial é uma realidade e a agenda global segue no intuito de eliminar 70% da população terrestre. No mundo atual, nada é o que parece ser. Não acredita? Então leia e descubra o que ninguém quer que você saiba. Descubra quem será o Senhor do Amanhã.

Continue Lendo!

Café Irlandês – Leitura em Coletivos

Por , 24 de junho de 2014 23:22

Irish-coffee-logo-color

Eu não sei você, mas eu uso muito o transporte coletivo na semana. Aqui em São Paulo é muita correria, loucura e muito tempo preso dentro de ônibus, trens e metrôs. Felizmente nós amante dos livros sempre temos algum exemplar de livro conosco, seja ele físico, ou em formatos digitais nos e-readers, tablet’s e smartphones. E o café irlandês de hoje vai te dar dicas de como ler melhor e aproveitar seu tempo livre nos coletivos.

Continue Lendo!

Projeto Dickens #4 – Grandes Esperanças

Por , 2 de junho de 2014 9:00

(Os posts referentes ao Projeto Dickens são mais “diários de leitura” do que resenhas propriamente ditas. Portanto, se você está em busca de um “tratado” sobre a obra do autor, este não é o local mais indicado para a sua pesquisa. Agora, se assim como eu, você é fã deste ícone da literatura inglesa e quer compartilhar as suas experiências de leitura… Seja bem-vindo!)

 

Charles Dickens 4

 

Depois de um longo e caloroso verão, estou de volta com mais um “update” no meu desafio do Projeto Dickens!

Tendo “furado” uma vez a cronologia da obra do autor com a leitura de Um Conto de Natal, acabei aproveitando para passar na frente um dos livros mais consagrados do Charles Dickens (e que é também o próximo livro do meu clube de leitura): Grandes Esperanças!

Confesso que muito do meu entusiasmo com a obra veio após assistir ao trailer da sua nova adaptação cinematográfica, que traz nomes como Helena Bonham Carter e Jeremy Irvine. Por isso, quando definimos no clube de leitura que o critério de escolha para a nova rodada de leituras seria livros e seus respectivos filmes, corri para sugeri-lo.

E, gente, cá entre nós: como não se apaixonar pela história de Pip?

 

Charles Dickens Grandes EsperançasA grande característica de Grandes esperanças é ser uma história de redenção moral do protagonista, Pip, um órfão criado rigidamente pela irmã num lar humilde e disfuncional, que, após herdar inesperadamente uma fortuna, rejeita a família e os amigos por se envergonhar da própria origem.

No começo conhecemos o infortúnio de Pip, o narrador que vive aterrorizado pela irmã mais velha que, após a morte dos pais, o criou “com a mão de ferro”, bordão para a maneira rígida e por vezes violenta com que trata o filho de criação e também o marido, o ferreiro Joe Gargery. Sua vida começa a mudar com o inesperado convite para que passe a visitar Miss Havisham, uma mulher rica da aldeia, e seja companhia de sua filha adotiva, Estella. Pip imediatamente tem uma queda pela garota, sentimento que se transformará em amor durante a vida adulta e o conduzirá à imoralidade.

A vida de Pip sofre uma reviravolta ainda maior quando, já se preparando para o ofício de ferreiro, recebe a visita de um advogado, que anuncia que o jovem é herdeiro de uma fortuna. Após abandonar a família para viver em Londres, Pip passa a desprezar a sua vida anterior, tentando tornar-se digno de se casar com Estella, que, no entanto, não se interessa por seus sentimentos.

Dividido em três partes, discutindo a bondade, a culpa e o desejo, o romance originalmente foi escrito como um folhetim e publicado na revista semanal All the Year Round, entre dezembro de 1860 e agosto de 1861, tornando-se um grande sucesso. Dickens toma o cuidado de não buscar a empatia fácil com o leitor, fazendo de Pip um personagem sincero em sua imoralidade e, quando se arrepende, na busca pela redenção.

 

Comentei em outro post sobre a dificuldade que vinha enfrentando para encarar a leitura de “tijolões”. Há muito tempo que não me propunha a desbravar um livro com mais de 500 páginas, mas decidi que por Grandes Esperanças valia a tentativa. E que delícia que foi!

 

Continue Lendo!

Blá Blá Blá – Por que ler (ou não) os clássicos?

Por , 31 de maio de 2014 13:24

Classicos

 

O que são “os clássicos”?

Aqueles volumes grossos, velhos e empoeirados que vivem adormecidos nas estantes? Aquele texto lento, cheio de palavras complicadas e linguajar arcaico? A pavorosa leitura obrigatória da escola?

Parece que se referir a um clássico é como falar um palavrão – como assim você adora ler esses livros antigos? – ou então, passar a impressão de uma “falsa” intelectualidade. Ora, quem leria uma coisa dessas senão para se gabar depois?

A bem da verdade é que os clássicos geralmente vêm acompanhados com uma certa aura de preconceito sob o ponto de vista dos leitores mais jovens (entre os quais eu me incluo). E é para tirar um pouco essa “má impressão” que resolvi escrever este post.

 

Continue Lendo!

Maratona Literária

Por , 22 de julho de 2013 9:00

Maratona1

 

Atenção senhoras e senhores, queridos leitores e amantes de livros…

Vocês estão convocados a participar da Maratona Literária entre blogs e leitores do Brasil, que acontecerá das 0h00 do dia 29/07 até às 23h59 do dia 04/08!

Sabe aquela sua pilha enorme de leituras pendentes que está juntando pó na estante? Ou aquele livro que você precisava comprar (há 3 anos) e ainda não leu? Pois então… Agora é a hora de você devorá-lo!

Como? Através de uma semana intensa de leituras, desafios, bate-papo e claro, diversão!

A maratona foi baseada em uma prática bastante comum lá nos States, onde diversos blogueiros se reúnem (virtualmente, claro) a cada intervalo de tempo para dar um “gás” nas suas metas de leituras.

Neste caso específico, nos baseamos no projeto da equipe do Bout of Books, que realiza duas edições anuais e movimenta centenas de leitores a cada desafio… E temos, inclusive, a autorização oficial da equipe do site para adaptar a maratona para a nossa terrinha!

Fique de olho nos blogs hospedeiros: Amount of Words, Bookeando, Burn Book, Café com Blá Blá Blá, Por Essas Páginas e Psychobooks para acompanhar as novidades!!

 

Como funciona?

200 anos de Orgulho e Preconceito

Por , 28 de janeiro de 2013 9:06

OeP3

 

“É uma verdade universalmente conhecida que um homem solteiro na posse de uma boa fortuna deve estar necessitando de uma esposa”.

 

Há exatamente 200 anos, um dos primeiros parágrafos mais conhecidos da história da literatura ganhava as páginas do mundo, pronto para fisgar milhões de leitores ao longo dos próximos séculos.

Com essas palavras, Jane Austen inicia Orgulho e Preconceito, livro que já se tornou um ode ao romance e que definiu de vez o perfil do “homem perfeito” – também conhecido como Mr. Fitzwilliam Darcy. (Afinal, não foi apenas a sagaz Elizabeth Bennet que se rendeu aos seus encantos, mas sim, 98,7%* das leitoras do mundo!)

Não pretendo fazer uma resenha sobre o livro, nem uma tese, e muito menos um tratado universal. Para comemorar uma data tão marcante para os fãs de Jane Austen, resolvi fazer uma singela homenagem pessoal, contanto um pouquinho a minha relação com o livro em questão.

Portanto, se você, assim como eu, tem Orgulho e Preconceito na sua mesinha de cabeceira e com lugar cativo entre os seus livros favoritos, esse post é para você!

 

Continue Lendo!

Top Ten Tuesday #18 – Lugares que você gostaria que aparecessem mais em livros

Por , 22 de janeiro de 2013 18:57

Top Ten Tuesday é um meme semanal hospedado pelo blog The Broke and The Bookish

 

Boa noite galera! o/

Adorei o tema do TTT de hoje, mas descobri que sou péssima com localidades… – minha professora de Geografia que o diga, cof, cof.

Muitos dos lugares que escolhi já aparecem em uma penca de livros, então creio que seja mais uma questão de acertar na escolha dos livros do que de “exigir” de fato mais obras nesses locais.

Que lugares eu gostaria que aparecessem mais nos livros?

 

Arrumem as malas!

Livros e Leituras – versão 2012

Por , 29 de dezembro de 2012 15:52

Somanybooks

 

Começo do ano é uma época bastante empolgante para os amantes de livros. Afinal, é a hora da definição das metas literárias do ano!

Fazemos listas, proposições, programações… E até tentamos organizar as nossas leituras do próximo ano – nem comento que elas sempre acabam se desviando no meio do caminho. Mas, né? A gente tenta!

Apesar da correria e do tempo curto, fiquei surpresa ao constatar que 2012 foi o ano em que mais li na vida. Sério, gente! Fiquei com medo!

Esse foi um ano de leituras cômicas, inspiradoras e até desesperadoras (culpa da Richelle Mead e da Cassandra Clare – claro ou com certeza?)!

Por isso, resolvi fazer um balanço de tudo o que li nesse ano.

 

E o resultado foi…

Dia Nacional do Livro

Por , 29 de outubro de 2012 21:18

 

Eles podem ser grandes.

Pequenos.

Finos.

Grossos.

De papel.

Digitais.

De ficção.

De não ficção.

Em português, inglês, espanhol, francês, alemão, italiano, árabe, russo…

Mas todos falam a mesma língua: a da imaginação.

Hoje é o dia de celebrar aqueles nossos amigos inseparáveis: os livros!

E quer um jeito melhor de comemorar esse dia do que com uma boa leitura? Revisitar a sua história favorita, conhecer novos lugares, desbravar novas páginas, se apegar a novos (e velhos) personagens…?

Peque sua xícara, se aconchegue perto do ventilador (vamos ser realistas, né?) e… boa viagem!