Posts com a tag:Wilkie Collins

Retrospectiva 2017 – O melhor do Café: Livros

Por , 29 de dezembro de 2017 19:45

sabrina

2017 foi um ano de leituras um tanto diversificadas.

Seja através de desafios ou da mera curiosidade mesmo, descobrimos novos autores, exploramos novos gêneros… E nos deparamos com leituras inesquecíveis!

Confira algumas das leituras que marcaram o nosso ano!

 

Continue lendo 'Retrospectiva 2017 – O melhor do Café: Livros'»

Entre Páginas – The Woman in White

Por , 6 de abril de 2015 9:00

Em meio a uma ressaca literária medonha, resolvi me abrigar no gênero que tem me “abraçado” neste ano: os clássicos.

Tudo começou com a leitura de Tess of the D’Ubervilles, que inaugurou o meu ano literário em alto estilo. Somado a isso, também temos o Projeto Clássicos, que eu e a Fanny resolvemos dar sequência em 2015. Pois bem. Cercada por várias leituras que não estavam engatando, voltei para a minha estante e optei por conhecer a obra de um autor pelo qual já tinha uma certa curiosidade: Wilkie Collins.

Parte desse interesse se deve ao fato de o escritor ter sido o “BFF” (best friend forever) do meu queridinho Charles Dickens. Collins publicou diversos trabalhos nos periódicos de Dickens e, de acordo com alguns estudos literários, teve uma grande influência em obras posteriores do autor de Oliver Twist.

Tendo dito isso, confesso que sempre pensei que iniciaria a leitura da obra de Wilkie Collins por The Moonstone, livro que é tido como um dos primeiros policiais que se tem registro. Porém, acabei optando pelo gigantesco por The Woman in White… E me encantei!

 

The Woman in WhiteThe Woman in White é considerado como um dos primeiros livros da ficção policial e possui uma narrativa costurada por diversos personagens.

Wilkie Collins baseou parcialmente seu romance “infame” em um caso real de sequestro e aprisionamento injustiçado. Em 1859, esta história causou um furor entre os leitores, prendendo sua atenção logo na primeira cena, quando a misteriosa Anne Catherick, a ‘Mulher de Branco’, cruza o caminho de Walter Hartright de forma fantasmagórica.

Arrepiante e com um clima de tensão e mistério, a obra continua emocionando os leitores de hoje, como se tivesse acabado de ser publicada.

 

Continue lendo!